Conciliar para consolidar: As disputas do Partido Liberal Moderado cearense no parlamento brasileiro (1836)

  • Noemia Dayana de Oliveira Universidade Federal de Campina Grande
Palavras-chave: Ceará, Partido Liberal Moderado, José Antônio de Pereira Ibiapina.

Resumo

A abdicação de D. Pedro I trouxe à tona diversos projetos políticos para a formação do Estado nacional, e um deles foi o do partido Liberal Moderado, cuja origem se deu a partir da dissidência com os Liberais Exaltados. No Ceará, o líder dos moderados era o padre José Martiniano de Alencar, o qual foi nomeado, em 1834, ao cargo de presidente da província. Político renomado, a sua rede de sociabilidades estendia-se à Corte, onde atuavam os senadores e deputados gerais. Destes últimos, o grupo cearense pela acentuada diversidade, encontrou dificuldades para manter a coesão de ideias e a união de seus membros. Diante disso, investigaremos o conflito ocorrido, em 1836, entre os parlamentares José Antônio de Pereira Ibiapina e Manoel do Nascimento Castro e Silva, buscando entender o acesso desses dois cearenses ao campo político, evidenciado a desigualdade entre eles e, consequentemente, o projeto de nação que propunham sob o mesmo espectro partidário.   

Referências

ALENCAR, Gustavo Magno Barbosa. Pelas tramas da política: A constituição do partido liberal moderado na província do Ceará (1830-1837). Dissertação (mestrado em História) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. 193f.
ARAÚJO, Francisco Sadoc de. Padre Ibiapina: Peregrino da Caridade. Fortaleza: Gráfica Tribuna do Ceará, 1995.
BASILLE, Marcelo. Luzes a quem está nas trevas: A linguagem política radial nos primórdios do Império. Topoi. Rio de Janeiro, set. 2001, p. 91-130.
BOURDIEU, Pierre. O campo político. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, DF, nº 5, pp. 193-216, jan/jul. 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2017.
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: O longo caminho. 24ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.
______. Mandonismo, coronelismo e clientelismo: Uma discussão conceitual. In: Dados, vol. 40, n. 2, Rio de Janeiro, 1997.
DUVERGER, Maurice. Introdução à Política. Lisboa: Estúdios Cor, 1974.
GUIMARÃES, Lúcia Maria Paschoal. Liberalismo moderado: Postulados ideológicos e práticas políticas no período regencial (1831-1837). In: GUIMARÃES, Lúcia Maria Paschoal; PRADO, Maria Emilia (orgs.). O liberalismo no Brasil imperial: origens, conceitos e práticas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Revan: UERJ, 2013. p. 101-125.
LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Prefácio de Jacques Revel. Tradução Cynthia Marques de Oliveira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.
MAGALHÃES, Wallace Lucas. O imaginário social como um campo de disputas: um diálogo entre Baczko e Bourdieu. Albuquerque – Revista de História. vol. 8, n. 16. jul.-dez./2016, p. 92-110.
MARIZ, Celso. Ibiapina, um apóstolo do Nordeste. 2ª ed. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1980.
NEVES, Lúcia Maria Bastos P. Liberalismo político no Brasil: ideias, representações e prática (1820-1823). In: GUIMARÃES, Lúcia Maria Paschoal; PRADO, Maria Emilia (orgs.). O liberalismo no Brasil imperial: origens, conceitos e práticas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Revan: UERJ, 2013. p. 73-100.
OLIVEIRA, Noemia Dayana de. Um intelectual a deriva: O padre Ibiapina e as articulações intelectuais no Nordeste oitocentista. Monografia (graduação em História) – Universidade Federal de Campina Grande. Campina Grande, 2017. 66f.
Publicado
2019-02-12