Pré-natal odontológico: assistência às gestantes na rede pública de atenção básica em saúde

  • Lorrany Gabriela Rodrigues Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Paula Molina Nogueira Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Isabela Oliveira Mourão Fonseca Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Raquel Conceição Ferreira Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Lívia Guimarães Zina Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Mara Vasconcelos Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Resumo

Objetivos: avaliar como se dá a assistência odontológica a pacientes gestantes na rede pública de atenção básica em saúde, através das práticas descritas pelos cirurgiões-dentistas que compõe essa rede. Materiais e Métodos: trata-se de um estudo transversal, em que os dados foram coletados por meio de questionário estruturado, entre maio e julho/2017 com cirurgiões-dentistas da rede pública de atenção básica em saúde do município de Belo Horizonte (MG). A análise foi por meio de cálculo de prevalência, utilizando o pacote estatístico STATA. Resultados: participaram deste estudo 260 cirurgiões-dentistas. Dentre eles, 98,5% atendiam gestantes, com média mensal de 1 a 4 atendimentos, havendo adesão ao tratamento em 54,5% dos casos. O acesso se deu, majoritariamente, através de encaminhamentos do médico e enfermeiro, ou livre demanda. Quase todos os dentistas (94,9%) sentem-se seguros para o atendimento da gestante. As principais dificuldades referiram-se à encaminhamento para tomadas radiográficas e falta de informação dos profissionais envolvidos no pré-natal e das gestantes sobre o atendimento odontológico. Conclusões: As gestantes estão recebendo assistência odontológica na rede pública de atenção básica e os cirurgiões-dentistas neste estudo não apresentaram receio em atende-as. O acesso facilitado aos serviços odontológicos disponíveis nos Centros de Saúde, está sendo executada, pelas informações prestadas pelos cirurgiões-dentistas pôde-se ver que o encaminhamento das gestantes feito pelos profissionais de saúde envolvidos no pré-natal, seja ele médico, enfermeiro, Agente Comunitário de Saúde, é realizado.

Descritores: Gestantes, Assistência odontológica, Sistema Único de Saúde.

Referências

(01) Brasil. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.
(02) Araújo JD. Polarização epidemiológica no Brasil. Informe Epidemiológico SUS.1992; 1(2):5-16.
(03) Brasil. Ministérios da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva – cadernos de atenção básica, n. 26. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.
(04) Baptista MN, Baptista ASD, Torres ECR. Associação entre suporte social, depressão e ansiedade em gestantes. Psicol., Ciênc. Prof. 2006; 7:39-48.
(05) Silva AFC, Gonçalves CRC, Costa CAL, Abreu FTEB, Fontoura NCMC. Systemicalterationsandtheir oral manifestations in pregnantwomen. J ObstetGynaecol Res. 2017;43(1):16-22.
(06) González-Jaranay M, Téllez L, Roa-López A, Gómez-Moreno G, Moreu G. Periodontal status duringpregnancyand post partum. PLoSOne. 2017;12(5):e0178234.
(07) Schwendicke F, Kaarimbux N, Allareddy V, Gluud C. Periodontal treatment for preventing adverse pregnancy outcomes: a meta- and trial sequential analysis. PLoSOne. 2015; 10(6): 1-12.
(08) Krüger MSM, Lang CA, Almeida LHS, Bello-Corrêa FO, Romano AR, Pappen FG. Dental pain and associated factors among pregnant women: an observational study. Matern Child Health J. 2015; 19(3): 504-10.
(09) Figueira TR, Ferreira E, Schall V, Moderna C. O modelo de crenças e saúde e o processo saúde-doença-cuidado bucal por gestantes. ROBRAC. 2013;22(63):169-173.
(10) Codato LAB, Nakama L, Junior CL, Higasi MS. Atenção odontológica à gestante: papel dos profissionais de saúde. CienSaude Colet. 2011; 16(4): 2297-2301.
(11) Leal NP, Jannotti CB. Saúde Bucal da Gestante atendida pelo SUS: práticas e representações de profissionais e pacientes. Femina. 2009; 37(8): 413-421.
(12) Brasil. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.
(13) Codato, LAB, Nakama L, Melchior R. Percepção das gestantes sobre atenção odontológica durante a gravidez. CienSaude Colet. 2008; 13(3):1075-1080.
(14) Jessani A, Laronde D, Mathu-Muju K, Brondani MA. Self-Perceived Oral Health and Use of Dental Services by Pregnant Women in Surrey, British Columbia. J CanDent Assoc. 2016;82:g28.
(15) Cardoso AVL, Vargas AMD, Amaral JHL, Vasconcelos M, Machado KM, Soares ARS,et al. Use andresolubility of the oral healthpublicservicesofferedtochildren in largemunicipality. RevGaucha Odontol. 2018; 66(1):60-69.
(16) IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Cidades – Belo Horizonte. [Acesso em 06 jul 2017] .Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=310620&search=minas-gerais|belo-horizonte
(17) Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica [Internet]. Histórico de cobertura da saúde da família. [Acesso em 06 jul 2017]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/historico_cobertura_sf.php
(18) Bradburn NM,Sudman S,Wansink B. Asking questions. The definitive guide to questionnaire design - For market research, political polls, and social and health questionnaires. San Francisco: Jossey-Bass; 2004.
(19) Gonçalves CA, Vazquez FL, Ambrosano GMB, Mialhe FL, Pereira AC, Sarracini KLM, et al. Estratégias para o enfrentamento do absenteísmo em consultas odontológicas nas Unidades de Saúde da Família de um município de grande porte: uma pesquisa-ação. CienCaude Colet. 2015; 20(2): 449-460.
(20) Bahramian H, Mohebbi SZ, Khami MR, Quinonez RB. Qualitativeexplration of barriersandfacilitators of dental servisse utilization of pregnantwomen: A triangulation approach. BMC PregnancyChildbirth. 2018; 18(1):153
(21) Fagoni TG, Vasconcelos RA, Cardoso PE, Gomes APM, Camargo HR, Gonçalves SHF. Dental treatment for the pregnant patient. Braz Dent Sci. 2014;17(3):3-10.
(22) Bertness J, Holt K. Oral health care during pregnancy: a resource guide. Washington (D.C.): National Maternal and Child Oral Health Resource Center. 2012.
(23) Fayans EP, Stuart HR, Carsten D, Ly Q, Kim H. Local anesthetic use in the pregnant and postpartum patient. DentClin North Am. 2010;54(4):697-713.
(24) FoodandDrugAdministration[Internet]. Pregnancy, lactation, and reproductive potential: labeling for human prescription drug and biological products —content and format: guidance for industry. Dec, 2014. [Acesso: 09 nov 2017]. Disponível em: www.fda.gov/downloads/Drugs/GuidanceComplianceRegulatoryInformation/Guidances/UCM425398.pdf.
(25) Amadei SU, Carmo ED, Pereira AS, Silveira VAS, Rocha RF. Prescrição medicamentosa no tratamento odontológico de grávidas e lactantes. RGO. 2011; 59:31-37.
(26) Achtari MD, Georgakopoulou EA, Afentoulide N. Dental Care Throughout Pregnancy: What a Dentist Must Know. Oral Health Dent Manag. 2012;11(4):169-76.
(27) Martins LO, Pinheiro RPS, Arantes DC, Nascimento LS, Santos Junior PB. Assistência odontológica à gestante: percepção do cirurgião-dentista. RevPan-Amaz Saúde. 2013; 4(4): 11-18.
(28) Bastos RDS, Silva BS, Cardoso JA, Farias JG, Falcão GGVCS. Desmistificando o atendimento odontológico à gestante. Revista Bahiana de Odontologia. 2014; 5(2):104-116.
Publicado
2018-12-26
Seção
Artigos