Los Ingobernables: Arte, Hackers, Colaboratividade e Resiliêcia na era da Cultura Pós-Digital

Palavras-chave: Hackers, Arte, Colaboração

Resumo

O presente artigo exibe um panorama histórico dos laboratórios de hackers, os Hacklabs, que foram considerados um importante movimento político, cultural e artístico espanhol, no início dos anos 2000. Trata de princípios estruturais desses ambientes construídos de forma colaborativa, autônoma, que promovem a reciclagem de tecnologias, práticas artísticas e software livre. Além da contextualização histórica, apresenta novos paradigmas do período pós-digital que proporcionam um ambiente propício para o surgimento de novas formas de organização política e artística diante de uma cultura formada pelo determinismo tecnológico. Por meio de dois exemplos atuais, os centros colaborativos a Tabacalera e
a Ingobernable na cidade de Madrid – Espanha, concluo que seja importante e necessário existir espaços não institucionalizados, livres e abertos para a comunidade que pratica metodologias de resiliência
tecnológica e social independentes.

Biografia do Autor

Fernando Luiz Ferreira Rabelo, Universitat Politecnica de València
Doutorando na Universidade Politecnica de Valencia-Espanha, programa de Doutorado em Produçao e Investigacao em Artes Visuais.  Mestre em Arte e Tecnologia e Graduado em Cinema de Animação pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Professor licenciado do Curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB.
Publicado
2019-11-22
Como Citar
FERREIRA RABELO, F. L. Los Ingobernables: Arte, Hackers, Colaboratividade e Resiliêcia na era da Cultura Pós-Digital. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, p. 246-265, 22 nov. 2019.
Seção
Artigos - Seção temática