A várzea como refúgio imaginários sociodiscursivos em narrativas de vida de personagens do futebol amador de Belo Horizonte/MG

Conteúdo do artigo principal

Pollyanna de Mattos Moura Vecchio
Luiz Henrique Silva de Oliveira

Resumo

Em muitas cidades brasileiras, campos de várzea e agremiações amadoras de futebol surgem para cobrir a lacuna de socialização e lazer em áreas onde o poder público está ausente. Nossa hipótese é a de que, ouvindo narrativas de vida de diferentes personagens da várzea, é possível ligar os pontos em comum dessas vozes e fazer emergir o interdiscurso capaz de evidenciar o conhecimento e os imaginários desses sujeitos sobre o papel e a evolução do futebol de várzea na capital mineira. Para tanto, valemo-nos de entrevistas espontâneas e de ferramental teórico da Análise do Discurso de linhagem francesa. Neste estudo, entrevistamos três personagens do futebol de várzea de Belo Horizonte de gerações diferentes (um participante de 29 anos, uma participante de 69 anos e outro de 72 anos) e analisamos como o imaginário sociodiscursivo da várzea como “refúgio” de ambientes hostis aparece no interdiscurso que perpassa as três narrativas de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
VECCHIO, P. de M. M.; OLIVEIRA, L. H. S. de. A várzea como refúgio: imaginários sociodiscursivos em narrativas de vida de personagens do futebol amador de Belo Horizonte/MG. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 9, n. 1, p. 135–157, 2024. DOI: 10.35699/2526-4494.2024.41735. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/41735. Acesso em: 17 jun. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Pollyanna de Mattos Moura Vecchio, CEFET-MG

É aluna regular do Programa de Mestrado em Estudos de Linguagens do CEFET-MG. Possui título de especialista em Revisão de Textos pelo IEC/ PUC MInas (2012) e licenciatura dupla em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (2006). Concluiu dois semestres de extensão em Língua Inglesa pelo Oakton Community College em Chicago/EUA (2008). É servidora pública federal; atua no cargo de Secretária Executiva Bilingue do Departamento de Linguagem e Tecnologia do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). Trabalha também como revisora e tradutora freelancer de textos acadêmicos, jornalísticos, institucionais e publicitários.

Share |

Referências

ABRANTES, Felipe Vinícius de Paula. A bola no “pé do morro”: o futebol como campo de possibilidades de lazer no Morro do Papagaio em Belo Horizonte – MG. Tese (Doutorado em Estudos do Lazer), FEFFTO, UFMG, Belo Horizonte, 2021.

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2010.

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO. Acervo cartográfico do APM. Planta Geral da Cidade de Minas. Disponível em: shorturl.at/nKX59. Acesso em: 9 nov. 2022.

BIAGI, Diego Fernandes de. Amadores, profissionais e varzeanos: os significados das práticas futebolísticas na cidade de São Paulo e os clubes da comunidade. Dissertação (Mestrado em História), ECS, FGV, Rio de Janeiro, 2017.

CHARAUDEAU, Patrick. Os estereótipos, muito bem. Os imaginários, ainda melhor. Traduzido por André Luiz Silva e Rafael Magalhães Angrisano. Entrepalavras, Fortaleza, 571-591, 2017.

D’ANDREA, Tiaraju. Contribuições para a definição dos conceitos periferia e sujeitos e sujeitas periféricos. Novos estudos. CEBRAP, n. 39, v. 1, jan. 2020, p. 19-36.

FOUCAULT, Michel. Dits et écrits II-1976-1988. Paris: Gallimard, 2001.

GOMES, Lívio Rodrigues. Entre campos e cantos: para uma sociologia do futebol amador. Dissertação (Mestrado em Sociologia), FAFICH, UFMG, Belo Horizonte, 2013.

GUERRA, Viviane Nogueira de Azevedo. Violência de pais contra filhos: a tragédia revisitada. 3 ed. São Paulo: Cortez, 1998.

HIRATA, Daniel Veloso. O futebol varzeano: práticas sociais e disputas pelo espaço em São Paulo. 2005. 85 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia), FFLCH, USP, São Paulo, 2005.

JULIÃO, Letícia. Belo Horizonte: itinerários da cidade moderna (1891-1920). In: DUTRA, Eliana de Freitas (Org). BH: horizontes históricos. Belo Horizonte: C/ARTE, 1996, v. 1, p. 49-105.

KRUG, Etienne G. et al. (eds). World report on violence and health. Geneva: World Health Organization, 2002.

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. Tradução de Sírio Pos-senti. São Paulo: Parábola, 2008.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em Análise do Discurso. 3 ed. Campinas: Pontes/Editora da Unicamp, 1997.

MYSKIW, Mauro. Nas controvérsias da várzea: trajetórias e retratos etnográficos em um circuito de futebol da cidade de Porto Alegre. Tese (Doutorado em Ciências do Movimento Humano), UFRGS, Porto Alegre, 2012.

PIMENTA, Rosângela Duarte. Desvendando o jogo: futebol amador e pelada na cidade e no sertão. Tese (Doutorado em Sociologia), CFCH, UFPE, Recife, 2009.

RIBEIRO, Raphael Rajão. A bola, as ruas alinhadas e uma poeira infernal: os primeiros anos do futebol em Belo Horizonte (1904-1921). Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2018.

RIBEIRO, Raphael Rajão. A várzea e a metrópole: futebol amador, transformação urbana e política local em Belo Horizonte (1947-1989). Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais), FGV, Rio de Janeiro, 2021.

RIBEIRO, Raphael Rajão. Festivais esportivos varzeanos em Belo Horizonte: memória social da cultura futebolística popular. FuLiA/UFMG, v. 3, p. 10-36, 2019.

SANTOS, Alberto Luiz dos. O samba como patrimônio cultural em São Paulo (SP): as batucadas de beira de campo e o futebol de várzea. Tese (Doutorado em Geografia Humana), FFLCH, USP, São Paulo, 2021.

SANTOS, Alberto Luiz dos; BONFIM, Aira; SPAGGIARI, Enrico. Mapeamento do futebol de várzea de São Paulo (SP): reflexões para processos de proteção ao patrimônio. Revista Desenvolvimento Social, v. 28, n. 1, p. 122-152, 2022.

SPAGGIARI, Enrico. Família joga bola: constituição de jovens futebolistas na várzea paulistana. Tese (Doutorado em Antropologia Social), FFLCH, USP, São Paulo, 2015.