Linguagem e imagem: a arquitetura da dominação nazista

The Architecture of Nazi Domination

Palavras-chave: Peter Cohen, Victor Klemperer, arte e memória, arte e documento, cultura nazista

Resumo

O foco deste artigo recai sobre dois trabalhos de campos díspares: o livro LTI: a linguagem do Terceiro Reich, de Victor Klemperer, e o filme Arquitetura da destruição, de Peter Cohen. Ambos lidam com o testemunho e os documentos da Shoah, articulando lugares de memória distintos para elaborar o passado nazista. O cineasta e o filólogo se propõem exercer a tarefa de historiadores da cultura. Para o primeiro, a estética clássica fundamenta a cultura nazista, enquanto para o segundo, o Romantismo o faz. Embora contraditórios, os argumentos se complementam, pois essa dialética está presente na cultura artística moderna que opôs e integrou o clássico e o romântico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Cláudio da Costa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Professor Associado do Departamento de Teoria e História da Arte do Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), atuando nos cursos de Graduação e no Programa de Pós-graduação em Artes (PPGARTES/Uerj). Bolsista Produtividade do CNPq, Procientista da Uerj/Faperj e Cientistas do Nosso Estado (Faperj). Foi coordenador do PPGARTES entre 2010 e 2013 e presidente da comissão de elaboração do curso de Doutorado. Possui Graduação pela University of Northern Iowa (Iowa, EUA) com bolsa do International Institute of Education, Mestrado e Doutorado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com bolsa do CNPq, estágio Sanduíche na New York University com bolsa do CNPq e Estágio pós-doutoral Sênior na Université de Paris 1-Sorbonne com bolsa da Capes. É membro do conselho consultivo da revista VIS da UNB; membro do conselho editorial da revista Modos. Publicou os livros A gravidade da imagem: arte e memória na contemporaneidade(Quartet, 2014) e Cinema brasileiro (anos 70-70), dissimetria, oscilação e simulacro(7 Letras, 2000). Foi editor responsável pelas coletâneas Narrativas, ficções, subjetividades(em parceria com Sheila Cabo Geraldo - Quartet, 2012), Dispositivos de registros na arte contemporânea(Contra Capa, 2010). Foi vice-presidente da ANPAP no biênio 2011-12. Foi curador das exposições Tempo-Matéria(MAC-Niterói, 2010), Paisagem e extremos(CCJF, Rio de Janeiro, 2012), Cidade e desaparecimento(CCJF, Rio de Janeiro, 2011) e co-curador da exposição Carlos Zilio: paisagens 1974-1978(Galeria Candido Portinari, UERJ, 2011). Publicou na ARS (USP), Arte e Ensaios (UFRJ), Poiéisis (UFF), entre outras.Atualmente, desenvolve a pesquisa A gravidade da imagem: apropriação e repetição na arte contemporânea (Poéticas do arquivo).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. Tradução de Selvino José Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008. (Homo Sacer III)

ARGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna: do iluminismo aos movimentos contemporâneos. Tradução de Denise Bottmann e Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

ARQUITETURA da destruição. Direção, produção e roteiro: Peter Cohen. Narração: Rolf Arsenius (sueco), Bruno Ganz (alemão), Sam Gray (inglês). Suécia, 1989 (158 min), color. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=gDqGT4xepjQ. Acesso em 26 set. 2019.

BURKE, Peter. Eyewitnessing: the Uses of Images as Historical Evidence. London: Reaktion Books, 2001.

DIDI-HUBERMAN, George. Imagens apesar de tudo. Tradução de Paulo Neves. Lisboa: KKYM, 2012.

FOUCAULT, Michel. A vida dos homens infames. In: ______. Estratégia, poder-saber. Tradução de Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. p. 203-222. (Coleção Ditos e escritos, v. IV)

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2003.

KLEMPERER, Victor. LTI: a linguagem do Terceiro Reich. Tradução de Miriam Bettina Paulina Oelsner. Rio de Janeiro: Contraponto, 2009.

KLEMPERER, Victor. Os diários de Victor Klemperer: testemunho clandestino de um judeu na Alemanha nazista, 1933-1945. Tradução de Irene Aron. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

LACOUE-LABARTHE, Philippe. NANCY, Jean-Luc. O mito nazista. Tradução de Marcio Seligmann-Silva. São Paulo: Iluminuras, 2002.

LANZMANN, Claude. Le monument contre l’archive?. [Entrevista cedida a] Daniel Bougnoux; Régis Debray; Claude Mollard et al. Les Cahiers de Médiologie, Paris, n. 11, p. 271-279, 2001. DOI: https://doi.org/10.3917/cdm.011.0271. Disponível em: https://mediologie.org/ancien-site/cahiers-de-mediologie/11_transmettre/lanzmann.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

LE GOFF, Jacques. Documento/Monumento. In: ______. História e memória. Tradução de Bernardo Leitão et al. Campinas: UNICAMP, 2003. p. 525-539.

LEVI, Primo. É isto um homem? Tradução de Luigi Del Re. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

MORAES, Luís Edmundo de Souza. Negacionismo: a extrema-direita e a negação da política de extermínio nazista. Boletim do Tempo Presente, Aracaju, n. 4, p. 1-22, ago. 2013. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/tempopresente/article/view/4217/3517. Acesso em: 15 out. 2019.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Tradução de Mônica Saddy Martins. Campinas: Papirus, 2016.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, São Paulo, v. 10, p. 7-28, dez. 1993. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/12101. Acesso em: 7 out. 2019.

ROUSSO, Henry. [Entrevista cedida a] Angélica Müller e Francine Iegelski. Tempo, Niterói, v. 24, n. 2, maio/ago., 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/tem-1980-542x2018v240211. Acesso em: 27 set. 2019.

ROUSSO, Henry. Le Syndrome de Vichy. Paris: Seuil, 2016.

SALGUEIRO, Wilberth. O que é literatura de testemunho (E considerações em torno de Graciliano Ramos, Alex Polari e André du Rap). Matraga, Estudos Linguísticos e Literários, Niterói, v. 19, n. 31, jul./dez. 2012. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/matraga/issue/view/1241/showToc. Acesso em: 8 out. 2019.

SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Unicamp, 2003.
Publicado
2020-05-29
Como Citar
da Costa, L. C. (2020). Linguagem e imagem: a arquitetura da dominação nazista. Aletria: Revista De Estudos De Literatura, 30(2), 79-100. https://doi.org/10.35699/2317-2096.2020.22049
Seção
Dossiê – Memória e testemunho em tempos sombrios