Possibilidades do sublime em Walter de Maria (1968-1977)

  • Ana Lúcia Guimarães Universidade de Passo Fundo

Resumo

As noções de sustentabilidade e ecodesenvolvimento surgem nos anos 1960 como respostas ao relacionamento humano com a natureza até metade do século XX, em especial, em um sentido de crítica a falência do domínio técnico desenfreado que culminou nas duas Grandes Guerras Mundiais e seus efeitos. No campo da arte, essa nova interpretação da natureza tem ressonância em movimentos como a land art e obras de artistas como Walter de Maria, que passam a deixar de lado o paradigma do belo para uma interação mais pareada e próxima com a natureza, alcançada por meio da aplicação das leis do sublime. Além da estética, o novo caminho adotado pelo movimento coloca em xeque a face comercial da arte, de seus objetos afastados do cotidiano e do artista em sua genialidade. Coloca-se em questão então, a própria ideia do que é arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARCHER, Michael. Arte contemporânea: uma história concisa. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

BEARDSLEY, John. Traditional Aspects of New Land Art. In: Art Journal, v. 42, n. 3, Earthworks: Past and Present, 1982. p. 226-232. Disponível em: Acesso em: 17 maio 2018.

BERLEANT, Arnold. The aesthetc of art and nature. In: ______; CARLSON, Allen. (org.). The aesthetic of natural environments. Mississuaga: Broadview Press LTDA., 2004.

BURKE, Edmund. Uma investigação filosófica sobre a origem de nossas ideias do sublime e do belo. Tradução de Enid Abreu Dobránszky. Campina: Papirus, 1993.

GABLIK, Suzi. Minimalismo. In: STANGOS, Nikos (org.). Conceitos da arte moderna. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.

ÍTALO, Adriana. Arte e Natureza. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio, 2004.

KANT, Immanuel. Observações sobre o sentimento do belo e do sublime. [1764]. Tradução de R. Kempf e Vrin. In: RIBON, Michael. A arte e a natureza. São Paulo: Papirus, 1991a.

KANT, Immanuel. A crítica do juízo. [1790]. Tradução de Philonenko e Vrin. In: RIBON, Michael. A arte e a natureza. São Paulo: Papirus, 1991b.

MCFADDEN, Jane. Earthquakes, Photoworks, and Oz: Walter de Maria's Conceptual Art. In:
Art Journal, v. 68, n.. 3, 2009. p. 68-87. Disponível em: Acesso em: 19 maio 2018.

POE, Edgar Allan. O domínio de Arnheim. [1847]. Tradução de Charles Baudelaire. In: RIBON, Michael. A arte e a natureza. São Paulo: Papirus, 1991.

SANTOS, Milton. 1992: a redescoberta da Natureza. Estud. av., São Paulo , v. 6, n. 14, p. 95-106, Abr. 1992 . Disponível em: . Acesso em 15 maio 2018.

SMITH, Roberta. Arte conceitual. In: STANGOS, Nikos (org.). Conceitos da arte moderna. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.

STANGOS, Nikos. Prefácio. In: ______ (org.). Conceitos da arte moderna. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.
Publicado
2020-01-31