'Água mole em pedra dura tanto bate até que fura'

as migrações da água sob nossos pés

  • Roberto Célio Valadão Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • José Sílvio Silveira
Palavras-chave: Ciclo Hidrológico, Carste, Planejamento Territorial, Gestão Ambiental

Resumo

Este artigo trata das migrações da água efetivadas no contexto do ciclo hidrológico, com ênfase nos processos encadeados no subsolo. Em razão de seu caráter distante do olhar humano, por se fazer em profundidade, sob nossos pés, a migração da água em subsuperfície é comumente ignorada. Todavia, em terrenos cársticos, essa migração adquire caráter particular e condiciona um coletivo de fenômenos que, embora se desenvolva em profundidade no solo e na rocha, afeta as atividades humanas em superfície, e vice-versa. Apesar de essa retroalimentação ser chancelada pela ciência, a qual ainda comprova quão frágil e vulnerável são os terrenos cársticos diante das demandas sociais e políticas, instrumentos destinados a suas gestões territorial e ambiental revelam-se ainda frágeis e pouco efetivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Célio Valadão, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professor Titular do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: valadao@ufmg.br

José Sílvio Silveira

Professor do Centro Universitário de Sete Lagoas / UNIFEMM. E-mail: ssilveirabh@unifemm.edu.br

Referências

ALBRECHT, K. J. Avaliação geológica-geotécnica de terrenos sujeitos a problemas cársticos – base para o mapeamento geotécnico. 1998. 210f. Tese (Doutorado) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 1998.

ALT, L. de R. Efetividade sócio-ambiental da APA Carste de Lagoa Santa - MG: uma avaliação a partir de suas ferramentas de planejamento e gestão. 2008. 243f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

ALT, L. de R.; VALADÃO, R. C.; CARMO, V. A. Avaliação da efetividade da APA Carste de Lagoa Santa a partir do estudo das relações entre os habitantes e a Unidade de Conservação. Cadernos Manuelzão, v. 3, p. 51-62, 2008.

BARROS, P. H. C. de A.; VALADÃO, R. C. Cronologia na Corologia – A construção de uma perspectiva temporal. Revista UFMG, v. 23, n. 1/2, p. 196-221, jan./dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.35699/2316-770X.2016.2766. Acesso em: 30 maio 2018.

BECK, B. F.; SINCLAIR, W. C. Sinkholes in Florida: An Introduction. Orlando: The Florida Sinkhole Research Institute, 1986. Report 85-86-4, 16p.

BERBERT-BORN, M. Carste de Lagoa Santa, MG: berço da paleontologia e da espeleologia brasileira. In: SCHOBBENHAUS, C.; CAMPOS, D. A.; QUEIROZ, E. T.; WINGE, M.; BERBERT-BORN, M. L. C. (Eds.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: DNPM/CPRM, 2002. v. 1, p. 415-430. Disponível em: <http://sigep.cprm.gov.br/sitio015/sitio015.htm>. Acesso em: 17 abr. 2018.

BOTELHO, L. A. L. A.; VALADÃO, R. C. Abastecimento Público em Ambiente Cárstico: o caso do Município de Sete Lagoas/MG. In: Encontro Brasileiro de Estudos do Carste, 2, 2007, São Paulo. Anais... São Paulo: Instituto de Geociências/USP, 2007. v. 1, p. 123-126.

BOTELHO, L. A. L. A. Gestão dos recursos hídricos em Sete Lagoas/MG: uma abordagem a partir da evolução espaço-temporal da demanda e da captação de água. 2008. 130f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

BRAZ DA SILVA, A. Abatimento de solo na cidade de Sete Lagoas, Minas Gerais. Revista Águas Subterrâneas, v. 12, n. 1, p. 57-66, 1988. Disponível em: <https://aguassubterraneas.abas.org/asubter-raneas/article/view/11283/7864>. Acesso em: 6 abr. 2018.

DEMANGEOT, J. Les Milieux “Naturels” du Globe. 2e édition. Paris: Masson, Collection Geographie, 1987. 250p.

KARMANN, I. Ciclo da água, água subterrânea e sua ação geológica. In: TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M. C. M. de; FAIRCHILD, T. R.; TAIOLI, F. (Orgs.) Decifrando a Terra. 3a reimpressão. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008, p. 113-138.

KRESIC, N. Water in Karst: management, vulnerability and restoration. New York: Mc Graw-Hill, 2013. 708p.

NAKAZAWA, V. A.; PRANDINI, F. L.; DINIZ, N. C. Subsidências e colapsos de solo em áreas urbanas. In: BITAR, O. Y. (Coord.). Curso de Geologia Aplicada ao Meio Ambiente. São Paulo: Associação Brasileira de Geologia de Engenharia (ABGE) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), 1995. Cap. 3-5, p. 101-133.

