CHAMADA: Aletria v. 31, n. 2 (abr.-jun. 2021) – “Robinson Crusoé”: Um percurso de três séculos

2020-04-28

Organizadores: André Cardoso (UFF), Daniel Bonomo (UFMG), Luciana Villas Bôas (UFRJ), Thiago Cass (UFRJ).

Por ocasião dos trezentos anos da publicação de Robinson Crusoé (1719) e nos 290 anos da morte de seu autor, Daniel Defoe (1660–1731), a Aletria: Revista de Estudos de Literatura reunirá artigos dedicados às fecundas significações vinculadas às aventuras do célebre náufrago e à tradição narrativa que o projetou em diferentes formatos do século XVIII à atualidade. Muitas questões estimulam o exercício reflexivo em torno dessa obra de Defoe e permitem reler e reinterpretar a história de Robinson Crusoé como um episódio decisivo na encruzilhada dos tempos modernos. Robinson Crusoé articula realidades históricas implicadas nos processos expansionistas europeus – incluindo passagem relevante pelo território brasileiro –, nas concepções de mundo protestantes, na emergência da classe burguesa e no desenvolvimento do utilitarismo econômico. Além disso, seu protagonista foi convertido em uma espécie de mito do individualismo, assim como seu texto teve um papel central nas fundações do romance como gênero e da literatura infantojuvenil. Sofreu contínuas adaptações, do cinema aos quadrinhos, e promoveu o surgimento de vários contramodelos e de uma modalidade ficcional própria, altamente prolífera, conhecida como “robinsonada”, tão aderente à fantasia realista como à científica. Todos eles assuntos de interesse sempre renovado, que nos fazem retornar periodicamente a este clássico de Defoe. Assim, neste número da Aletria, serão bem-vindas contribuições que discutam essas questões e apresentem leituras atuais de Robinson Crusoé e de suas reposições discursivas em novos contextos, meios e formas.

Prazo para envio de artigos: 30 de outubro de 2020.