O romance Ver: Amor e as listas do trauma

  • Breno Fonseca Rodrigues Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
Palavras-chave: Literatura, Shoah, Memória

Resumo

Este artigo faz uma análise do romance Ver: Amor, de David Grossman, buscando destacar algumas referências a enciclopédias, listas, coleções e verbetes, em relação à catástrofe que ocorreu na Segunda Guerra Mundial. Pode-se dizer que há, no romance, uma tentativa de circunscrever a Shoah por meio da escrita. Assim, busca-se analisar as pistas que o escritor fornece, da tentativa de rememorar e refletir sobre o mundo antes, durante e, principalmente, depois dos horrores da Shoah.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Fonseca Rodrigues, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

graduando em Letras pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) e pesquisador do Núcleo de Estudos Judaicos da Universidade Federal de Minas Gerais (NEJ/UFMG).

Referências

BELLEI, Sérgio Luiz Prado. Hipertexto e literatura. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012. p. 75-93.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio. Trad. Ivo Barroso. Companhia das Letras, 1990.

CARVALHO, Isaías Jr. Mito, razão e encantamento na obra de Bruno Schulz. In: LEWIN, Helena (Coord.). Judaísmo e globalização: espaços e temporalidades. Rio de Janeiro: 7Letras, 2010. p. 211-218.

GAGNEBIN, Janne Marie. O rastro e a cicatriz: metáforas da memória. ProPosições / Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação: Campinas, v. 13, n. 3, p. 125-133, set./dez. 2002.

GROSSMAN, David. Ver: Amor. Trad. Nancy Rozenchan. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MACIEL, Maria Esther. Do inclassificável e das classificações. In: ______. As ironias da ordem: coleções, inventários e enciclopédias ficcionais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009. p. 14-30.

NASCIMENTO, Lyslei. Museu e Shoá: dever e memória. In: NASCIMENTO, Lyslei e JEHA, Julio (Org.). Estudos judaicos: Shoá, o mal e o crime. São Paulo: Humanitas, 2012. p. 165-190.

NASCIMENTO, Lyslei. Ver: Shoá – o romance e a enciclopédia em David Grossman. In: LEWIN, Helena (Coord.). Judaísmo e globalização: espaços e temporalidades. Rio de Janeiro: 7Letras, 2010. p. 205-210.

NICHANIA, Marc. A morte da testemunha. Para uma poética do “resto”. In: GINZBURG, Jaime, HARDMAN, Francisco Foot, SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Escritas da violência. Rio de Janeiro. 7 Letras, 2012. p. 13-49.

ROZENCHAN, Nancy. A Shoá na literatura israelense: Romance de família, de Edna Mazya. In: NASCIMENTO, Lyslei e JEHA, Julio (Org.). Estudos judaicos: Shoá, o mal e o crime. São Paulo: Humanitas, 2012. p. 196-205.

SELIGMAN-SILVA, Márcio. Política memória e testemunho: gênero, violência e os limites da representação. In: OLINTO, Heidrun Krieger e SCHOLLHAMMER, Karl Erik (Org.). Literatura e crítica. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009. p. 85-123.

WALDMAN, Berta. A memória vicária em Ver: Amor, de David Grossman. In: WALDMAN, Berta, KIRSCHBAUM, Saul (Org.). Ensaios sobre a literatura israelense contemporânea. São Paulo: Humanitas, 2011. p. 187-202.

Publicado
2015-05-30
Como Citar
Rodrigues, B. F. (2015). O romance Ver: Amor e as listas do trauma. Arquivo Maaravi: Revista Digital De Estudos Judaicos Da UFMG, 9(16), 39-46. https://doi.org/10.17851/1982-3053.9.16.39-46