The Dark Side of Floripa

Ecosofia Apocalíptica, Arte-Encruzilhada e Paisagens Entrópicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-2046.2023.45238

Palavras-chave:

Arte pública, (Fuga)cidade, Outrização, Homos Chorume

Resumo

Desinfinitizar com os restos a beleza de um cartão-postal. Itinerários inscritos em linhas, traçados do olhar e do ver pela capital do estado de Santa Catarina. Um pensar sobre o bairro Itacorubi e as graves problemáticas existenciais, tendo como tema de reflexão a arte pública. Procuramos desenhar o feio, em um afetar com os restos da cidade, embrenhando pela Ecologia Menor inspirado nas ideias da pesquisadora Ana Godoy. The Dark Side of Floripa é um aterramento artístico de um ser não ecológico. Um desejo de composição de errâncias e (des)limites da palavra, uma descartabilidade com as noções de pensamentos-embalagens e de vasilhames mentais, uma partitura dissonante – the end of the night. Identificamos locais perturbadores e aterramos nossas inquietações nesses terrários.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Silva, Universidade Federal do Acre

Atua profissionalmente como professor do quadro efetivo da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE) do Estado do Acre, na área de Artes/Música, lotado na Escola de Música do Estado do Acre (EMAC). Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Letras: linguagem e identidade (PPGLI), na linha de pesquisa observatório de epistemologias e práticas curriculares: formação e atuação de professore(a)s das cidades, dos campos e das florestas amazônicas. Possui mestrado em educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Acre (UFAC), com ênfase no Currículo, Formação de Professores e Trabalho Docente. Graduado em Licenciatura em Música pela Universidade Federal do Acre (acadêmico transferido da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ). Atuou profissionalmente como professor substituto do Curso de Licenciatura em Música, na área da Educação Musical, vinculado ao Centro de Educação, Letras e Arte (CELA) da Universidade Federal do Acre.

Heleno Szerwinsk de Mendonça Rocha, Universidade Estadual de Santa Catarina

Sou formado em licenciatura/bacharelado na Geografia, pela Universidade Federal de Viçosa, com especialização em Economia Regional e mestrado em Educação pela Universidade Federal do Acre (UFAC). Atuei como professor do ensino básico, fundamental, médio e superior, no estado do Acre e em Minas Gerais. Atualmente como Técnico em Assuntos Educacionais, na Universidade Federal do Acre, vinculado à coordenação do Colégio de Aplicação (CAp) do estado do Acre, cursando o doutorado na linha do Currículo, Diferença e Educação Inclusiva (CDEI) na Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc).

Referências

BRISSAC, Nelson. Paisagens críticas Robert Smithson: arte, ciência e indústria. São Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2010.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 1995.

FOUCAULT, Michel. Os intelectuais e o poder: conversa entre Michel Foucault e Gilles Deleuze. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Organização, introdução e revisão técnica de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1972. p. 69-79.

GODOY, Ana. A menor das ecologias [apenas um esboço, nada senão o esboço de um esboço]. Cadernos de Subjetividades, São Paulo, n. 13, p. 143-153, 2011. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/cadernossubjetividade/article/view/38468/26126. Acesso em: 10 out. 2023.

GODOY, Ana. (org.). Livro dos afetos. São Paulo: EdUSP, 2008.

GODOY, Ana. Sismografia. Climacom Cultura Científica: Pesquisa, Jornalismo e Arte, ano 2, v. 2, 2015. Disponível em: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/sismografia-2/. Acesso em: 10 maio 2023.

GODOY, Ana. Somos todos invasores: pensando a sociabilidade das espécies. Curso de extensão. Santa Catarina: Grupo Atlas: Udesc, 2023.

HOLLMAN, Veronica (org.). Geografía y cultura visual: los usos de las imágenes en las reflexiones sobre el espacio. Buenos aires: Editora, 2007.

HISSA, Casio Eduardo Viana. A mobilidade das fronteiras: inserções da geografia na crise da modernidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

KASTRUP, Virgínea; PASSOS, Eduardo; ESCÒSSIA, Liliana da. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2012.

LUDD, Nedd. Apocalipse motorizado: a tirania do automóvel no planeta poluído. São Paulo: Editora Conrad, 2005.

ROLNIK, Suely. Cartografia Sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: EdUSP, 2013.

VANEIGEM, Raoul. A arte de viver para as próximas gerações. São Paulo: Editora Veneta, 2019.

Downloads

Publicado

2023-12-18 — Atualizado em 2024-03-27

Versões

Como Citar

SILVA, C. E.; ROCHA, H. S. de M. The Dark Side of Floripa: Ecosofia Apocalíptica, Arte-Encruzilhada e Paisagens Entrópicas. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 29, p. 118–133, 2024. DOI: 10.35699/2238-2046.2023.45238. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/45238. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta