Estratégia educacional sobre visita domiciliar baseada no curso aberto massivo online

Autores

  • Fernanda Ribeiro Borges Universidade Federal de Alfenas, Departamento de Enfermagem, Alfenas MG , Brazil, Enfermeira. Mestranda. Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG, Departamento de Enfermagem. Alfenas, MG - Brasil, Universidade Federal de Alfenas
  • Lívia Cristina Scalon da Costa Universidade Federal de Alfenas, Departamento de Enfermagem, Alfenas MG , Brazil, Enfermeira. Mestranda. Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG, Departamento de Enfermagem. Alfenas, MG - Brasil, Universidade Federal de Alfenas
  • Carolina Costa Valcanti Avelino UNIFAL-MG, Alfenas MG , Brazil, Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Técnico-Administrativo em Educação. UNIFAL-MG. Alfenas, MG - Brasil, Universidade Federal de Alfenas
  • Denismar Alves Nogueira UNIFAL-MG, Departamento de Estatística, Alfenas MG , Brazil, Zootecnista. Doutor em Estatística. Professor Titular. UNIFAL-MG, Departamento de Estatística. Alfenas, MG - Brasil, Universidade Federal de Alfenas
  • Claudio Kiner Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI, Departamento de Matemática e Computação - DMC, Itajubá MG , Brazil, Engenheiro. Doutor em Engenharia de Sistemas e Computação. Professor Adjunto. Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI, Departamento de Matemática e Computação - DMC. Itajubá, MG - Brasil, Universidade Federal de Itajubá
  • Sueli Leiko Takamatsu Goyatá UNIFAL-MG, Escola de Enfermagem, Alfenas MG , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Associada. UNIFAL-MG, Escola de Enfermagem. Alfenas, MG - Brasil, Universidade Federal de Alfenas

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2017.49849

Palavras-chave:

Visita Domiciliar, Educação, Tecnologia Educacional

Resumo

Objetivo: avaliar a eficácia de uma estratégia educacional para estudantes universitários sobre visita domiciliar, baseada no Curso Aberto Massivo Online. Método: pesquisa quantitativa, quase-experimental, sem grupo-controle, do tipo pré e pós-teste realizada com 135 estudantes dos 1º e 3º períodos de Enfermagem, Fisioterapia e Medicina. Utilizou-se como estratégia educacional a oferta de um curso disponibilizado no website constituído por três módulos. Foi aplicado um questionário pré e pós-teste, um de caracterização dos participantes e um de avaliação do curso. Resultados: houve predomínio do sexo feminino (74,8%), com média de idade de 20 anos. Os participantes avaliaram positivamente os recursos midiáticos utilizados. Ao serem questionados acerca se gostariam de utilizar estratégias educacionais baseadas no Curso Aberto Massivo Online em outras disciplinas, 97,8% responderam afirmativamente. Dos 135 participantes, 96,3% afirmaram se sentirem mais aptos para realizar a visita domiciliar na Estratégia Saúde da Família após a realização do curso e foi encontrada associação fortemente significativa entre as notas do pré e pós-teste (p<0,001), sendo que 83% dos participantes tiveram nota maior no pós-teste, o que mostra a eficácia da intervenção. Conclusão: a estratégia educacional sobre visita domiciliar baseada na ferramenta MOOC mostrou-se eficaz, podendo ser uma potencial ferramenta pedagógica de ensino e aprendizagem a graduandos da área da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Oliveira Júnior JK, Silva MAD. As tecnologias de informação e comunicação como ferramenta complementar no ensino da histologia nos cursos de odontologia da região norte. J Health Inform. 2014[citado em 2017 jan. 15];6(2):60-6. Disponível em: http://www.jhi-sbis.saude.ws/ojs-jhi/index.php/jhi-sbis/article/view/293/196

Tavares VB. Massive Open Online Courses (MOOCS): nova tendência educacional. Brasília: Universidade de Brasília; 2014.

Oliveira DP. Desenvolvimento e avaliação de um curso aberto massivo online sobre anatomia baseado em redundância, interatividade e estilos de coaprendizagem [dissertação]. Itajubá: Universidade Federal de Itajubá; 2015. 227f.

Forno JPD, Knoll GF. Os MOOCS no mundo: um levantamento de cursos online abertos massivos. Nuances. 2013[citado em 2017 fev. 12];24(3):178-94. Disponível em: http://reaparana.com.br/portal/wp-content/uploads/2014/10/Os-MOOCs-no-mundo-2013.pdf

Mallmann EM, Sonego AHS, Jacques JS, Alberti TF, Bagetti S. Implementação de Massive Open Online Courses (MOOC) no âmbito de programas institucionais de capacitação em ambientes virtuais. Florianópolis: ESUD; 2014.

Rossini AM, Palmisano A, Silva OR. MOOCS: para onde caminha o processo de aprendizagem e o uso de recursos informáticos. 20º CIAED-Congresso Internacional ABED de Educação à distância, Curitiba; 2014.