OLIVEIRA, L. M. de. A gestão de riscos geológicos urbanos em áreas de carste. 1997.46f. Monografia (Especialização) – Pontifícia Universidade Católica, Curitiba, 1997.

OLIVEIRA, L. M. de. Acidentes geológicos urbanos. Curitiba: Mineropar - Serviço Geológico do Paraná, 2010. 78p.

PEREIRA, M. C. O carste sob os olhares da superfície: fragilidade, antropismo e planejamentos urbano e ambiental na região cárstica de Lagoa Santa - MG. 2018. 224f. Tese (Doutorado) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

PRANDINI, F. L.; NAKAZAWA, V. A.; ÁVILA, I. G.; OLIVEIRA; A. M. S.; SANTOS, A. R. Cajamar - carst e urbanização: zoneamento de risco. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 5, 1987, São Paulo. Anais... São Paulo: ABGE, 1987. v. 2, p. 461-470.

PRANDINI, F. L.; NAKAZAWA, V. A.; SANTOS, A. R. Evolução de cavidades em carst coberto – contribuição da Geologia de Engenharia. In: Simpósio Latino-Americano sobre Risco Geológico Urbano, 1, 1990, São Paulo. Atas... São Paulo: ABGE, p. 197-205.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SETE LAGOAS. Relatório para o Plano Diretor do Município de Sete Lagoas. Sete Lagoas, 2006.

REBOUÇAS, A. C. Águas subterrâneas. In: REBOUÇAS, A. C.; Braga, B. & Tundisi, J.G. (Orgs.) Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 2a ed. São Paulo: Escrituras Editora, 2002. 703p.

SALLUN FILHO, W. Subsidência e colapso em terrenos cársticos. In: TOMINAGA, L. K.; SANTORO, J.; AMARAL, R. do (Orgs.) Desastres naturais: conhecer para prevenir. São Paulo: Instituto Geológico, 2009. Cap. 7, p. 99-110.

SANTOS, A. R. dos Terrenos Calcários: Áreas de risco geológico para a Engenharia e para o Meio Ambiente. 2008. Disponível em: <http://noticias.ambientebrasil.com.br/artigos/2008/05/05/37974-terrenos-calcarios-areas-de-risco-geologico-para-a-engenharia-e-para-o-meio-ambiente.html.>. Acesso em: 6 abr. 2018.

SANTOS, M. A natureza do espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4a ed. 2a reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. 258p. Disponível em: <http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf>. Acesso em: 4 jan. 2018.

SILVEIRA, J. S.; VALADÃO, R. C. Geomorfologia cárstica aplicada à Análise locacional de empreendimentos Industriais. In: Simpósio Nacional de Geomorfologia, 7, Encontro Latino-Americano de Geomorfologia, 2, 2008, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: União da Geomorfologia Brasileira - UGB, 2008. v. 1, p. 1-13.

SUMMERFIELD, M. A. Global Geomorphology. Harlow: Pearson - Prentice Hall, 1991. 537p.

TIHANSKY, A. B. Sinkholes, west-central Florida - A link between surface water and ground water. In: GALLOWAY, D.; JONES, D. R. INGEBRITSEN, S. E. (Eds.) Land Subsidence in the United States. Reston: U.S. Geological Survey Circular 1182, 1999. p. 121-140. Disponível em: <https://pubs.usgs.gov/circ/circ1182/pdf/15WCFlorida.pdf> Acesso em: 2 jun. 2018.

VARGAS, M. O gerenciamento integrado dos recursos hídricos como problema sócioambiental. Revista Ambiente e Sociedade, ano 2, n. 5, 1999. p: 109-134. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/asoc/n5/n5a09.pdf >. Acesso em: 2 jun. 2018.

WALTHAM, T.; BELL, F. G; CULSHAW, M. Sinkholes and Subsidence, Karst and Cavernous Rocks in Engineering and Construction. Chichester: Springer, Praxis Publishing, 2005. 350p.

WOLFE, W. J.; HAUGH, C. J.; WEBBERS, A.; DIEHL, T. H. Preliminary conceptual models of the occurrence, fate, and transport of chlorinated solvents in karst regions of Tennessee. Nashville: U.S. Geological Survey Water-Resources Investigations Report, 97-4097, 1977. 80p. Disponível em: <https://pubs.usgs.gov/wri/wri974097/graphics/wrir.pdf>. Acesso em: 2 jun. 2018.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
VALADÃO, R. C.; SILVEIRA, J. S. ’Água mole em pedra dura tanto bate até que fura’. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 25, n. 1 e 2, p. 16-39, 31 dez. 2018.
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)