Borges freudiano, Freud borgiano: o pai, a cegueira e o recalque

  • Ana Cecília Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Resumo

Este artigo realiza uma leitura do tom céptico e crítico que Jorge Luis Borges utiliza para referir-se à psicologia e à psicanálise. Muitas vezes, especialmente em seus ensaios e conferências, é pela omissão insistente a qualquer menção à contribuição psicanalítica, justo naqueles temas que reconhecidamente se incluem entre os objetos de estudo mais pesquisados pela psicanálise, como o sonho, por exemplo, que se acaba tendo a impressão de que, em sua desconsideração pela psicanálise, o escritor estaria, na verdade, expressando sua posição desfavorável em relação ao saber psicanalítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cecília Carvalho, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Professora aposentada da Universidade Federal de Minas Gerais, escritora e psicanalista.

Referências

ADRIÁN, Huici N. Jorge Luis Borges, teoria y práctica de la intertextualidade. Anthropos: Revista de documentación científica de la cultura, Madrid, n. 142/143, mar./abr., p. 45-54, 1993.

BORGES, Jorge Luis. Elogio da sombra. Perfis: um ensaio autobiográfico. Trad. Maria da Glória Bordini. Porto Alegre: Globo, 1977.

BORGES, Jorge Luis. Elogio de la sombra. Buenos Aires: Emecé, 1969.

BORGES, Jorge Luis. L’auteur et autres textes _ El hacedor. Paris: Gallimard, 1965.

BORGES, Jorge Luis. Otras inquisiciones. Madrid: Alianza, 1981.

BORGES, Jorge Luis. Sete noites. Trad. João Silvério Trevisan. São Paulo: Max Limonad, 1985.

FREUD, Sigmund. A interpretação dos sonhos. Edição Standard das Obras Completas de S. Freud. Trad. Walderedo Ismael de Oliveira. Rio de Janeiro: Imago, 1972.

KRISTEVA, Julia. Sol negro. Trad. Carlota Gomes. Rio de Janeiro: Rocco, 1989.

MASSON, Jeffrey M. (Ed.). A correspondência completa de S. Freud para W. Fliess. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Imago, 1986.

NUÑO, Juan. La filosofia de Borges. México: Fondo de Cultura Económica, 1986.

POMMER, Mauro Eduardo. O tempo mágico em Jorge Luis Borges. Florianópolis: Editora da UFSC, 1991.

PONTALIS, Jean-Bertrand. Perder de vista. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1991.

SOUZA, Eneida M. A biblioteca de Borges. Cenário: psicanálise e cultura, Belo Horizonte, GREP, n. 2, 1993.

SOUZA, Eneida Maria de. Traço crítico. Belo Horizonte/Rio de Janeiro: Editora da UFMG/ Editora da UFRJ, 1993.

STEIN, Conrad. O psicanalista e seu ofício. Trad. Nelson da Silva Jr.. São Paulo: Escuta, 1988.

YURKIEVICH, Saul. De lo gnómico a lo mítico (sobre algunas asombrosas mixturas). Anthropos: Revista de Documentación Científica de la Cultura. Madrid, n. 142/143, mar./abr., p. 54-58, 1993.

Publicado
2018-11-28
Como Citar
Carvalho, A. C. (2018). Borges freudiano, Freud borgiano: o pai, a cegueira e o recalque. Arquivo Maaravi: Revista Digital De Estudos Judaicos Da UFMG, 12(23), 14-31. https://doi.org/10.17851/1982-3053.12.23.14-31