Liyanagunawardena TR, Williams SA. Massive Open Online Courses on health and medicine: review. J Med Internet Res. 2014[citado em 2017 jan. 22];16(8):180-91. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25123952

Silva JAR, Bernardo Junior R, Cañadilla IP. MOOC: em busca da qualidade. SIED 2014-Simpósio Internacional de Educação a Distância, São Carlos; 2014.

Asso RN, Affonso VR, Santos SC, Castanheira BE, Zaha MS, Losada DM, et al. Avaliação das visitas domiciliárias por estudantes e pelas famílias: uma visão de quem as realiza e de quem as recebe. Rev Bras Educ Med. 2013[citado em 2017 jan. 15];37(3):326-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v37n3/04.pdf

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Mendes MLM, Silva FR, Messia CMBO, Carvalho PGS, Silva TFA. Hábitos alimentares e atividade física de universitários da área de saúde do município de Petrolina-PE. Tempus Actas Saúde Colet. 2016[citado em 2017 jan. 15];10(2):205-17. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v10i2.1669

Mendes F, Lopes MJ. Vulnerabilidades em saúde: o diagnóstico dos caloiros de uma universidade portuguesa. Texto Contexto Enferm. 2014[citado em 2017 jan. 15];23(1):74-82. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n1/pt_0104-0707-tce-23-01-00074.pdf

Matos IB, Toassi RFC, Oliveira MC. Profissões e ocupações de saúde e o processo de feminização: tendências e implicações. Athenea Digital. 2013[citado em 2017 jan. 15];13(2):239-44. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/118035/000894801.pdf?sequence=1

Goyatá SLT, Chaves ECL ,Andrade MBT, Pereira RJS, Brito TRP. Ensino do processo de enfermagem a graduandos com apoio de tecnologias da informática. Acta Paul Enferm. 2012[citado em 2017 jan. 15];25(2):243-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v25n2/a14v25n2

Peixoto HM, Peixoto MM, Alves ED. Aspectos relacionados à permanência de graduandos e pós-graduandos em disciplinas semipresenciais. Acta Paul Enferm. 2012[citado em 2017 jan. 15];25(2):48-53. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v25nspe2/pt_08.pdf

Rodrigues RCV, Peres HHC. Desenvolvimento de ambiente virtual de aprendizagem em enfermagem sobre ressuscitação cardiorrespiratória em neonatologia. Rev Esc Enferm USP 2013[citado em 2017 jan. 15];47(1):235-41. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v47n1/a30v47n1.pdf

Filatro A. Produção de conteúdos educacionais: design instrucional, tecnologia, gestão, educação comunicação. São Paulo: Saraiva; 2015.

Kirner C, Kirner TG. Desenvolvimento de jogos educacionais online com realidade aumentada por não especialistas. XII SBGames - Workshop on Virtual, Augmented Reality and Games - Full Papers. São Paulo, Brazil, October 16-18; 2013.

Souza R, Cypriano EF. MOOC: uma alternativa contemporânea para o ensino de astronomia. Ciênc Educ. 2016[citado em 2017 jan. 15];22(1):65-80. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v22n1/1516-7313-ciedu-22-01-0065.pdf

Bellack JP. MOOCs: the future is here. J Nursing Educ. 2013[citado em 2017 jan. 15];52(1):3-4. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23293938

Gooding I, Klass B, Yager JD, Kanchanaraksa S. Massive open online courses in public health. Front Public Health. 2013[citado em 2017 fev. 15];59(1):1-59. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24350228

Ministério da Educação (BR). Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução nº 3, de 20 de junho de 2014. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Brasília: Ministério da Educação; 2014.

Ministério da Educação (BR). Projeto Político Pedagógico do curso de Medicina. Alfenas: Universidade Federal de Alfenas; 2015.

Medeiros PA, Pivetta HMF, Mayer MS. Contribuições da visita domiciliar na formação em fisioterapia. Trab Educ Saúde. 2012[citado em 2017 jan. 15];10(3):407-26. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462012000300004&script=sci_abstract&tlng=p

Cárdenas LAG, Kambourova M, Arango LZ, Peña MEV. Impacto de la visita domiciliaria familiar en el aprendizaje de los estudiantes de medicina en el área de Pediatría Social. Interface (Botucatu). 2013[citado em 2017 jan. 15];17(46):649-60. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832013000300012&script=sci_abstract&tlng=p

Salvador PTCO, Martins CCF, Alves KYA, Pereira MS, Santos VEP, Tourinho FSV. Tecnologia no ensino de enfermagem. Rev Baiana Enferm. 2015[citado em 2017 jan. 15];29(1):33-41. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/9883

Publicado

05-03-2018

Como Citar

1.
Borges FR, Costa LCS da, Avelino CCV, Nogueira DA, Kiner C, Goyatá SLT. Estratégia educacional sobre visita domiciliar baseada no curso aberto massivo online. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 5º de março de 2018 [citado 15º de junho de 2024];21(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49849

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.