História das mulheres e representações: a figura de Joana d'Arc nos livros didáticos de história

  • Rebecca Maria Queiroga Ribeiro Universidade de Brasília
Palavras-chave: gênero, mulheres, livros didáticos de história

Resumo

O presente artigo discute as possibilidades de análise da figura de Joana D’Arc, nos livros didáticos de História do Ensino Médio. Visando uma educação básica que esteja preocupada com uma sociedade mais igualitária, é preciso considerar uma história na perspectiva das mulheres. Isso significa trabalhar em consonância com um projeto de educação que se preocupe em desconstruir narrativas que excluam as mulheres do processo histórico, e que as colocam às margens dos livros didáticos de História. A partir da perspectiva feminista, consideramos que a categoria gênero é essencial para a análise da figura de Joana D’Arc. Com base nisso, consideramos a forma como sua imagem é apresentada e quais os discursos mobilizados para representar a heroína francesa. Realizamos nossa pesquisa em quatro livros do Ensino Médio de História, e construímos a análise em torno das narrativas apresentadas, questionando a forma como o material escolar apresenta-se, contribuindo, ou não, para uma história na perspectiva das mulheres.

Biografia do Autor

Rebecca Maria Queiroga Ribeiro, Universidade de Brasília
Mestranda do PPG em História, da Universidade de Brasília. Bolsista da CAPES.

Referências

AMARAL, Flavia Aparecida. História e ressignificação: Joana d'Arc e a historiografia francesa da primeira metade do século XIX. 2012. Tese (Doutorado em História Social), Universidade de São Paulo, 2012.
BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História, Sociedade & Cidadania. 2ª ed., São Paulo: FTD, 2016.
BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
CARA, Daniel. O programa “Escola sem Partido” quer uma escola sem educação. In: Ação Educativa. A ideologia do movimento Escola sem Partido: 20 autores desmontam o discurso. São Paulo: Ação Educativa, 2016.
COTRIM, Gilberto. História global. 3ª ed., São Paulo: Saraiva Educação, 2016.
DELUMEAU, J. História do medo no Ocidente: 1300-1800: uma cidade sitiada. São Paulo: Cia. das Letras, 2009.
DELGADO, Lucilia de Almeida Neves; FERREIRA, Marieta de Moraes. História do tempo presente e ensino de História. Revista História Hoje, v. 2, nº 4, p. 19-34, 2013.
DIAS, Adriana Machado; GRINBERG, Keila; PELLEGRINI, Marco. #Contato História. 1ª ed., São Paulo: Quinteto, 2016.
GOMES, Jerusa Vieira. Relações família e escola: continuidade e descontinuidade no processo educativo. Revista Idéias, São Paulo, n. 16, p. 84-92, 1993.
HALL, Stuart. Cultura e Representação. Rio de janeiro: Apicuri, 2016.
LAURETIS, Teresa de. A Tecnologia do Gênero. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque (Org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.
_____________________. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. In: Pro-Posições, Campinas, v. 19, n. 2, p. 17-23, 2008.
PENNA, Fernando de Araujo. O Escola sem Partido como chave de leitura do fenômeno educacional. In: FRIGOTTO, Gaudêncio. Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017.
MARTINS, Isabel. Analisando livros didáticos na perspectiva dos Estudos do Discurso: compartilhando reflexões e sugerindo uma agenda para a pesquisa. Pro-Posições, v. 17, n. 1 (49), p. 117-136, 2006.
MATOS, Julia. Joana D’Arc entre a História e a Literatura: de Jules Michelet a Érico Veríssimo. Aedos, n. 7, v. 3, p. 128-133, 2011.
MIRANDA, Sonia Regina. O livro didático de história hoje: um panorama a partir do PNLD. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 24, nº 48, p. 123-144, 2004.
MUNIZ, Diva do Couto Gontijo. Feminismos, epistemologia feminista e História das Mulheres: leituras cruzadas. OPSIS, [S.I.], v. 15, n. 2, p.316-329, 2015.
MUNAKATA, Kazumi. O livro didático: alguns temas de pesquisa. Revista Brasileira de História da Educação, v. 12, n. 3, p. 179-197, 2013.
NAVARRO-SWAIN, Tania. Histórias feministas, história do possível. In: STEVENS, Cristina; OLIVEIRA, Susane Rodrigues de; ZANELLO, Valeska (Orgs.). Estudos Feministas e de Gênero: articulações e perspectivas. Ilha de Santa Catarina: Editora Mulheres, 2014.
OLIVEIRA, Susane Rodrigues. Ensino de história das mulheres: reivindicações, currículos e potencialidades pedagógicas. In: STEVENS, Cristina; OLIVEIRA, Susane Rodrigues de; ZANELLO, Valeska. Estudos feministas e de gênero: articulações e perspectivas. Ilha de Santa Catarina: Mulheres, 2014.
OLIVEIRA, Cynthia Bisinoto Evangelista de; MARINHO-ARAÚJO, Claisy Maria. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27, n. 1, p. 99-108, 2010.
RAGO, Margareth. Epistemologia feminista, gênero e história. In: PEDRO, Joana Maria; GROSSI, Miriam Pillar. Masculino, feminino, plural: gênero na interdisciplinaridade. Florianópolis: Editora das Mulheres, 1998.
SALIBA, Elias Thomé. As imagens canônicas e o ensino de história. IN: SCHMIDT, Maria Auxiliadora; CANELLI, Marlene R. (orgs.). III Encontro Perspectivas do Ensino de História. Curitiba: UFPR/Aos Quatro Ventos, 1999.
SANTI, Heloise; SANTI, Vilso. Stuart Hall e o trabalho das representações. Anagrama, v. 2, n. 1, p. 1-12, 2008.
SILVA, Cristiani Bereta. O saber histórico escolar sobre as mulheres e relações de gênero nos livros didáticos de história. Caderno Espaço Feminino, v. 17, n. 1, p. 219-146, 2007.
SILVA, Marco Antônio. A Fetichização do Livro Didático no Brasil. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 3, p. 803-821, 2012.
SILVA, Valéria Fernandes da. Sujeito da história ou reclusa de caixa de texto: um olhar feminista sobre as representações femininas nos livros didáticos de história. In: STEVENS, Cristina; OLIVEIRA, Susane Rodrigues de; ZANELLO, Valeska. Estudos feministas e de gênero: articulações e perspectivas. Ilha de Santa Catarina: Mulheres, 2014.
SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Trad. De Christine Rufino Dabat e Maria Betânia Ávila. Recife: SOS Corpo, 1995.
VALENCIA, Antonia Fernández. Las mujeres como sujeto histórico: género y enseñanza de la historia. Didáctica de las Ciencias Experimentales y Sociales. España, Valencia, n. 18, p. 5-24, 2005.
VICENTINO, Bruno; VICENTINO, Cláudio. Olhares da História: Brasil e Mundo. 1ª ed. São Paulo: Editora Scipione, 2016.
Publicado
2019-06-25