Programa de excelência acadêmica (PROEX): um relato de como se tornar um professor formador na educação superior

Palavras-chave: Formação de professores. Ensino Superior. Estágio de docência.

Resumo

Amparadas pela abordagem metodológica da pesquisa qualitativa interpretativa e da pesquisa-ação, e à luz da teoria de aprendizagem situada, neste trabalho, por meio de um relato de experiência, analisamos se e como o Programa de Excelência Acadêmica (PROEX) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) fomenta a formação docente de alunos de pós graduação para o ensino superior. Os dados para este estudo foram gerados durante quatro meses em uma turma de estágio do curso de graduação em Letras em uma universidade federal no Sul do Brasil. O corpus deste trabalho é constituído por diários de campo gerados a partir dos encontros de feedback pós-observação das aulas realizados entre a professora supervisora, a aluna de pós-graduação e os estagiários. Os resultados apontam que, no contexto analisado, as práticas diárias do magistério vivenciadas por uma das autoras no estágio de docência contribuíram para a formação docente voltada à educação superior, a participação da estudante de pós-graduação aumentou em complexidade e engajamento e a aluna moveu-se de participante periférica para participante plena.

Biografia do Autor

Paula Cortezi Schefer Cardoso, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutoranda em Letras, com ênfase em Linguística Aplicada, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestre em Linguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), e graduada em licenciatura em Letras, habilitação em Língua Inglesa (UNISINOS).

Simone Sarmento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Terminologia e Lexicografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestre em Language Studies pela University of Lancaster e em Linguística Aplicada (UFRGS), e professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 34, de 30 de maio de 2006. Dispõe sobre o Regulamento do Programa de Excelência Acadêmica (PROEX). Brasília: MEC, 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Documento de Área: Letras e Linguística. Brasília: MEC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2017.

COHEN, Louis; MANION, Lawrence; MORRISON, Keith. Action research. In: COHEN, Louis; MANION, Lawrence; MORRISON, Keith. Research methods in education. 6. ed. New York: Routledge, 2007. p. 297-313.

ERICKSON, Frederick. Métodos cualitativos de investigación sobre la enseñanza. In: WITTROCK. Merldin C. La investigación de la enseñanza II: métodos cualitativos y de observación. Barcelona; Buenos Aires; México: Paidos, 1989.

ERICKSON, Frederick. Qualitative methods. In: LINN, Robert L.; ERICKSON, Frederick (Org.). Quantitative methods. New York: Macmillan, 1990. p. 75-194.

FRANCO, Maria Amélia S. Pedagogia da pesquisa-ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, set./dez. 2005.

GARRIDO PIMENTA, Selma. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-539, set./dez. 2005.

HALU, Regina C. O professor formador como objeto de pesquisa e o início das pesquisas no Brasil sobre formadores de professores de línguas estrangeiras. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 14, n. 1, p. 161-174, 2014.

LAVE, Jean. The practice of learning. In: LAVE, Jean; CHAIKLYN, Seth (Org.). Understanding of practice: Perspectives on Activity and Context. Cambridge: Cambridge University Press, 1993. p. 3-32.

LAVE, Jean. Teaching, as learning, in Practice. Mind, Culture, and Activity, v. 3, n. 3, p. 149-164, 1996.

LAVE, Jean. Aprendizagem como/na prática. Horizontes Antropológicos, n. 44, p. 37-47, 2015.

LAVE, Jean; WENGER, Etienne. Situated learning: Legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MANGABEIRA, Andréa B. A. Participação, identidade e variação na EJA: uso variável da concordância nominal de número como recurso simbólico e estilístico na construção de uma comunidade de prática na sala de aula de língua portuguesa. 2012. 208 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MASON, Jennifer. Qualitative researching. Londres: Sage, 1996.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1985.

WENGER, Etienne. Communities of Practice. New York: Cambridge University Press, 1998.

WENGER-TRAYNER, Etienne & Beverly. Communities of practice a brief introduction. p. 1-8. 2015.
Publicado
2018-12-10
Seção
Artigos