Métodos de cartografia e geoprocessamento aplicados na gestão de inconsistências de limites intermunicipais - estudo de caso entre Nova Lima e Belo Horizonte, MG

  • André Ferreira Borges
  • Marcos Antonio Timbó Elmiro
  • Marcelo Antonio Nero
  • Plínio da Costa Temba
  • Cláudia Constantina Saltarelli Saraiva

Resumo

Técnicas de sensoriamento remoto,
geoprocessamento e modelagem de dados
geográficos são imprescindíveis para o planejamento
nas diferentes esferas governamentais. Contudo,
mesmo com a disseminação dessas tecnologias
nas atividades de mapeamento e cadastro, são
muito escassos, no Brasil, estudos aplicados na
gestão de inconsistências de limites municipais.
Muitos limites foram descritos pela última vez na
década de 1950, usando uma linguagem coloquial
que delimita as fronteiras fazendo referências a
acidentes geográficos. Nos dias atuais, ocorrem
problemas causados pelas descaracterizações
desses acidentes por ação da urbanização, da
mineração e de outros fatores que modificam
severamente a paisagem geográfica. Alem disso,
existem indeterminações relacionadas à produção
cartográfica que serve de base para o mapeamento
dos limites. As bases cartográficas podem ter sido
geradas em diferentes tipos de Sistemas Geodésicos,
o que pode causar distorções e incompatibilidades
nas análises subsequentes. Alterações nos limites
trazem implicações econômico-financeiras para
os municípios, portanto foi examinada também a
questão econômica envolvida na região de estudo
a fim de avaliar as possíveis perdas advindas de
modificação dos limites. Neste contexto, o presente
trabalho tem como objetivo identificar fatores que
dificultam a demarcação de divisas entre municípios
e propor uma metodologia para redelimitação de
divisas com foco no estudo de caso da divisa entre
Nova Lima e Belo Horizonte.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-03-04
Seção
Artigos