Sistemas geodésicos de referência adotados no Brasil e a conversão dos dados geográficos para o sistema oficial SIRGAS2000: transformações e avaliação de erros

Autores

  • André Ferreira Borges IGC/UFMG mestrado em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais
  • Marcos Antonio Timbó Universidade Federal de Minas Gerais
  • Marcelo Antonio Nero Universidade Federal de Minas Gerais
  • Plínio da Costa Temba Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X%20..13414

Palavras-chave:

Geodésia, Sistema Geodésico de Referência, SIRGAS2000

Resumo

A evolução tecnológica e científica propiciou o
melhoramento dos Sistemas Geodésicos de Referência
(SGR) ao longo do tempo, tanto no aspecto de definição,
como no de realização do sistema. Dessa maneira, o
presente trabalho aborda a utilização de diferentes SGR
usados no Brasil. O assunto carece de discussões
consistentes com relação à produção e uso de dados
cartográficos no Brasil, tendo em vista que é tema pouco
conhecido ou relegado a segundo plano por muitos
profissionais que lidam com análises de dados
geográficos. O desconhecimento ou subestimação do
SGR pode causar erros nos produtos cartográficos e nas
análises decorrentes, se os dados espaciais forem
transformados de maneira inadequada. Assim, os
produtos cartográficos nacionais existentes estão
referenciados com base em diferentes sistemas, a saber:
Córrego Alegre (realizações 1961 e 1970/1972), Astro
Datum Chuá, SAD69 (realização inicial, realização 1996,
realização técnica Doppler ou GPS), e por último, o
SIRGAS2000 (materialização 2000,4) que é o sistema
oficial atualmente em vigor. Neste contexto, o presente
trabalho tem como objetivo fazer uma discussão analítica
dos diversos Sistemas Geodésicos de Referência
historicamente usados no Brasil e apresentar uma
abordagem comparativa das discrepâncias de
coordenadas entre eles com base em estudo de caso no
município de Nova Lima - MG. O estudo conclui que a
existência de metadados, o entendimento apropriado dos
Sistemas Geodésicos de Referência e uma análise local
criteriosa são indispensáveis para obter bons resultados
nas análises espaciais que requerem conversão de SGR.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-01-27

Como Citar

Borges, A. F., Timbó, M. A., Nero, M. A., & Temba, P. da C. (2017). Sistemas geodésicos de referência adotados no Brasil e a conversão dos dados geográficos para o sistema oficial SIRGAS2000: transformações e avaliação de erros. Revista Geografias, 45–63. https://doi.org/10.35699/2237-549X .13414

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)