Democracia, Estado e combate à corrupção no pensamento político e judiciário de Sérgio Fernando Moro

Autores

  • Fabio Cesar Venturini Professor-adjunto no Departamento Multidisciplinar da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios – Universidade Federal de São Paulo. Bacharel em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo (USJT), Mestre e Doutor em História (PUC-SP). http://orcid.org/0000-0003-3043-841X

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2017.5046

Resumo

Este trabalho analisa a formação do pensamento político do juiz federal Sergio Fernando Moro a partir de quatro artigos escritos por ele, bem como a tradução do trabalho de um promotor estadunidense, entre os anos de 1999 e 2008, período em que se segmentou na magistratura como juiz especializado em casos de crime organizado, corrupção e lavagem de dinheiro. A síntese da comparação dos trabalhos mostra como o juiz formou um pensamento político no qual o Poder Judiciário deve ser sobreposto aos demais poderes republicanos, pois, para ele, a fonte de toda corrupção vem da política e da administração pública, os quais são capturados por malfeitores que ocupam cargos no Legislativo e no Executivo. Dessa forma, a própria natureza do trabalho e dos processos de seleção por mérito em concurso público confere ao juiz o poder de reinterpretar leis, substituir obrigações jurídicas por argumentos morais e suplantar provas indiciárias por apoio da “opinião pública”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

VENTURINI, F. C. Democracia, Estado e combate à corrupção no pensamento político e judiciário de Sérgio Fernando Moro. Revista de Ciências do Estado, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, 2017. DOI: 10.35699/2525-8036.2017.5046. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/5046. Acesso em: 7 jul. 2022.