Os pôsteres alemães da primeira guerra mundial: uma análise do discurso nacionalista e o uso da mentalidade do período

  • André Luiz Bovo Instituto de Geociências e Ciências Exatas - UNESP - Rio Claro
Palavras-chave: Primeira Guerra Mundial, Alemanha, Propaganda

Resumo

Este artigo realiza uma análise do sentimento nacionalista presente nos pôsteres alemães da Primeira Guerra Mundial, realçando o uso mitologia germânica, a criação de uma identidade nacional na valorização da história nacional e de uma origem idealizada, a figura do guerreiro, do valor militar e da defesa de uma cultura superior. Para tal é abordado temas como a presença de cavaleiros, bandeiras, além de imagens demonstrando o sacrifício sendo realizado.  Objetiva-se, portanto, realçar a importância do estudo dos cartazes de guerra para a compreensão da sociedade alemã na Primeira Guerra Mundial.

Biografia do Autor

André Luiz Bovo, Instituto de Geociências e Ciências Exatas - UNESP - Rio Claro
Atualmente, bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, mestrando em Geografia pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Instituto de Geociências e Ciências Exatas - Rio Claro-SP. É graduado em História, sendo Bacharel e Licenciado pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - FCHS - Franca-SP.

Referências

ARARIPE, Luiz de Alencar. Primeira Guerra Mundial. In: MAGNOLI, Demétrio (Org.). História das guerras. 3ª. Ed. São Paulo: Contexto, 2006

BASTOS, Expedito Carlos Stephani. Justificar a guerra: A comunicação alemã de 1914 a 1918 por meio de cartazes e postais. Revista abcDesign, n. 17, p. 4-8, 2006. Disponível em: http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/abcDesign17.pdf Acesso em: 10 out. 2018.

BORTOLUCCE, Vanessa Beatriz. O uso do cartaz como propaganda de guerra na Europa – 1914-1918. In: Observatorio (OBS*) Journal, Campinas, vol.4 - nº3, p. 319-333, 2001. Disponível em: http://obs.obercom.pt/index.php/obs/article/view/345/365 Acessado em: 10 ago. 2018.

CRISTELLI, Paulo. Britain Need’s you at once! Quando o Estado precisa de seus cidadãos. In: Revista Cordis, São Paulo, n. 3-4, 2009-2010. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/cordis/article/view/9563/7112 Acesso em: 10 ago. 2018.

ELIAS, Norbert. Os alemães. A luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Organização de M. Schroeter. Tradução de A. Cabral. Revisão técnica de A. Daher. Rio de Janeiro, Zahar, 1997.

FAUSTO, Boris. A interpretação do nazismo, na visão de Norbert Elias. Mana, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 141-152, Apr. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/mana/v4n1/2429.pdf Acesso em 10 ago. 2018.

KOURY, Mauro Guilherme Pinheiro. EMOÇÕES E SOCIEDADE: UM PASSEIO NA OBRA DE NORBERT ELIAS. História: Questões & Debates, [S.l.], v. 59, n. 2, dez. 2013. ISSN 2447-8261. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/historia/article/view/37034/22826 Acesso em: 10 ago. 2018

MAYER. A. J. A força da tradição: a persistência do Antigo Regime. São Paulo. Companhia das Letras. 1987.

TORRES, Eduardo Cintra, “Bandeira e multidão, dois símbolos nacionais”. In: Observatorio (OBS*) Journal, n.o 4, 2008. Disponível em: http://obs.obercom.pt/index.php/obs/article/view/168/137 Acesso em: 10 ago. 2018

ZAGNI, Rodrigo Medina. AS PROFUNDEZAS DO INTANGÍVEL. Relações entre o anti‐semitismo religioso e o anti‐semitismo "científico" na justificativa nazista para a Shoah. 2008. Disponível em: http://www.diversitas.fflch.usp.br/files/as%20profundezas%20do%20intangivel.pdf Acesso em: 27 set. 2012.

ZUIN, João Carlos Soares. A CRISE DA MODERNIDADE NO INÍCIO DO SÉCULO XX. In: REVISTA ESTUDOS DE SOCIOLOGIA, Araraquara, v. 6, n. 11, p. 67-90, 2001. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/viewFile/412/1210 Acesso em: 10 ago. 2018.
Publicado
2019-02-12