A ideologia no discurso dos governantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2023.40887

Palavras-chave:

Ideologias políticas, Planos de governo, Poder executivo federal, Ciência Política, Partidos políticos

Resumo

Este trabalho teve por objetivo investigar como as ideologias estão presentes no discurso dos governantes brasileiros do executivo federal, tendo como objeto de pesquisa os planos de governo de Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, os dois candidatos mais votados nas eleições de 2018. A pesquisa justifica-se por oferecer subsídios para ter uma visão mais clara dos dois projetos e também porque não há estudos que comparem os dois planos num âmbito geral, apenas em elementos específicos. Em termos teóricos, foram utilizadas as principais ideologias apontadas pela literatura: conservadorismo, liberalismo e social-democracia, mas também foi salientada a emergência recente do neoliberalismo. Em termos metodológicos, partiu-se de análise documental dos planos de governo, visando verificar em qual(is) ideologia(s) se enquadram, para apontar as principais tendências para as eleições do Executivo Federal de 2022. Os achados permitem inferir que a ideologia que o plano de Fernando Haddad está mais alinhado à social democracia, enquanto que o plano de governo de Jair Bolsonaro está mais alinhado ao liberalismo. No entanto, chamamos atenção para o neoliberalismo, que tem se mostrado cada vez mais presente, estando nos dois planos de governo e crescendo cada vez mais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Hamerski, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutoranda em Administração pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Brasil; Professora no curso de Pós-Graduação em Gestão Pública da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS); fundadora da página do Instagram @escreva_melhor.  ORCID: https://orcid.org/0000-0003-2029-394X. Contato: bruh_hamerski@hotmail.com. 

Geovane Manoel Teixeira, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutorando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas da Universidade do Estado de Santa Catarina (ESAG/UDESC), Brasil; Contador no Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1580-0057. Contato: geovanemanoel@hotmail.com.

Daniel Moraes Pinheiro , Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil; Professor do Departamento de Administração Pública e do Programa de Pós-graduação Acadêmico da Esag Udesc. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7731-8178. Contato: daniel.pinheiro@udesc.br.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia [online]. São Paulo: Martins Fontes, 2008. Disponível em: https://marcosfabionuva.files.wordpress.com/2012/04/nicola-abbagnano-dicionario-de-filosofia.pdf. Acesso em: 29 maio 2022.

ALMEIDA, Rafaela Miotto de. A invenção e a destruição do trabalhismo: análise da conjuntura da (des)regulação do trabalho no Brasil e seus impactos na cidadania brasileira. Dissertação (Mestrado) — Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Direito, Porto Alegre, 106f, 2021.

BAQUERO, Marcello. Os desafios na construção de uma cultura política democrática na América Latina: Estado e partidos políticos. Cultura política e democracia: Os desafios das sociedades contemporâneas, p. 26-41, 1994.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2010.

BORBA, Julian. Cultura política, ideologia e comportamento eleitoral: alguns apontamentos teóricos sobre o caso brasileiro. Opinião pública, v. 11, p. 147-168, 2005.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Centro Gráfico, 1988.

CARREIRÃO, Yan de Souza. Ideologia e partidos políticos: um estudo sobre coligações em Santa Catarina. Opinião pública, Campinas, v. 12, n. 1, p. 136-163, abr./maio, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/op/a/StsbFvNyjSsbh9WSBP7ynqx/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 20 maio 2022.

CASTRO, Mônica Mata Machado de. O comportamento eleitoral no Brasil: diagnóstico e interpretações. Revista teoria & sociedade, v. 1, n. 1, p. 126-168, 1997.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia? São Paulo: Brasiliense, 2008. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/388158/mod_resource/content/1/Texto%2014%20-%20O%20que%20%C3%A9%20ideologia%20-%20M.%20Chau%C3%AD.pdf. Acesso em: 17 ago. 2023.

DIAS, Lázaro Cezar; OLIVEIRA, Sibele Vasconcelos; PAULI, Rita Inês Paetzhold. Taxonomia das diretrizes para educação nos planos de governo dos elegíveis à Presidência da República Brasileira. Rev. Bras. Ciênc. Polít, v. 35, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcpol/a/RYWMJNSwTwxC3MmBCJ4DpSR/?lang=pt&format=html&stop=previous. Acesso em: 15 maio 2022.

FREEDEN, Michael. SARGENT, Lyman Tower. STEARS, Marc. (Orgs.). Oxford Handbook of Political Ideologies. Oxford: Oxford University Press, 2013.

FUKS, Mario. MARQUES, Pedro. Afeto ou ideologia: medindo polarização política no Brasil? 12º Encontro da ABCP. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa (PB). Anais [...]. 18-21 ago. 2020. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Mario-Fuks/publication/346574826_Afeto_ou_ideologia_medindo_polarizacao_politica_no_Brasil/links/5fc80943a6fdcc697bd44db6/Afeto-ou-ideologia-medindo-polarizacao-politica-no-Brasil.pdf. Acesso em: 02 ago. 2022.

GAHYVA, Helga. Notas sobre o conservadorismo: elementos para a definição de um conceito. Política & Sociedade, v. 16, n. 35, Jan./Abr. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/2175-7984.2017v16n35p299/34246. Acesso em: 10 jun. 2022.

IZUMI, Mauricio Yoshida. Ideologia, sofisticação política e voto no Brasil. Opinião Pública, v. 25, n. 1, p. 29-62, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/op/a/6hyB3yhwkBGmTBgk6PZc7Dq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 02 ago. 2022.

KONDER, Leandro. A questão da ideologia. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

MACIEL, Ana Paula Brito. ALARCON, Anderson de Oliveira. GIMENES, Éder Rodrigo. Partidos políticos e espectro ideológico: parlamentares, especialistas, esquerda e direita no brasil. Revista Eletrônica de Ciência Política, v. 8, n. 3, 2017.

