Aprendizagem Baseada em Projetos

relato de experiência na disciplina de Geometria Analítica

Palavras-chave: Metodologias ativas, Aprendizagem Baseada em Projeto, Ensino superior, Matemática

Resumo

Este artigo relata uma experiência realizada nos cursos de Engenharia da Universidade Positivo, a partir da necessidade de engajar os estudantes e desenvolver as habilidades de mais alta ordem na Taxonomia de Anderson et al. (2001). No âmbito das práticas pedagógicas, desenvolveu-se com estudantes do primeiro ano de Engenharia uma Aprendizagem Baseada em Projeto. As sequências didáticas articulam teoria e prática, privilegiando o estudo de cônicas, quádricas e suas aplicações. Especificamente utilizou-se Aprendizagem Baseada em Projeto como estratégia metodológica para tornar as aulas mais interativas, diminuindo a passividade dos estudantes, desenvolvendo a autonomia e o engajamento a partir de problemas reais. Os resultados da experiência demonstraram uma melhora significativa no desempenho dos estudantes nas avaliações que envolviam os temas de estudos propostos.

Biografia do Autor

Waléria Adriana Gonçalez Cecílio, Universidade Positivo (UP)

É doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e graduada em Licenciatura em Matemática pela Universidade Tuiuti do Paraná. Professora da Universidade Positivo (UP) e professora tutora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Dedica-se às metodologias de ensino e aprendizagem. Interessa-se, sobretudo, por ensino de matemática, metodologias ativas e qualidade na Educação a Distância.

 
Daniel Guimarães Tedesco, Universidade Positivo (UP)

Bacharel em Física e doutor em Ciências (Física) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente é professor da Universidade Positivo (UP), membro do Núcleo Docente Estruturante das Licenciaturas em Física e Matemática. Dedica-se a pesquisa em Teoria Quântica de Campos, e interessa-se por metodologias ativas no ensino de Física e Matemática.

Referências

ALMEIDA XAVIER, André Felipe de; CAMPOS XAVIER, Paloma de Oliveira. Laboratório de cálculo: aprendizagem baseada em jogos nas disciplinas de exatas. Revista Brasileira de Ensino Superior, Passo Fundo, v. 3, n. 4, p. 7-22, dez. 2017. ISSN 2447-3944. DOI: https://doi.org/10.18256/2447-3944.2017.v3i4.2107. Disponível em: https://seer.imed.edu.br/index.php/REBES/article/view/2107. Acesso em: 21 dez. 2018.

ANDERSON, L. W. et. al. A taxonomy for learning, teaching and assessing: a revison of Bloom’s Taxonomy of Educational Objectives. Nova York: Addison Wesley Longman, 2001. 336 p.

BLOOM, B. S. et al. Taxonomy of educational objectives. New York: David Mckay, 1956. 262 p. (v. 1).

CECÍLIO, Waléria Adriana Gonçalez. Avaliação da matemática escolar: contribuições da pedagogia da Escola Nova. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2018.

CONKLIN, J. A taxonomy for learning, teaching and assessing: a revision of Blooms’s taxonomy of educational objectives. Educational Horizons, v. 83, n. 3, p. 153-159, 2005.

DEWEY, John. Experiência e educação. 3. ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1979.

DÍAZ BORDENAVE, Juan; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. 32. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

FERRAZ, Ana Paula do Carmo Marcheti; BELHOT, Renato Vairo. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: sendas percorridas. 1992. Tese (Doutorado em Filosofia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1992.

MASSETO, Marcos. Docência na Universidade. 11. ed. Campinas: Papirus, 1998.

PASCARELLA, Ernest; TERENZINI, Patrick. How College Affects Students: a third decade of research. San Francisco: Jossey-Bass, 2005. v. 2.

PENTEADO, J. A. A pedagogia de Dewey e os problemas sociais. Revista Atualidades Pedagógicas, São Paulo, Ano X, n. 48, p. 1, set./dez. 1959. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/133545. Acesso em 19 dez. 2017.

SCHLIEMANN, Ana Laura. Aprendizagem por projeto. In: SCHLIEMANN, Ana Laura; ANTONIO, Jorge Luiz (org.). Metodologias ativas na Uniso: formando cidadãos participativos. –Sorocaba: Eduniso, p. 31-46, 2016.

SCHMIDT, H. G. As bases cognitivas da aprendizagem baseada em problemas. Aprendizagem baseada em problemas: anatomia de uma nova abordagem educacional. São Paulo: Hucitec, 2001, p. 80-108.

SCREMIN, G. et. al. O uso de tecnologia no ensino e na aprendizagem de cálculo diferencial. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 119-139, jul./dez. 2018.

VIEIRA, Josimar de Aparecido. Aprendizagem por projetos na educação superior: posições, tendências e possibilidades. Revista Travessias, cascavel, v. 2, n. 3, n. p. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/viewFile/3115/2453. Acesso em: 19 dez. 2018.

ORTIZ, Felipe Chibás. Gestão Criativa em Ecossistemas de Educação a Distância (EAD). In: CHIBÁS ORTIZ, Felipe; SANTOS, Fernando de Almeida. (Org.). Gestão da Educação à distância: Comunicação, Desafios e Estratégias. São Paulo: Atlas, p. 12-34, 2015.

SCALLON, Gérard. Avaliação da aprendizagem numa abordagem por competências. Tradução de Juliana Vermelho Martins. Curitiba: PUCPRess, 2015, 445 p.

Publicado
2019-09-17
Como Citar
CECÍLIO, W. A. G.; TEDESCO, D. G. Aprendizagem Baseada em Projetos. Revista Docência do Ensino Superior, v. 9, p. 1-20, 17 set. 2019.
Edição
Seção
Artigos