Aprendizagem e virtualidade

práticas possíveis na sociedade do conhecimento

Palavras-chave: Comunidades virtuais, Aprendizagem, Tecnologias digitais, Gamificação, Práticas

Resumo

Aprender, na sociedade contemporânea, representa uma prática complexa. O processo de aprendizagem encontra-se mais desenvolvido em modalidades a distância, por meio de tecnologias digitais, redes sociais, simulações e elementos de gamificação. Os mundos virtuais e de jogos são utilizados para simular situações reais dinâmicas e podem representar uma ferramenta de inovação muito útil para o desenvolvimento do ensino, da aprendizagem e da educação, na produção do conhecimento por meio da potenciação e do cultivo das comunidades de prática. Este trabalho se propõe uma reflexão sobre as potencialidades de algumas tecnologias digitais (TDs) para a construção de comunidades virtuais e o melhoramento contínuo dos processos de aprendizagem entre os participantes das mesmas comunidades. Um caso de sucesso mostra algumas tecnologias-conceitos para refletir sobre a aplicação das TDs nos processos de aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gaia Moretti, Libera Università Maria Santissima Assunta (LUMSA)

Professora na Universidade LUMSA, de Roma, Itália, no Laboratório Social Network. É PhD em Ciências da Comunicação e Organizações Complexas na mesma universidade. Foi professora na Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos) no MBA Datacom, nos cursos de Cultura Organizacional e Comunicação de empresa. Entre 2010 e 2013 foi professora no Instituto Superior de Comunicação Empresarial (Iscem), de Lisboa, na licenciatura e no mestrado em Comunicação Empresarial e Marketing. É sócia fundadora da empresa italiana de consultoria Ianus Consulting and Development, onde trabalha com processos e serviços de comunicação digital e social media, em particular para o desenvolvimento das energias renováveis.

Pierfranco Malizia, Libera Università Maria Santissima Assunta (LUMSA)

PhD em Sociologia da Cultura pela Universidade La Sapienza, de Roma, é professor de Sociologia no Departamento de Ciências Econômicas e Políticas da Universidade LUMSA, de Roma e professor visitante no Iscem, de Lisboa, e na Unisinos, de Porto Alegre. É membro da Associação Portuguesa de Sociologia e da Associação Italiana de Sociologia. Atua principalmente nas áreas das transformações sociais, da produção cultural e da comunicação. Publicou, dentre outros, os livros Contesti e dinamiche (Soveria Mannelli, 2011), Uncertain outines (Saarbrücken, 2012), Unir as forças (Universidade da Beira Interior, 2011), Marcas da sociedade (Curitiba, 2013), Into the box (Saarbrücken, 2015), Parole e prassi (Milão, 2015) e os artigos “Cultura, mídia e sociedade” (Revista FAMECOS, Porto Alegre, 2012) e “A arte social” (Atas do VII APS, Universidade de Porto, 2012).

Referências

CASTELLS, M. A sociedade em rede: São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTRONOVA E. Universi sintetici.Come le comunità online stanno cambiando la società e l’economia. Milano: Mondadori, 2007.

COSTA, G.; RULLANI, E. Il maestro e la rete: Milano: Etas, 1999.

DE KERCKHOVE, D. Brainframe. Bologna: Baskerville, 1993.

GENTILI, G. Apprendimento, esperienza e competenza[online]. Form@re, Erikson, n° 41. www.formare.erickson/archivio, 2006.

LAUX, L. C. P. D.; SCHLEMMER E. Anatomia no metaverso Second Life: colaboração e cooperação interdisciplinar e interinstitucional. Em: Anais do VIII CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO. 2011, São Leopoldo, Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisinos, 2011.

LEMOS, A. Comunicação e práticas sociais no espaço urbano:as caraterísticas dos dispositivos híbridos móveis de conexão multirredes (DHCMCM). Revista Comunicação, Media e Consumo, UFBA, 2007.

MALIZIA, P. Comunic-a-zioni. Milano: Franco Angeli, 2006.

MASSAROTTO, M. Social Network. Costruire e comunicare identità in rete. Roma: Apogeo, 2011.

MORETTI G. Comunidades virtuais de aprendizagem e de prática em metaverso.In: SCHLEMMER, E.; MALIZIA, P.; BACKES, L.; MORETTI, G. Comunidades de aprendizagem e de prática em metaverso. v. 1, p. 127-178, São Paulo: Editora Cortez, 2012.

RHEINGOLD, H. Comunità virtuali. Milano: Sperling & Kupfer, 1994.

SCHLEMMER, E. Ambiente virtual de aprendizagem (AVA):uma proposta para a sociedade em rede na cultura da aprendizagem. In:VALENTINI, C.B., SOARES DO SACRAMENTO, E.M., Aprendizagem em Ambientes Virtuais: compartilhando ideias e construindo cenários. Caxias do Sul, p. 135-160, 2005.

SCHLEMMER, E. Ecodi–a criação de espaços de convivência digital virtual no contexto dos processos de ensino e aprendizagem em Metaverso. IHU Ideias, São Leopoldo, ano 6. n. 103, p. 12-48, 2008.

SCHLEMMER, E.; MARSON, F. Immersive learning:metaversos e jogos digitais na educação. In: Anais da CISTI 2013 - 8 a CONFERÊNCIA IBÉRICA DE SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, 2013, Lisboa.

SCHLEMMER, E. Gamificação em espaços de convivência híbridos e multimodais: design e cognição em discussão. Revista FAEEBA, v. 23, p. 73-89. 2014.

TURKLE, S.Fronteiras do real e do virtual. Entrevista concedida a Federico Casalegno. Revista FAMECOS, n° 11, Porto Alegre, dezembro 1999.

VEEN, W.; VRAKKING, B. Homo zappiens. Growing up in a digital age. London: Network Continuum Education, 2006.

WENGER, E.Le comunità di pratica [online]. www.sbilf.wenger/index, 2005.

WENGER, E. Comunità di pratica. Apprendimento, significato, identità. Milano: Raffaello Cortina, 2006.

WENGER, E.; WHITE, N.; SMITH, J. D. Digital habitats. Stewarding technology for communities. Portland, Cpsquare, 2009.

Publicado
2016-01-07
Como Citar
MORETTI, G.; MALIZIA, P. Aprendizagem e virtualidade. Revista Docência do Ensino Superior, v. 5, n. 2, p. 129-152, 7 jan. 2016.
Seção
Artigos