MARTINS, Carlos Estevam. Liberalismo: o direito e o avesso. DADOS, v. 46, n. 4, p. 619-660, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/dados/a/Gtsc6zVj8SgcvB66RKNZwdw/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 19 maio 2022.

MARTINS, Thainá Lana Rodrigues. Retrocesso Social: a desconstrução da proteção dos direitos humanos no Brasil durante o governo Bolsonaro. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação), Universidade de São Paulo, São Paulo, 47f, 2020. Disponível em:

https://paineira.usp.br/celacc/sites/default/files/media/tcc/2021/01/retrocesso_social_a_desconstrucao_da_protecao_dos_direitos_humanos_no_brasil_durante_o_governo_bolsonaro_thaina_lana.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

MATIAS, Wagner Barbosa. A necropolítica esportiva no governo Bolsonaro (2019-2020). Motriviência, Brasília, v. 33, n. 64, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/80435. Acesso em: 29 maio 2022.

MULLINS, Willard. On the Concept of Ideology in Political Science. American Political Science Review, v. 66, n. 2, p. 498-510, jun. 1972.

NETO, Odorico Ferreira Cardoso. NEZ, Esgelaine de. Governos Lula, Dilma e Bolsonaro: as políticas públicas educacionais seus avanços, reveses e perspectivas. Interação, v. 21, n. 3, jul./set. 2021. Disponível em: http://interacao.org/index.php/edicoes/article/view/117. Acesso em: 28 maio 2022.

PARTIDO DOS TRABALHADORES. Plano de governo (2019-2022). 2018. Disponível em: https://pt.org.br/wp-content/uploads/2018/08/plano-de-governo_haddad-13_capas.pdf. Acesso em 25 maio 2022.

PARTIDO SOCIAL LIBERAL. Plano de governo (2019-2022). 2018. Disponível em https://abrilveja.files.wordpress.com/2018/10/plano-de-governo-jair-bolsonaro.pdf. Acesso em 25 maio 2022.

PASSOS, Talita Kelly de Sousa. TEIXEIRA, Solange Maria. Neoliberalismo, democracia e políticas sociais: paradoxos de uma barbárie. Textos e contextos, v. 20, n. 1, p. 1-11, jan./dez., 2021. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/view/37389/26902. Acesso em: 20 maio 2022.

PRZEWORSKI, Adam. A social democracia como fenômeno histórico. Lua Nova, v. 4, n. 3, jul./set. 2015.

RAMOS, Vitória Almeida. CALANDRIN, Karina Stange. Ascensão do conservadorismo na Argentina e Brasil na redemocratização. Conjuntura Global, v. 10, número especial, 2021.

RIBAS, Yasmin Carina Bastos; MOREIRA, Giorgia Galvan; OLIVEIRA, Augusto Neftali Corte. Gênero e raça na representação progmática: os casos do Brasil e Argentina. 3º Seminário Discente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da PUCRS. Anais [...]. 2020. Disponível em: https://editora.pucrs.br/edipucrs/acessolivre/anais/1422/assets/edicoes/2020/arquivos/23.pdf. Acesso em: 20 maio 2022.

RODRIGUES, Leôncio Martins. Partidos, ideologia e composição social. Rev. bras. Ci. Soc., v. 17, n. 48, fev. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcsoc/a/DrXNg4PrYfxbc36Yqtyynjc/?lang=pt&format=html. Acesso em: 20 maio 2022.

SANTOS, Fabiano. Convergências e Divergências entre liberalismo e social-democracia: novos termos de um velho debate. LIBERDADE e CIDADANIA, v. 1, n. 3, Jan./Mar. 2009.

SCHWARTZMAN, Simon. Ciência, Universidade e Ideologia: a política do conhecimento. Rio de Janeiro: Centro Edelstein, 2008.

SILVA, Sabrina Aparecida da. O conceito de ideologia: Tracy, Marx, Engels e Gramsci. Seminário Nacional de Serviço Social, Trabalho e Política Social. Anais [...]. Florianópolis/SC, 2015. Disponível em: https://seminarioservicosocial.paginas.ufsc.br/files/2017/05/Eixo_2_21.pdf. Acesso em 19 maio 2022.

SINGER, André. A reativação da direita no Brasil. Opinião Pública, v. 27, n. 3, p. 705-729, 2021.

SOUZA, Jamerson Murillo. Anunciação de Tendências ideológicas do conservadorismo. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 304f, 2016. Disponível em: https://attena.ufpe.br/bitstream/123456789/18011/1/TESE%20JAMERSON.pdf. Acesso em: 20 maio 2022.

TAROUCO, Gabriela da Silva. MADEIRA, Rafael Machado. Os partidos brasileiros segundo seus estudiosos. Análise de um expert survey. Civitas, v. 15, n. 1, p. 24-39, 2015.

TRAGTENBERG, Maurício. A falência da política. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

VISCARRA, Simone P. FERREIRA, Marília Gabriela da Silva. Eleições, partidos e ideologia política no interior do Brasil: o caso de Petrolina (PE). Agenda Política, v. 9, n. 1, p. 226–252, jul. 2021.

VOEGELIN, Eric. Reflexões autobiográficas. São Paulo: é Realizações, 2008.

Downloads

Publicado

23-08-2023

Como Citar

HAMERSKI, B.; TEIXEIRA, G. M.; PINHEIRO , D. M. A ideologia no discurso dos governantes. Revista de Ciências do Estado, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 1–27, 2023. DOI: 10.35699/2525-8036.2023.40887. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/e40887. Acesso em: 22 maio. 2024.