Fatores que acarretam insatisfação no trabalho do enfermeiro no contexto hospitalar privado

Autores

  • Louise Aracema Scussiato Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Curitiba PR , Brasil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Curitiba, PR – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4781-2885
  • Aida Maris Peres Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Curitiba PR , Brasil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Curitiba, PR – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-2913-2851
  • Louise Bueno Lelli Tominaga Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Curitiba PR , Brasil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Curitiba, PR – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-0367-2617
  • Keity Daiany dos Santos Galvão Centro Universitário Autônomo do Brasil, Curso de Graduação em Enfermagem, Curitiba PR , Brasil, Centro Universitário Autônomo do Brasil – UniBrasil, Curso de Graduação em Enfermagem. Curitiba, PR – Brasil. http://orcid.org/0000-0001-6802-498X
  • Dayane Cristina de Lima Centro Universitário Autônomo do Brasil, Curso de Graduação em Enfermagem, Curitiba PR , Brasil, Centro Universitário Autônomo do Brasil – UniBrasil, Curso de Graduação em Enfermagem. Curitiba, PR – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-4630-0370

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49747

Palavras-chave:

Enfermagem, Motivação, Ambiente de Trabalho, Satisfação no Emprego

Resumo

Objetivo: verificar o grau de satisfação do enfermeiro e identificar os fatores causadores de insatisfação no trabalho do enfermeiro dentro do serviço hospitalar. Métodos: estudo exploratório de métodos mistos, realizado em uma instituição hospitalar privada de uma capital do Sul do Brasil. A coleta de dados ocorreu entre os meses de agosto e setembro de 2017 com enfermeiros assistenciais. No primeiro momento foi aplicada uma escala de satisfação no trabalho que está dividida em cinco dimensões: satisfação com os colegas; com o salário; com a chefia; com a natureza do trabalho e com as promoções. No segundo momento, aqueles enfermeiros cujo resultado da escala foi “insatisfeito” foram convidados a responderem uma entrevista semiestruturada. Os dados qualitativos das entrevistas foram analisados segundo a análise de conteúdo temático-categorial, com apoio do software MAXQDA© para organização dos dados. Resultados: participaram da pesquisa 40 enfermeiros, dos quais 10 se manifestaram insatisfeitos com a remuneração inadequada; com a falta de promoção e crescimento profissional; com o regime de trabalho; com a falta de reconhecimento e valorização profissional; com o desvio de função; com a competitividade e desunião entre os profissionais e a equipe multiprofissional; e com a falta de liderança. No entanto, ficou evidenciado que trabalhar com o que gosta e as amizades que se constroem com colegas no trabalho foram fatores de satisfação para os enfermeiros insatisfeitos. Conclusão: o reconhecimento dos fatores de insatisfação dos enfermeiros pode subsidiar a implantação de um plano institucional para mudar a situação identificada. Trabalhadores satisfeitos são mais motivados e produzem melhor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Tenani MNF, Vannuchi MTO, Haddad MCL, Matsuda LM, Pissinati PSC. Satisfação dos Trabalhadores de Enfermagem recém-admitidos em Hospital Público. REME - Rev Min Enferm. 2014[citado em 2017abr. 06];18(3):585-91. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/948

Lorber M, Savic SB. Job satisfaction of nurses and identifying factors of job satisfaction in Slovenian Hospitals. Croat Med J. 2012[citado em 2017abr. 06];53(3):263-70. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3368291/

Jesus MSP, Jesus JS. Medidas de satisfação no trabalho em uma instituição de ensino superior. Rev Negócios em Projeção. 2012[citado em 2017 mar.14];3(2):29-48 Disponível em: https://revista.projecao.br/index.php/Projecao1/article/view/256/173

Nunes CM, Tronchin DMR, Melleiro MM, Kurcgant P. Satisfação e insatisfação no trabalho na percepção de enfermeiros de um hospital universitário. Rev Eletrônica Enferm. 2010[citado em 2017 mar. 31];12(2):252-7. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v12/n2/v12n2a04.htm

Bacha AM, Grassioto OR, Fonsechi-Carvasan GA, Machado HC, Cacique DB. Validação do Questionário de Satisfação no Trabalho em Hospital Universitário. RAS. 2013[citado em 2017 mar. 14];15(60):95-104. Disponível em: http://www.cqh.org.br/portal/pag/anexos/baixar.php?p_ndoc=935&p_nanexo=%20481

Melo MB, Barbosa MA, Souza PR. Job satisfaction of nursing staff: integrative review. Rev Latino-Am Enferm. 2011[citado em 2017 mar. 14];19(4). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692011000400026

Versa GLGS, Matsuda LM. Satisfação profissional da equipe de enfermagem intensivista de um hospital de ensino. Rev Enferm UERJ. 2014[citado em 2017 mar. 6];22(3):409-15. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v22n3/v22n3a19.pdf

Kessler AL, Krug SBF. Do prazer ao sofrimento no trabalho da enfermagem: o discurso dos trabalhadores. Rev Gaúcha Enferm. 2012[citado em 2017 mar. 6];33(1):49-55. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472012000100007

Jeong DJY, Kurcgant P. Fatores de insatisfação no trabalho segundo a percepção de enfermeiros de um hospital universitário. Rev Gaúcha Enferm. 2010[citado em 2017 mar. 6];31(4):655-61. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472010000400007

Siqueira MMM, organizadora. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed; 2008.

Souza AC, Milani D, Alexandre NMC. Adaptação cultural de um instrumento para avaliar a satisfação no trabalho. Rev Bras Saúde Ocup. 2015[citado em 2017 mar. 6];40(132):219-27. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbso/v40n132/0303-7657-rbso-40-132-219.pdf

Cervo AL, Bervian PA. Metodologia científica. 5ª ed. São Paulo: Prentice Hall; 2002.

Creswell JW, Clark VLP. Pesquisa de métodos mistos. 2a ed. Porto Alegre: Penso; 2013. 288 p.

Oliveira DC. Análise de conteúdo temático-categorial: uma técnica maior nas pesquisas qualitativas. In: Lacerda MR, Costenaro RGS. Metodologias da pesquisa para a Enfermagem e saúde: da teoria à prática. Porto Alegre: Moriá; 2016. p. 481-511.

Maxqda [software]. The Art of Data Analysis. Berlim: VERBI Software; 2018 [citado em 2017 mar. 6]. Disponível em: https://www.maxqda.com/about

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Passos E. De anjos a mulheres: ideologias e valores na formação de enfermeiras. 2ª ed. Salvador: EDUFBA; 2012[citado em 2017 nov. 12]. Disponível em: http://books.scielo.org/id/mnhy2

Conselho Federal de Enfermagem - COFEN. Pesquisa inédita traça perfil da enfermagem. Diagnóstico da profissão aponta concentração regional, tendência à masculinização, situações de desgaste profissional e subsalário. Brasília: Cofen; 2015[citado em 2017 out. 23]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/pesquisa-inedita-traca-perfil-da-enfermagem_31258.html

Bezerra FD, Andrade MFC, Andrade JS, Vieira MJ, Pimentel D. Motivação da equipe e estratégias motivacionais adotadas pelo enfermeiro. Rev Bras Enferm. 2010[citado em 2017 nov. 12];63(1):33-7. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672010000100006

Sanna MC. Os processos de trabalho na Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2007[citado em 2017 nov. 12];60(2):221-4. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672007000200018

Oliveira EM, Barbosa RL, Andolhe R, Eiras FRC, Padilha KG. Nursing practice environment and work satisfaction in critical units. Rev Bras Enferm. 2017[citado em 2019 jul. 17];70(1):79-86. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0211

Silva VLS, Camelo SHH, Soares MI, Resck ZMR, Chaves LDP, Santos FC, et al. Leadership practices in hospital nursing: a self of manager nurses. Rev Esc Enferm USP. 2017[citado em 2017 nov. 10];51:e03206. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342017000100407

Brayer A, Marcinowicz L. Job satisfaction of nurses with master of nursing degrees in Poland: quantitative and qualitative analysis. BMC Health Serv Res. 2018[citado em 2019 jul. 17];18(1):239. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29615022

Tamayo A. Prioridades axiológicas e satisfação no Trabalho. Rev Adm. 2000[citado em 2019 ago. 02];35(2):37-47. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/16319/prioridades-axiologicas-e-satisfacao-no-trabalho

Publicado

20-12-2019

Como Citar

1.
Scussiato LA, Peres AM, Tominaga LBL, Galvão KD dos S, Lima DC de. Fatores que acarretam insatisfação no trabalho do enfermeiro no contexto hospitalar privado. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 20º de dezembro de 2019 [citado 27º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49747

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.