Organização e resolutividade dos serviços públicos odontológicos para a atenção em saúde bucal de crianças

ESTUDO EM DOIS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

  • Anna Rachel dos Santos Soares Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Introdução: A organização da Atenção Primária à Saúde (APS) na Atenção à Saúde Bucal influencia os resultados de atendimento de crianças. Conhecer as características do serviço para minimizar e controlar o aparecimento das doenças bucais é de extrema importância. Objetivo: Descrever a organização e a resolutividade da rede pública de saúde para a atenção em saúde bucal de crianças de zero a seis anos em dois municípios brasileiros. Materiais e Métodos: Estudo de caso exploratório foi realizado com dados secundários dos prontuários de crianças atendidas em 2014 pelos serviços de saúde bucal [convencional ou Equipes de Saúde Bucal (ESB)] nos municípios de Belo Horizonte e Diamantina, Minas Gerais, Brasil. A resolutividade foi avaliada pela relação entre os percentuais de Tratamento Odontológico Concluído (TC) e de Primeira Consulta (PC). Nos dois municípios, a Estratégia Saúde da Família (ESF) é o modelo de organização dos serviços da APS. Em Belo Horizonte, amostra representativa das crianças examinadas no Levantamento de Necessidades pelas ESB foi selecionada de 18 das 147 Unidades Básicas de Saúde (UBS). Em Diamantina, a organização do atendimento odontológico é o convencional e dá-se por livre demanda, sendo realizado em 4 das 7 UBS. Análise descritiva dos dados foi realizada para obtenção de frequências absolutas e relativas. Resultados: Foram analisados 1.344 prontuários em Belo Horizonte, 595 deles de crianças (44,3%) que tiveram PC. Destas, 295 (21,95%) tiveram TC, com resolutividade de 49,54%. No município de Diamantina, todos os 43 prontuários odontológicos de crianças encontrados nas UBS com atendimento odontológico foram avaliados. Destas, 29 crianças (67,44%) tiveram a PC e 11 (25,58%) TC, representando resolutividade de 37,94%. Conclusão: Há diferenças na organização e no modelo de atenção em saúde bucal para crianças nos municípios estudados, que apresentaram diferenças quanto ao acesso e resolutividade dos serviços para esta faixa etária.

Descritores: Assistência odontológica; Avaliação em saúde; Resolutividade; Epidemiologia; Estratégia Saúde da Família.

Publicado
2019-10-30
Como Citar
Soares, A. R. dos S. (2019). Organização e resolutividade dos serviços públicos odontológicos para a atenção em saúde bucal de crianças. Arquivos Em Odontologia, 55. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/12655
Seção
Artigos