As aljamias hebraicas, sistemas de escrita híbridos

  • Aléxia Teles Duchowny Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Antonieta A. de M. Cohen Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Sistemas de escrita, Línguas judaicas, Aljamia

Resumo

As aljamias hebraicas são o resultado da mistura do sistema de escrita latino e do sistema de escrita hebraico, juntamente à criação de regras intrínsecas a essa nova escrita. Objetiva-se compreendê-las com maior clareza, tomando-se como ponto de referência o manuscrito judaico do século 15 De magia (Ms. Laud Or. 282, Bodleian Library). Para tal, o sistema de chegada – a aljamia hebraica – será comparada com os sistemas de partida – o hebraico e o português. Verifica-se que o sistema latino é o mais redundante, o mais completo, porém o menos econômico dos sistemas de escrita. Já o hebraico é o menos redundante, o menos completo e o mais econômico dentre eles, ficando a aljamia em um ponto intermediário entre os dois extremos. Sistema híbrido, porém eficaz meio de comunicação, permitindo a legibilidade satisfatória do texto aljamiado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aléxia Teles Duchowny, Universidade Federal de Minas Gerais
licenciada em Letras-Francês pela Universidade Federal de Minas Gerais (1996), mestre em Letras-Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000) e doutora em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007), com bolsa-sanduíche na Hebrew University of Jerusalem.
Maria Antonieta A. de M. Cohen, Universidade Federal de Minas Gerais
possui graduação em Letras-Português/Alemão pela Universidade Federal de Minas Gerais (1973), mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (1982), doutorado em Linguística Histórica pela Universidade Estadual de Campinas (1990) e pós-doutorado pela Université Stendhal, Centre de Dialectologie, Grenoble, França (1996-1997).

Referências

BEREZIN, R. Dicionário hebraico-português. São Paulo: Edusp, 1995.

BYNON, T. Historical linguistics. Oxford: CUP, 1986.

CAGLIARI, L. C. Alfabetização & linguística. São Paulo: Scipione, 2000.

CAGLIARI, L. C. A história do alfabeto. São Paulo: Paulistana, 2009.

DIRINGER, D. A escrita. Lisboa: Verbo, 1968.

DUCHOWNY, A. T. De magia (Ms. Laud Or. 282, Bodleian Library): edição e estudo. 2007. 323 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

DUCHOWNY, A. T. Astrologia e manuscritos medievais judaicos: interfaces. Agália, n. 101, p. 35-55, 2010a.

DUCHOWNY, A. T. De magia (Ms. Laud Or. 282, Bodleian Library): descrição codicológica. Caligrama, v. 15, n. 2, p. 89-109, 2010b. Disponível em: <http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/caligrama/article/view/35>. Acesso em: 11 maio 2012.

DUCHOWNY, A. T. De magia (Ms. Laud Or. 282, Bodleian Library): representação grafemática e transcrição. Filologia e linguística portuguesa, v. 1, n. 14, 2012. (No prelo).

ENCICLOPEDIA Judaica Castellana. México: Enciclopedia Judaica Castellana, 1950. v. 7.

ESCOLAR, H. (Dir.). Los manuscritos españoles. Madrid: Fundación Sanchéz Ruipérez/Pirámide, 1993.

GONZÁLEZ LLUBERA, I. Tow old astrological texts in Hebrew characters. Romance Philology, n. 6, p. 267-272, 1952.

HEGYI, O. Reflejos del multiculturalismo medieval: los tres alfabetos para la notación del iberroromance. Nueva Revista de Filología Española, n. 30, p. 92-103, 1981.

HOUAISS, A.; VILLAR, M.; FRANCO, F. M. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

LAMBERT, M. Traité de grammaire hébraïque. Paris: PUF, 1946.

LOPES, D. Textos em aljamía portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional, 1897.

MINERVINI, L. Testi giudeospagnoli medievali. Napoli: Liguori, 1992.

QUINTANA, A. Judeo-Spanish in contact with Portuguese. In: AMARAL, P.; CARVALHO, A. M. (Ed.). Portuguese-Spanish interfaces: diachrony, synchrony and contact. John Benjamins, 2014. p. 65-94.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Diccionario de la lengua española. Disponível em: <http://www.rae.es/rae.html>. Acesso em: 17 out. 2012.

SAMPSON, G. Sistemas de escrita: tipologia, história e psicologia. São Paulo: Ática, 1996.

SHANNON, C. E.; WEAVER, W. The mathematical theory of communication. Urbana: University of Illinois Press, 1949.

SAUSSURE, F. de. Cours de lingüistique générale. Paris: Payot, 1985.

SIRAT, C. Hebrew manuscripts of the Middle Ages. Cambridge: CUP, 2002.

STROLOVITCH, D. Old Portuguese in Hebrew script: convention, contact and convivência. 2005. 447 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Cornell University, 2005. Disponível em: <http://www.jmrg.org/strolovitch/disspage/> Acesso em: 26 jun. 2011.

STROLOVITCH, D. Selections from a Portuguese treatise in Hebrew Script: o Livro de como se fazen as cores. Cornell Working Papers in Linguistics, n. 17, p. 185-196, 2000.

TEYSSIER, P. Les textes en ‘aljamia’ portugaise; ce qu’ils nous apprennent sur la prononciation du portugais au début do XVIe siècle. Atti XIV Congreso Internazionale di Linguistica e Filologia Romanza. Napoli: Gaetano Macchiaroli, p. 181-196, 1977.

TRASK, R. L. Dicionário de linguagem e linguística. São Paulo: Contexto, 2004.

WEINREICH, U. Languages in contact. New York: Mouton, 1967.

Publicado
2015-05-30
Como Citar
Duchowny, A. T., & Cohen, M. A. A. de M. (2015). As aljamias hebraicas, sistemas de escrita híbridos. Arquivo Maaravi: Revista Digital De Estudos Judaicos Da UFMG, 9(16), 2-16. https://doi.org/10.17851/1982-3053.9.16.2-16