A percepção da mulher sobre os espaços para amamentar: suporte na teoria interativa de amamentação

Autores

  • Cândida Caniçali Primo Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Enfermagem, Vitória ES , Brasil, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Departamento de Enfermagem. Vitória, ES - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5141-2898
  • Helaine Jacinta Salvador Mocelin Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Enfermagem, Vitória ES , Brasil, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Departamento de Enfermagem. Vitória, ES - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-9789-9670
  • Thaís Bermond Zavarize Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Enfermagem, Vitória ES , Brasil, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Departamento de Enfermagem. Vitória, ES - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2692-0310
  • Eliane de Fátima Almeida Lima Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Enfermagem, Vitória ES , Brasil, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Departamento de Enfermagem. Vitória, ES - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5128-3715
  • Rosana Oliveira de Lima UFES, Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes, Vitória ES , Brasil, UFES, Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes. Vitória, ES - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-2573-103X
  • Marcos Antônio Gomes Brandão Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-8368-8343

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49708

Palavras-chave:

Aleitamento Materno, Espaço Pessoal, Vergonha, Percepção, Enfermagem Materno-Infantil, Desmame

Resumo

Introdução: a amamentação é fortemente influenciada por diversos fatores, e a falta de um lugar privado e o constrangimento em locais público desencorajam as mulheres. Objetivo: avaliar a percepção da mulher sobre o espaço para amamentar. Método: pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa desenvolvida com 30 mulheres grávidas e puérperas internadas na maternidade de um hospital universitário do estado do Espírito Santo. A análise de conteúdo proposta por Bardin e a Teoria Interativa de Amamentação foram utilizadas para a sistematização dos dados. Resultados: a maioria das mulheres relatou que iria amamentar em lugares públicos, no entanto, todas disseram que cobririam seus peitos com pano ou fralda e que se sentem mais confortáveis para amamentar em casa. As mulheres relataram sentir-se confortáveis quando estão próximas de mulheres, familiares ou amigas conhecidas, enquanto perto de homens, conhecidos ou não, sentem-se desconfortáveis e cobrem seus peitos para amamentar. E próximas de profissionais de saúde a maioria se sente confortável, já que orientam e apoiam a amamentação. Conclusão: amamentar em espaços públicos ainda causa desconforto, constrangimento e vergonha nas mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Sayers R. Breast is best: just maybe in private? Br J Gen Pract. 2014[citado em 2019 fev. 18];64(618):44-5. Disponível em: https://doi.org/10.3399/bjgp14X676573

Rollins NC, Lutter CK, Bhandari N, Hajeebhoy N, Horton S, Martines JC, et al. Why invest, and what it will take to improve breastfeeding practices? Lancet. 2016[citado em 2019 jun. 7];387(10017):491-505. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(15)01044-2

Primo CC, Brandão MAG. Interactive theory of breastfeeding: creation and application of a middle-range theory. Rev Bras Enferm. 2018[citado em 2019 fev. 18];70(6):1191-8. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0523

Morris C, Zaraté F, Gustavo A, Williams CET, Hirst C. UK Views toward breastfeeding in public: an analysis of the public’s response to the claridge’s incident. J Hum Lact. 2019[citado em 2019 fev. 18];32(3):472-80. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0890334416648934

Ryan K, Todres L, Alexander J. Calling, permission, and fulfillment: the interembodied experience of breastfeeding. Qual Health Res. 2011[citado em 2019 fev. 18];21(6):731-42. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1177/1049732310392591

Spurles PK, Babineau J. A qualitative study of attitudes toward public breastfeeding among young Canadian men and women. J Hum Lact. 2011[citado em 2019 fev. 18];27(2):131-7. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1177/0890334410390044

Ya Zhao, Yan-Qiong O, Sharon R. Attitudes of chinese adults to breastfeeding in public: a web-based survey. Breastfeed Med. 2017[citado em 2019 fev. 18];12(5). Disponível em: http://doi.org/10.1089/bfm.2017.0013

Jessri M, Farmer A, Olson K. Exploring Middle-Eastern mothers’ perceptions and experiences of breastfeeding in Canada: an ethnographic study. Mater Child Nutr. 2013[citado em 2019 fev. 18];9(1):41-56. Disponível em: http://doi.org/10.1111/j.1740-8709.2012.00436.x

Foley W, Schubert L, Denaro T. Breastfeeding experiences of Aboriginal and Torres Strait Islander mothers in an urban setting in Brisbane. Breastfeed Rev. 2013[citado em 2019 fev. 18];21(3):53-61. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24592517#

King IM. Toward a theory for nursing: systems, concepts, process. New York: Delmar Publishers Inc; 1981.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Taylor EN, Wallace LE. For shame: feminism, breastfeeding advocacy, and maternal guilt. Hypatia. 2011[citado em 2019 fev. 18];27(1):76-98. Disponível em: http://doi.org/10.1111/j.1527-2001.2011.01238.x

Thomson G, Ebisch-Burton K, Flacking R. Shame if you do - shame if you don’t: women’s experiences of infant feeding. Matern Child Nutr. 2015[citado em 2019 fev. 18];11(1):33-46. Disponível em: http://doi.org/10.1111/mcn.12148

Giordani RCF, Piccoli D, Bezerra I, Almeida CCB. Maternidade e amamentação: identidade, corpo e gênero. Ciênc Saúde Colet. 2018[citado em 2019 fev. 18];23(8):2731-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018238.14612016

Campos MTA, De Tilio R. Gênero e família: história, conflitos e possibilidades de reconfiguração. In: Chapadeiro CA, Serralha CA, Hueb MDF. Questões de família. Curitiba: CRV; 2017.

Farinha AJQ, Scorsolini-Comin F. Relações entre não maternidade e sexualidade feminina: revisão integrativa da literatura científica. Rev Psicol IMED. 2018[citado em 2019 fev. 18];10(1):187-205. Disponível em: https://doi.org/10.18256/2175-5027.2018.v10i1.2316

Primo CC, Dutra PR, Lima EFA, Alvarenga SC, Leite FMC. Social networks that support women during breastfeeding. Cogitare Enferm. 2015[citado em 2019 fev. 18];20(2):422-9. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/viewFile/37453/25555

Amir HL. Breastfeeding in public: “you can do it?”. Int Breastfeed J. 2014[citado em 2019 fev. 18];9(1):187. Disponível em: http://doi.org/10.1186/s13006-014-0026-1

Gallegos D, Vicca N, Streiner S. Breastfeeding beliefs and practices of African women living in Brisbane and Perth, Australia. Matern Child Nutr. 2015[citado em 2019 fev. 18];11(4):727-36. Disponível em: https://doi.org/10.1111/mcn.12034

Lima LS, Souza SNDH. Mother’s perception on breastfeeding support: a programmatic vulnerability perspective. Semina: Ciênc Biol Saúde. 2013[citado em 2019 fev. 18];34(1):73-90. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/viewFile/12595/13738

Lima SP, Santos EKA, Erdmann AL, Farias PHS, Aires J, Nascimento VFN. Percepção de mulheres quanto à prática do aleitamento materno: uma revisão integrativa. Rev Pesqui Cuid Fundam Online. 2019[citado em 2019 fev. 18];11(1):248-54. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/download/6853/pdf_1

Publicado

17-02-2020

Como Citar

1.
Primo CC, Mocelin HJS, Zavarize TB, Lima E de FA, Lima RO de, Brandão MAG. A percepção da mulher sobre os espaços para amamentar: suporte na teoria interativa de amamentação. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 17º de fevereiro de 2020 [citado 27º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49708

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)