Técnicas de impressão comercial colorida sobre papel

o apelo material da cromolitografia e da risografia como impressos efêmeros colecionáveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.25859

Palavras-chave:

impressos, coleções, aura, cromolitografia, risografia

Resumo

Apesar da alardeada “morte do impresso” com as mídias digitais, este artigo investiga aspectos materiais em que a impressão sobre papel, mais especificamente nos chamados impressos efêmeros, ainda exerce uma potência de significação diferenciada. Esta investigação se baseia na análise material de técnicas comerciais de impressão colorida sobre papel, que se distinguem das técnicas de impressão de massa – mais especificamente a cromolitografia no século XIX e a risografia na atualidade –, ocupando territórios distintos no universo de bens colecionáveis: a guarda de patrimônio histórico por instituições públicas e a afirmação de estilo e identidade nas autopublicações de jovens artistas e designers. Discute-se ainda as diferenças na apreciação desses impressos através de mídias digitais ou do contato direto com amostras em papel.

Biografia do Autor

Helena de Barros, Escola Superior de Desenho Industrial/ UERJ

Helena de Barros é graduada em design (ESDI-UERJ, 1994, trabalho vencedor do Prêmio Carmem Portinho de Arte e Cultura), mestre em design (ESDI-UERJ, 2008) e doutora em design (ESDI-UERJ, 2018, Tese vencedora do Prêmio CAPES de Tese 2019 - Arquitetura, Urbanismo e Design e 2º Lugar do 32º Prêmio Museu da Casa Brasileira - trabalhos escritos e não publicados). Professora Adjunta na ESDI-UERJ (onde coordena o Laboratório de Oficina Gráfica), e no IED-RJ, Senac e Infnet. Pesquisadora do Programa Nacional de Apoio à Pesquisa da Fundação Biblioteca Nacional 2018-2019. Desenvolve projetos de design gráfico, principalmente de impressos, projetos editoriais e de exposição na área cultural. Especialista em imagem digital, pré impressão e produção gráfica, atua também em fotomontagens, além de restauração digital de acervos fotográficos. Artista digital (www.helenbar.com), participa de mostras individuais e coletivas, nacionais e internacionais (Delusional: Jonathan LeVine?s Search for the Next Great Artist - Jonathan LeVine Projects, Jersey City, EUA, 2017; Eu me desdobro em muitos: a autorrepresentação na fotografia contemporânea - FotoRio, CCBB - RJ, 2011, etc.). Consultora em identificação de técnicas de impressão de imagens por método microscópico, pesquisa sobre linguagem visual, cultura material, técnicas gráficas, impressos efêmeros e memória gráfica brasileira. Dedica-se especialmente às técnicas de impressão colorida, com ênfase na cromolitografia do século XIX e impressão de arte digital atual. 

Igor Arume, Escola Superior de Desenho Industrial/ UERJ

Igor Arume é mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Design da Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) da UERJ, na linha de pesquisa Teoria, Informação, Sociedade e História. Possui graduação em Comunicação Visual Design pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015), com período sanduíche nos Países Baixos (2013 - 2014), realizado na Saxion University of Applied Sciences, onde estudou no curso de Art&Technology.

Referências

ARAÚJO, Nathanael. Tempo de feira: experimentações impressas e construções de si. São Paulo, 2018. Folder da 20ª Feira Tijuana de Arte Impressa.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BENJAMIN, Walter. O colecionador. In Passagens. Trad. de Cleonice Paes Barreto Mourão e Irene Aron. Belo Horizonte: Ed. UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial, 2009.

BLACKWELL, Lewis. The End of Print: the Graphic Design of David Carson. San Francisco: Chronicle Books, 1995

CARDOSO, Rafael. Impressos efêmeros como fonte de estudo para a história da cultura brasileira. In: HEYNEMANN, Claudia Beatriz, RAINHO, Maria do Carmo Teixeira e CARDOSO, Rafael (ORGs). Marcas do Progresso: Consumo e design no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Mauad X. 2009.

CLIFFORS, James. The predicament of culture: twentieth-century ethnography, literature and art. Harvard University Press. Cambridge. 1988.

FARIAS, Priscila Lena; BRAGA, Marcos da Costa. Dez ensaios sobre memória gráfica. São Paulo: Blucher, 2018.

GLITZER, Gloria. Herbarium Riso. Berlim. Disponível em <https://herbarium-riso.com/contact>. Acesso em 15 de outubro de 2020.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônio. Rio de Janeiro: Departamento de Museus e Centro Culturais, 2007. (Coleção Museu, Memória e Cidadania).

KOMURKI, John Z. Risomania: the new spirit of printing. Suíça: Niggli Verlag, 2018.

MONTEIRO, Luís. Do Papel ao Monitor Possibilidades e Limitações do Meio Eletrônico. In: XXIV Congresso Brasileiro da Comunicação. Campo Grande, MS: INTERCOM, 2001. Disponível em: http://reposcom.portcom.intercom.org.br/bitstream/1904/4500/1/NP4MONTEIRO.pdf. Acesso em 17 dez. 2007.

POMIAN, K. Collecionneurs, amateurs et curieux. Paris, Venice: XVIe-XVIIIe Siècle. Paris, Ed. Gallimard, 1987.

RICHMOND, W. D. Colour and colour printing as applied to lithograph. London: Wyman & Sons, 1885.

RICKARDS, Maurice. Collecting printed ephemera. Oxford: Phaidon/New York: Abbeville, 1988.

TWYMAN, Michael. The Long-Term Significance of Printed Ephemera. In RBM: A Journal of Rare Books, Manuscripts, and Cultural Heritage, 2008.

WOODWARD, Ian. Understanding Material Culture. Londres: Sage Publications, 2007.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

BARROS, H. de; ARUME, I. Técnicas de impressão comercial colorida sobre papel: o apelo material da cromolitografia e da risografia como impressos efêmeros colecionáveis. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 11, n. 22, p. 265–296, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.25859. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/25859. Acesso em: 16 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática