A gênese de O Diário de Anne Frank – um legado para a humanidade

  • Elcio Loureiro Cornelsen Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Nossa contribuição visa a uma breve apresentação da gênese de O diário de Anne Frank, uma das obras mais lidas desde sua primeira publicação, no final dos anos 1940. Além de enfocarmos as estações da vida de Anne Frank e de sua família, desde a fuga da Alemanha em 1933, a vida na Holanda e o confinamento em um esconderijo a partir de 1942, quando Amsterdã foi invadida por tropas do exército alemão, até a prisão e a deportação para os campos de concentração e de extermínio nazistas em agosto de 1944, discorreremos também sobre as especificidades das quatro versões do diário, bem como sobre algumas estratégias adotadas por Anne Frank para produzir seu relato íntimo sobre as agruras do confinamento e de um mundo que desmoronava a sua volta.

Biografia do Autor

Elcio Loureiro Cornelsen, Universidade Federal de Minas Gerais
Professor da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ABREU, Denise Borille de. Fronteiras de identidades: a escrita do eu em ‘O diário de Anne Frank’. Anuari de Filologia. Literatures Contemporànies. Barcelona, v. 6, 2016, p. 63-70. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2019.

CHRONOLOGIE DES HOLOCAUST. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2019.

DAS HINTERHAUS. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2019.

DAS KURZE LEBEN VON ANNE FRANK. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2019.

ERWIN, Steve; ILIBAGIZA, Imaculée. Sobrevivi para contar: o poder da fé me salvou de um massacre. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

FILIPOVÍC, Zlata. O diário de Zlata: a vida de uma menina na guerra. Trad. Antonio de Macedo Soares, São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

FOUCAULT, Michael. A escrita de si. In: _____. O que é um autor? Trad. Antônio Fernando Cascais e Eduardo Cordeiro. Lisboa: Passagens; Vega, 1992. p. 129-160.

FRANK, Anne. Anne Frank Tagebuch. Ed. de Otto H. Frank e Mirjam Pressler. Trad. Mirjam Pressler. Frankfurt a.M.: Fischer, 1994.

FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. Trad. Ivanir Alves Calado. Rio de Janeiro; São Paulo: Record, 2004.

GOES, Albrecht. Vorwort. In: FRANK, Anne. Das Tagebuch der Anne Frank. Trad. Anneliese Schütz, Frankfurt a.M.: Fischer, 1975. p. 5-6.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. Trad. Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LAMB, Christina; YOUSAFZAI, Malala. Eu sou Malala: a história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

LUGOVSKAIA, Nina. O diário de Nina: o terror stalinista nos cadernos de uma menina soviética. Trad. Joana Angélica D’Ávila Melo, Rio de Janeiro: Ediouro, 2005.

MUKHINA, Lena. O diário de Lena: a história real de uma adolescente durante a Segunda Guerra. Trad. Jorge Bastos. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2015.

PRESSLER, Mirjam. Nachwort. In: FRANK, Anne. Anne Frank Tagebuch. Ed. de Otto H. Frank e Mirjam Pressler. Trad. Mirjam Pressler. Frankfurt a.M.: Fischer, 1994a. p. 315-316.

PRESSLER, Mirjam. Zu diesem Buch. In: FRANK, Anne. Anne Frank Tagebuch. Ed. de Otto H. Frank e Mirjam Pressler. Trad. Mirjam Pressler, Frankfurt a.M.: Fischer, 1994b. p. 5-7.

SATRAPI, Marjane. Persépolis. Trad. Paulo Werneck, São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Publicado
2019-05-29
Como Citar
Cornelsen, E. L. (2019). A gênese de O Diário de Anne Frank – um legado para a humanidade. Arquivo Maaravi: Revista Digital De Estudos Judaicos Da UFMG, 13(24), 37-54. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/maaravi/article/view/14538