Utilização de mapas conceituais como estratégia de inovação metodológica

relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2017.2136

Palavras-chave:

Mapas conceituais, Aprendizagem significativa, Difusão de inovações, Docência

Resumo

As constantes mudanças do mundo moderno e o avanço tecnológico têm impulsionado a educação a encontrar formas inovadoras para a promoção do saber. A construção dos mapas conceituais pode ser inovadora, auxiliando no processo ensino-aprendizagem baseado na ação ativa dos envolvidos. Assim, objetivamos relatar a utilização da metodologia de elaboração de mapas conceituais como ferramenta de ensino-aprendizagem na área da saúde, utilizando um relato de experiência docente. Participaram da experiência trinta alunos do 8º período de um curso noturno de graduação e uma monitora. Nossos resultados demonstraram que a utilização de mapas conceituais para sistematização de conceitos foi bem aceita pelos educandos e que essa estratégia é entendida como uma prática inovadora diferencial para a aprendizagem significativa sob o ponto de vista do educador. Concluímos que práticas metodológicas inovadoras, que permitem ao educando participar ativamente do processo de ensino-aprendizagem, podem se refletir na construção da carreira acadêmica e gerar impactos positivos à dinâmica profissional desse sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Rona Silva, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Doutora em Biomedicina pelo Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte (2013). Mestre em Ciências da Saúde pela UNINCOR/Betim (2009). Especialista em Urgência e Atendimento Pré-Hospitalar Móvel pela Universidade Estácio de Sá/BH (2006). Possui graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2005). Atualmente é professora adjunta do Departamento de Enfermagem Aplicada da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (EE/UFMG), no curso de Gestão de Serviços de Saúde. Membro titular no grupo de pesquisa do Núcleo de Gestão em Saúde (NUGES) da EE/UFMG e no grupo de pesquisa do Núcleo de Pesquisa em Enfermagem e Saúde (NUPES) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Marina Dayrell de Oliveira Lima, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (2015). Pós-graduada em Auditoria e Gestão da Qualidade Aplicada aos Serviços de Saúde pelo Centro Universitário UNA (2016).

Leila de Fátima Santos, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Doutoranda em Cirurgia e Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (2017). Mestre em Administração pela Faculdade Novos Horizontes (2010). Especialista em Enfermagem do Trabalho pela Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac (FELM) – Centro Educacional São Camilo (2007). Graduada em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2003). Atualmente é docente da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG) e do Instituto de Educação Continuada da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (IEC-PUC MINAS). Membro da Núcleo de Ensino da FCM-MG com foco no Planejamento e na Gestão de Estágios Obrigatórios.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

SILVA, K. R.; LIMA, M. D. de O.; SANTOS, L. de F. Utilização de mapas conceituais como estratégia de inovação metodológica: relato de experiência. Revista Docência do Ensino Superior, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 11-26, 2017. DOI: 10.35699/2237-5864.2017.2136. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/2136. Acesso em: 30 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos