Coleção e arquivo como prática coletiva

A narrativa, a retórica e o semiológico

Autores

  • Yacy-Ara Froner Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Palavras-chave:

Coleção, museu, memória, índices, semióforos

Resumo

Este artigo pretende discutir o processo de organização das coleções no decorrer dos séculos XIX e XX por meio da sistematização das relações indiciárias da narrativa, da retórica e da semiologia. A inserção endêmica do tempo e do espaço, como percurso ou como estratégia, gerencia conceitos imbricantes das analogias da memória e da projeção autoral. Os princípios estruturais vinculados aos valores coletivos referendam as propostas e os protocolos de seleção, aquisição, organização e exposição de objetos, como imagens e semióforos da colportagem do espaço relacional sob a ótica das coleções.

Biografia do Autor

Yacy-Ara Froner, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Doutora em História Econômica pela FFLCH-USP com tese defendida na área de cultura material e patrimônio; mestre em História Social pela mesma instituição com dissertação defendida sobre arte colonial e sistemas simbólicos; especialista nas áreas de História da Arte e Cultura Barroca pela IAC-UFOP e Conservação e Restauração pelo CECOR-UFMG. Atualmente, professora da área de Teoria, Crítica e História da Arte na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, vinculada ao Programa de Pós-graduação em Artes e Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável. Coordena o Grupo de Pesquisa ARCHE.

Referências

BENJAMIN, Walter. O Colecionador. In: Passagens. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2009, p.237-247.

CAUQUELIN, Anne. Introdução à arte contemporânea. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2005.

DESCAMPS, C. Ideias filosóficas contemporâneas na França. Rio de Janeiro: Zahar, 1986.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A Pintura encarnada. São Paulo: Escuta, 2012.

FOUCAULT. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

FOUCAULT. Isto não é um cachimbo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FRONER, Yacy-Ara. Estruturalismo: por um sistema de significações do sensível. In: Anais do XXX do Colóquio Brasileiro de História da Arte, Rio de Janeiro: CBHA, 2010, p. 1-14.

GUASCH, Anna Maria. El photoarchivo em las prácticas literárias, historiográficas y artísticas. In: Arte y Archivo, 1920-2010: genealogías, tipologías Y discontinuidades. Madrid: Akal, 2011, p. 21-44.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

POMIAN, Krzysztof. Coleções. In: Memória/História. Porto: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1984, p.51-86. (Enciclopédia Einaudi, vol.1).

PROUST, Marcel. Em busca do tempo perdido. São Paulo: Ediouro, 2002. (vol. 1).

Downloads

Publicado

2015-06-01

Como Citar

FRONER, Y.-A. Coleção e arquivo como prática coletiva: A narrativa, a retórica e o semiológico. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, p. 165–177, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15678. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática