Daguerreótipos de Agnès Varda

estética e política nas figurações da intimidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-2046.2023.44758

Palavras-chave:

estética, política, Agnès Varda, Daguerreótipos, figurações da intimidade

Resumo

Daguerreótipos (1975) é um documentário ou filme-ensaio de Agnès Varda (1928-2019), que apresenta retratos de seus vizinhos, os pequenos comerciantes da Rua Daguerre, em Paris. Esses retratos podem ser compreendidos como figurações da intimidade que refletem os limites entre eles e as aproximações decorrentes do cuidado com o qual a cineasta se endereça aos seus entrevistados. O texto desenvolve uma análise interpretativa que visa caracterizar essas figurações da intimidade através do olhar curioso e caloroso de Varda transposto para o filme em silêncio, longa duração e delicadeza. Também delineia uma dimensão política articulada à forma que Varda se aproxima de seus entrevistados, como um modo de vida, e traz sua significação aos espectadores, por meio de sua cinescrita poética.

Biografia do Autor

Fernanda Albuquerque de Almeida

Doutora em Estética e História da Arte pela USP. Atualmente é professora-convidada de Estética do Audiovisual na ECA-USP

Referências

ALTER, Nora. The essay film: after fact and fiction. New York: Columbia University Press, 2018.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BARTHES, Roland. O neutro: anotações de aulas e seminários ministrados no Collège de France, 1977-1978. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAZIN, André. Le Parisien Libéré, 7 de janeiro de 1956.

BORGES, Cristian; CAMPOS, Gabriela; AISENGART, Ines (org.). Agnès Varda: o movimento perpétuo do olhar. Rio de Janeiro/São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2006.

CÂMARA, Vasco. Vivo enquanto me recordo. Ípsilon, 23 de julho de 2009, atualizado em setembro de 2009. Disponível em: https://www.publico.pt/2009/07/23/culturaipsilon/noticia/quotvivo-enquanto-me-recordoquot-237161. Acesso em: 17 fev. 2023.

DELEUZE, Gilles. Cinema 2: a imagem-tempo. São Paulo: Editora Brasiliense, 2013.

DEROO, Rebecca J. Agnès Varda: Between Film, Photography, and Art. Oakland, CA: University of California Press, 2018.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Imagens apesar de tudo. São Paulo: Ed. 34, 2020.

OBRIST, Hans-Ulrich (org.). Entrevistas, v. 3. Rio de Janeiro: Cobogó; Belo Horizonte: Instituto Cultural Inhotim, 2010.

HEIDEGGER, Martin. A caminho da linguagem. Petrópolis, RJ: Vozes; Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco, 2003.

KLINE, T. Jefferson (ed.). Agnès Varda: Interviews. Mississippi: University Press of Mississippi, 2014.

LEMOS, Rodrigo de. A sinfonia do homem comum: Daguerreótipos, de Agnès Varda. Estado da Arte, 4 de fevereiro de 2021. Disponível em: https://estadodaarte.estadao.com.br/varda-daguerreotypes-de-lemos. Acesso em: 17 fev. 2023.

LÉVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito. Lisboa: Edições 70, 1980.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: EXO Experimental Org.: Editora 34, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

RICOEUR, Paul. Teoria da interpretação: o discurso e o excesso de significação. Lisboa: Edições 70, 2011.

VALÉRY, Paul. Poesia e pensamento abstrato. In: VALÉRY, Paul. Variedades. Organizado por João Alexandre Barbosa. São Paulo: Iluminuras, 2000. E-book.

YAKHNI, Sarah. Cinensaios de Agnès Varda: o documentário como escrita para além de si. São Paulo: Hucitec, 2014.

Downloads

Publicado

2023-08-01

Como Citar

ALMEIDA, F. A. de. Daguerreótipos de Agnès Varda: estética e política nas figurações da intimidade. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 28, p. 267–287, 2023. DOI: 10.35699/2238-2046.2023.44758. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/44758. Acesso em: 3 mar. 2024.