O cinema a serviço da cultura política nazista

Autores

  • Bruna Krieck Farche Graduanda em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). http://orcid.org/0000-0003-2859-5520
  • Maria Laura Tolentino Marques Gontijo Couto Graduanda em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Bolsista PIBIC/CNPq. http://orcid.org/0000-0002-9298-9906

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2017.5058

Resumo

O presente artigo analisa a influência do cinema na consolidação do nacional-socialismo alemão, a partir de breve resgate histórico do nazismo e de estudo dos filmes O Triunfo da Vontade (1935, dirigido por Leni Riefenstahl) e Jud Süss (1940, dirigido por Veit Harlan). Ambos os filmes tiveram o apoio do governo de Hitler em sua produção e apresentam itens fundamentais da ideologia do Terceiro Reich, como o culto ao “líder salvador” (notável em O Trinfo da Vontade) e o sentimento de identidade nacional baseado no inimigo comum do povo ariano (que é promovido de maneira sutil em Jud Süss). Filmes como esses ilustram o importante papel que o uso do cinema e da propaganda tiveram na manipulação das massas, ajudando a consolidar o nazismo como a cultura política hegemônica na Alemanha do contexto estudado, uma cultura que levou a uma das maiores atrocidades já vistas pela humanidade: o Holocausto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

FARCHE, B. K.; COUTO, M. L. T. M. G. O cinema a serviço da cultura política nazista. Revista de Ciências do Estado, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, 2017. DOI: 10.35699/2525-8036.2017.5058. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/5058. Acesso em: 16 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)