Ensino do Filo Porifera em região de espongiofauna: o ambiente imediato em aulas de Ciências

  • George Joaquim Garcia Santos Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Ciências Biológicas, Departamento de Zoologia.
  • Ulisses dos Santos Pinheiro Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Ciências Biológicas, Departamento de Zoologia.
  • Julio César Castilho Razera Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, DCB - Departamento de Ciências Biológicas.
Palavras-chave: Ensino de Zoologia, Meio Ambiente, Invertebrados, Esponjas, Baía de Camamu

Resumo

O ensino de Zoologia na Educação Básica não deve focar a memorização de nomes e de características morfofisiológicas. Para uma aprendizagem significativa, espera-se  que um estudo contextualizado da fauna regional, aproveitando-se do ambiente  imediato, seja contemplado nas aulas de Ciências, notadamente em regiões de grande biomassa de determinados grupos animais. Com interesses voltados nesse tema, foi implementada uma pesquisa que teve o objetivo de delinear um perfil do ensino e do conhecimento de professores de Ciências e/ou Biologia, que lecionam sobre o Filo Porifera, em região de grande ocorrência de espongiofauna. Ao final deste estudo, além de mostrar aspectos formativos com lacunas impeditivas para uma percepção ampliada acerca desses animais, o perfil construído apresenta outras implicações que nos levam a refletir sobre o ensino de Zoologia e o ambiente imediato dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-04-14
Como Citar
Santos, G. J. G., Pinheiro, U. dos S., & Razera, J. C. C. (2013). Ensino do Filo Porifera em região de espongiofauna: o ambiente imediato em aulas de Ciências. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 12(3), 193-205. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4248