Projeto Político Pedagógico e a formação de professores/as de Matemática

projeções ideológicas para uma identidade docente

Palavras-chave: Projeto Político Pedagógico, Identidade docente, Curso de Matemática

Resumo

O artigo discute a identidade docente idealizada na formação de professores/as de Matemática. Para tanto, temos como objetivo geral: compreender o pensamento ideológico contido no Projeto Político Pedagógico (PPP) do curso de Matemática Licenciatura da Universidade Federal de Pernambuco, no que tange à identidade docente. Nas seções teóricas, se discute o conceito de identidade docente e os sentidos e significados do PPP. Na metodologia, evidenciamos o tipo e abordagem do estudo e a técnica de análise empregada, a saber: análise do conteúdo. A discussão sobre a identidade docente dos/as estudantes é realizada à luz do PPP do curso de Matemática Licenciatura (UFPE, 2017). Portanto, a partir dos conteúdos dele extraídos. Nas considerações, fechamos o artigo tecendo alguns entendimentos sobre o tema.

Biografia do Autor

Joais Martins Silva, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Mestre em Educação em Ciências e Matemática e pedagogo pela Universidade Federal de Pernambuco/Centro Acadêmico do Agreste (UFPE/CAA) e integrante do Laboratório de Pesquisa em Políticas Públicas, Currículo e Docência (LAPPUC/CNPq). É professor do quadro efetivo no município de Toritama – PE, onde leciona em anos iniciais de ensino.

Tânia Maria Goretti Donato Bazante, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Mestra em Educação e pedagoga pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). É professora adjunta da UFPE no Centro Acadêmico do Agreste/Núcleo de Formação Docente e do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM) e integrante do Laboratório de Pesquisa em Políticas Públicas, Currículo e Docência (LAPPUC/CNPq).

Referências

BRASIL. Resolução nº 02, de 01 de julho de 2015. Conselho Nacional de Educação. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/res_cne_cp_02_03072015.pdf. Acesso em: 04 dez. 2017.

BRZEZINSKI, Iria. Profissão Professor: Identidade e Profissionalização Docente. In:

BRZEZINSKI, Iria (org.). Profissão professor: Identidade e profissionalização

Docente. Brasília: Plano, 2002.

FAJARDO, Indinalva Nepomuceno. Resiliência e Educação: Exemplo das Escolas do Amanhã. Curitiba/PR: Appris, 2015.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. 2. ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2005.

FREIRE, Paulo. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1991.

GADOTTI, Moacir. Projeto Político Pedagógico da escola na perspectiva de uma educação para a cidadania. Transcrição do debate realizado na Conferência Nacional de Educação para Todos. Brasília, 1994.

GAUTHIER, Clermont et al. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Tradução Francisco Pereira. 2. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006.

GUIMARÃES, Orquídea Maria de Souza. O currículo do curso de pedagogia e sua influência na relação que estudantes-professores/as estabelecem com seus saberes da experiência. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

GUIMARÃES, Valter Soares. Professores e suas disposições em relação à profissão: um estudo a partir de docentes em exercício. Educativa, Goiânia, v. 10, n. 2, p. 261-274, jun./dez. 2007.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MOITA, Maria da Conceição. Percursos de formação e de trans-formação. NÓVOA, António (org.). Vidas de Professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2007.

MORGADO, José Carlos. Identidade e profissionalidade docente: sentidos e (im)possibilidades. Ensaio: Avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, 2011.

NASCIMENTO, Ivany Pinto; RODRIGUES, Sônia Eli Cabral. Representações sociais sobre a permanência na docência: o que dizem docentes do ensino fundamental? Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, e166148, 2018.

NÓVOA, António. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, António. Vidas de Professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2007.

NÓVOA, António. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, António (org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1999.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. O trabalho docente na América Latina: identidade e profissionalização. Retratos da escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 29-39, jan./dez. 2008.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

SACRISTÁN, Gimeno. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, António (org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1999.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Projeto Político Pedagógico do Curso de Matemática - Licenciatura, CAA, 2017. Disponível em: https://www.ufpe.br/documents/39114/0/PPC+Matem%C3%A1tica.pdf/8d7c46a3-9ee3-46ba-b043-a1b221d2a039. Acesso em: 23 out. 2018.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto político-pedagógico da escola de ensino médio e suas articulações com as ações da secretaria de educação. Anais do I Seminário Nacional: Currículo em Movimento – Perspectivas Atuais, Belo Horizonte, novembro de 2010.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção coletiva. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus, 1998.

Publicado
2019-07-03
Como Citar
SILVA, J. M.; BAZANTE, T. M. G. D. Projeto Político Pedagógico e a formação de professores/as de Matemática. Revista Docência do Ensino Superior, v. 9, p. 1-13, 3 jul. 2019.
Edição
Seção
Artigos