Manet

erotismo pictórico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-2046.2023.47941

Palavras-chave:

Édouard Manet, pintura moderna, Georges Bataille., Erotismo

Resumo

Este ensaio pretende cruzar a produção pictórica de Édouard Manet e o problema do erotismo, conforme exposto por Georges Bataille. Ao que tudo indica, boa parte do trabalho de Manet parece dedicado ao problema do erotismo. Entendido como extravagância que também conforma a existência humana, o erotismo de Bataille guia a avaliação de algumas pinturas de Manet. Em especial, alguns nus femininos, pinturas dedicadas à tourada e à morte.

Biografia do Autor

Matheus Madeira Drumond

Doutor em História pela PUC-Rio, dedica-se à teoria e história da arte. Atualmente desenvolve estágio pós-doutoral junto ao Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da USP.

Referências

ASTRUC, Zacharie. Le Salon de 1863, feuilleton quotidien paraissant tous les soirs, pendant les deux mois de I'Exposition: Causerie, critique généraIe, bruits et nouvelles du jour. In: FRIED, Michael. Manet’s Modernism or The Face of Painting in the 1860’s. Chicago: University of Chicago Press, 1998. p. 448-450.

ARASSE, Daniel. Não se vê nada. Lisboa: KKYM, 2014.

BATAILLE, Georges. Manet. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2020.

BATAILLE, Georges. As lágrimas de Eros. Lisboa. Sistema Solar, 2015.

BATAILLE, Georges. Le Paradoxe de l’Érotisme. Nouvele Revue Française, ano 3, n. 29, maio 1955.

BATAILLE, Georges. O erotismo. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

BLUMENBERG, Hans. Naufrágio com espectador. Lisboa: Ed. Veja, 1992.

CLARK, T. J. A pintura da vida moderna: Paris na arte de Manet e de seus seguidores. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

FREUD, Sigmund. Além do princípio do prazer. In: FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 14: História de uma neurose infantil (“O homem dos lobos”), Além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). São Paulo: Companhia das Letras, 2010. p. 120-178.

FRIED, Michael. Manet’s Modernism or The Face of Painting in the1860’s. Chicago: University of Chicago Press, 1998.

JAMOT, Paul; WILDENSTEIN, Georges (org.). Manet: Catalogue critique (Collection L’Art Français). Paris: Les Beaux-Arts, édition d'études et de documents, 1932. (2 v.)

KRAUSS, Rosalind. Manet’s Nymph Surprised. The Burlington Magazine, v. 109, n. 776, p. 622-627, nov. 1967.

LEIRIS, Michel. O espelho da tauromaquia. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

RANUM, Orest. Os refúgios da intimidade. In: DUBY, G.; ARIÈS, P. (org.). História da vida privada, volume 3: do renascimento ao século das luzes. Porto: Edições Afrontamento, 1990.

SIMMEL, Georg. A coqueteira. In: SIMMEL, Georg. Cultura Filosófica. São Paulo: Editora 34, 2020. p. 117-140.

SIMMEL, Georg. Algumas reflexões sobre a prostituição no presente e no futuro. In: SIMMEL, Georg. Fragmentos sobre o amor e outros textos. Lisboa: Relógio D’Água, 2004. p. 25-42.

WARBURG, Aby. O Déjeuner sur l’herbe de Manet. A função pré-formadora das divindades pagãs elementares para o desenvolvimento do moderno sentimento de natureza. In: WARBURG, Aby. Histórias de fantasmas para gente grande. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. p. 330-352.

Downloads

Publicado

2023-12-18 — Atualizado em 2024-03-27

Versões

Como Citar

DRUMOND, M. M. Manet: erotismo pictórico. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 29, p. 33–62, 2024. DOI: 10.35699/2238-2046.2023.47941. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/47941. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta