Reflexões sobre a condução de uma oficina de escrita na pós-graduação

O contexto de produção de uma tese

Autores

  • Diego Pereyra Universidad de Buenos Aires (UBA UNLa), Buenos Aires, Argentina.
  • Noelia Cardoso Universidad de Buenos Aires (UBA IIGG), Buenos Aires, Argentina.

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2017.2243

Palavras-chave:

Experiência docente, Escrita acadêmica, Seminário de escrita de tese

Resumo

Este artigo surge da experiência registrada como professores sociólogos na condução de uma oficina de escrita denominada “a arte de escrever uma tese”, oferecida no doutorado em Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires (UBA), durante os primeiros quadrimestres dos anos de 2013 e 2014. A partir de um olhar crítico dos estudos culturais, procura-se reconstruir as decisões institucionais de promoção de oficinas, o acompanhamento que recebem os alunos, suas práticas e os imaginários que giram em torno da escrita da tese, entendendo a produção escrita como expressão de um contexto maior que impacta a lógica acadêmica. Por meio das reflexões sobre o contexto de produção, procura-se enriquecer o olhar sobre o ensino na pós-graduação e contribuir com o redesenho de cursos de escrita de tese.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Pereyra, Universidad de Buenos Aires (UBA UNLa), Buenos Aires, Argentina.

Es Sociólogo, Magíster en Investigación Social (UBA) y Doctor of Philosophy [PhD] (Department of Sociology, School of Social Sciences, University of Sussex at Brighton). Su área de investigación es la historia de la sociología y las tradiciones sociológicas como un campo de intersección de la historia intelectual, la sociología política y la sociología de la educación. Actualmente, es Investigador Adjunto del CONICET, con sede en el Instituto de Investigaciones Gino Germani, Facultad de Ciencias Sociales, UBA, y Coordinador de la Comisión en Historia de la Sociología, del Instituto de Investigaciones Sociológicas del Consejo de Profesionales en Sociología, Buenos Aires.

Noelia Cardoso, Universidad de Buenos Aires (UBA IIGG), Buenos Aires, Argentina.

Es Socióloga, realizó su maestría en Sociología de la Cultura en IDAES-UNSAM y es doctoranda en Ciencias Sociales (UBA). Es profesora del CBC y adjunta del seminario “El arte de escribir una tesis” en el doctorado de Ciencias Sociales. Se desempeña como investigadora auxiliar en el instituto de Investigaciones Gino Germani (UBA) en el equipo GEHES-HSSA y dirige el proyecto “Memoria histórica y práctica conmemorativa: Himnos, marchas y Rock and roll. Los centenarios patrios de 1910 y del 2010 como espacios de reelaboración de la identidad nacional”.

Publicado

2017-06-30

Como Citar

PEREYRA, D.; CARDOSO, N. Reflexões sobre a condução de uma oficina de escrita na pós-graduação: O contexto de produção de uma tese. Revista Docência do Ensino Superior, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 57-73, 2017. DOI: 10.35699/2237-5864.2017.2243. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/2243. Acesso em: 30 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos