Metodologias para a criação de indicadores socioambientais em unidades de planejamento em bacias hidrográficas

o caso da bacia do Mucuri - MG

Autores

  • Ricardo Alexandrino Garcia Universidade Federal de Minas Gerais
  • Marcos Antônio Nunes Instituto de Geociências Aplicadas
  • Felipe Bertelli de Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13330

Palavras-chave:

Indicadores Socioambientais, Mucuri, Vulnerabilidade Social, Infraestrutura Urbana

Resumo

O presente artigo tem como objetivo elaborar um diagnóstico sobre as condições econômicas e socioambientais dos municípios que integram a bacia hidrográfica do Mucuri em Minas Gerais, com o intento de criar subsídios para o planejamento regional. Esse diagnóstico foi composto por metodologias variadas pautadas em índices capazes de representar uma realidade multidimensional e muitas vezes complexa em uma medida única. Os indicadores sintéticos de desigualdade social e segregação socioespacial tratados no artigo são: potencial de Inserção municipal (PIM), índice de inserção social familiar (ISF), potencial turístico regional (PTR), índice de vulnerabilidade social (IVS), índice de infraestrutura urbana (IU) e o Potencial socio-turístico-ambiental (PSTA). Por fim, procurou-se elaborar um indicador sintético de desigualdade e segregação socioespacial tendo por base dois conceitos chaves para o entendimento e operacionalização desse indicador: a vulnerabilidade social e o acesso à infraestrutura urbana. Os diversos índices representados nesse trabalho são tentativas de identificar fatores que caracterizam as desigualdades socioespaciais no território analisado, podendo ser aplicado em outras regiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Alexandrino Garcia, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor Adjunto do Departamento de Geografia do IGC/UFMG.

Marcos Antônio Nunes, Instituto de Geociências Aplicadas

Geógrafo/Pesquisador do Instituto de Geociências Aplicadas.

Felipe Bertelli de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestrando em Geografia - IGC/UFMG.

Referências

ACERENZA, M. A. Promoção turística: um enfoque metodológico. São Paulo: Pioneira, 1991.

ACSELRAD, Henri. Políticas ambientais e construção democrática. In: VIANA, G.; SILVA, M.; DINIZ. N. (Orgs.). O desafio da sustentabilidade: um debate sócio-ambiental no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001.

BARRETTO, Margarita. Planejamento e organização do turismo. Campinas-SP: Papirus, 1991.

___. Manual de iniciação ao estudo do turismo. 12. Ed. Campinas-SP: Papirus, 2002. (Coleção Turismo)

CARVALHO, J. A. M., GARCIA, R. A. Projeção anual da população das unidades de planejamento (up’s) do município de Belo Horizonte, segundo sexo e idade simples, entre 2000 e 2010. In: LEMOS, M. B., DINIZ, C. C., CARVALHO, J. A. M. Disponível em: . Acesso em: 5 set. 2012.

CHRISTOFOLETTI, Antonio. Geomorfologia. 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1980.

___. Modelagem de sistemas ambientais. São Paulo: E. Blücher, 1999. FJP. Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 2003. (1 CD-ROM)

GARCIA, R. A.; MATOS, R. Densidade populacional urbana e fluxos migratórios: um modelo de estimação da área urbana dos municípios brasileiros. In: IV ENCONTRO NACIONAL SOBRE MIGRAÇÃO, IV. Anais... Rio de Janeiro, Abep, 2005.

GARCIA, Ricardo Alexandrino, MATOS, R. Evolução da inserção socioespacial das famílias brasileiras e os movimentos migratórios microrregionais de curto prazo In: VI ENCONTRO NACIONAL DE MIGRAÇÕES, 2009. Anais..., Belo Horizonte: abep, 2009.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Formação sócio-espacial e questão ambiental no Brasil. In BECKER, Berta. et al. (Orgs.). Geografia e meio ambiente no Brasil. São Paulo: Hucitec/UGI, 1995. p. 309-333.

IBGE, Censo Demográfico de 1970, 1980, 1991 e 2000. Rio de Janeiro: IBGE, sd. (CD-ROM). IGA- INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS. Desenvolvimento ambiental de Ouro Preto: microbacia do ribeirão do Funil. Belo Horizonte: IGA/SEAE, 1995.

IGNARRA, Luiz Renato. Fundamentos do turismo. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.

JANNUZZI, P. M. Projeções Populacionais para Pequeníssimas Áreas: método e resultados para os distritos da cidade de São Paulo em 2010. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 13, 2002, Ouro Preto, MG. Violência, estado e qualidade de vida da população Brasileira. Belo Horizonte: ABEP, 2002. (Disponível em CD-ROM).

JANNUZZI, Paulo de Martino. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. 3. ed. Campinas-SP: Alínea, 2004.

MARANDOLA JUNIOR, Eduardo; HOGAN, Daniel Joseph. Vulnerabilidade do lugar vs. vulnerabilidade sociodemográfica: implicações metodológicas de uma velha questão. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, p.161- 181, jul. 2009.

MARTINE, George. População, meio ambiente e desenvolvimento: o cenário global e nacional. In MARTINE, George. População, meio ambiente e desenvolvimento: verdades e contradições. Campinas: Editora Unicamp, 1993. p.21-42.

MARTINS, Angela Maria Moreira et. al. Criando o turismo no município de São José do Vale do Rio Preto, RJ. Caderno Virtual de Turismo, v. 4, n.2, 2004.

MIRANDA-RIBEIRO, Adriana; GARCIA, Ricardo Alexandrino. Segregação socioespacial em Belo Horizonte: uma aplicação de modelos difusos. Geografias, Belo Horizonte, v.1, n. 1, p. 86-97, jul./dez. 2005.

MIRANDA-RIBEIRO, Adriana de; GARCIA, Ricardo Alexandrino. Segregação social em Belo Horizonte: uma comparação entre dois métodos de fuzzy clustering. In: XIII SEMINÁRIO SOBRE ECONOMIA MINEIRA, 2008, Diamantina. Anais. Belo Horizonte: CEDEPLAR, 2008.

NAHAS, Maria Inês Pedrosa. Indicadores de desenvolvimento urbano. In: Anuário Estatístico de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, Secretaria Municipal de Planejamento, Departamento de Informações Técnicas, 2001. 1 v. il. Seção 4, p. 4.5-4.23.

NUNES, Marcos Antônio. Diagnóstico socioambiental da bacia do Mucuri em Minas Gerais: geohistória, (re)estruturações espaciais, desenvolvimento humano e econômico. Belo Horizonte: IGA, 2007. (Proposta de projeto endogovernamental).

NUNES, Marcos A.; MARTINS, Marcos Lobato. “O povo saía quando o recurso era pouco”: migrações rurais do médio Jequitinhonha para o vale do Pampa na primeira metade do século XX. Seminário Visões do Vale, 4, 2009, Belo Horizonte. Disponível em: . Acesso em: 5 set. 2012.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE. Estudo sobre os impactos oriundos de iniciativas localizadas no eixo norte da RMBH e definição de alternativas de desenvolvimento econômico, urbano e social para o município de Belo Horizonte. Belo Horizonte: PBH, 2008 (Projeto 12562 – PBH–SMPL/FUNDEP).

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. São Paulo: Edusp. 2002.

TELES, Reinaldo Miranda de Sá. A importância do território na prática do planejamento turístico: reflexões acerca do Brasil. In: RUSCHMANN, Doris; SOLHA, Karina Toledo (Orgs.). Planejamento turístico. Barueri-SP: Manole, 2006. Cap. 3, p. 45-65.

VAINER, Carlos B. População, meio ambiente e conflito social na construção de hidrelétricas. In: MARTINI, George (Org.). População, meio ambiente e desenvolvimento: verdades e contradições. Campinas: Editora Unicamp, 1993.

VIOLA, Eduardo J.; LEIS, Hector R. A evolução das políticas ambientais no Brasil, 1971:1991: do bissetorialismo preservacionista para o multissetorialismo orientado para o desenvolvimento sustentável. In: HOGAN, Daniel Joseph; VIEIRA, Paulo Freire. Dilemas socioambientais e desenvolvimento sustentável. Campinas-SP: Ed. Unicamp, 1992.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Como Citar

Garcia, R. A., Nunes, M. A., & Oliveira, F. B. de. (2012). Metodologias para a criação de indicadores socioambientais em unidades de planejamento em bacias hidrográficas: o caso da bacia do Mucuri - MG. Revista Geografias, 64–83. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13330

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)