FLUOROSE DENTÁRIA EM JOVENS NÃO EXPOSTOS A AGUA FLUORETADA DURANTE A FORMAÇÃO DENTÁRIA

  • Nemre Adas Saliba Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • Suzely Adas Saliba Moimaz Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • Orlando Saiba Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • Karina Tonini dos Santos Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • Renato Herman Sundfeld Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • Ricardo Takeda Lelis Universidade Estadual Paulista - UNESP

Resumo

Esse artigo tem como objetivo avalar a prevalência de fluorose dentária em adolescentes residentes em um municjoio onde a Iluoretoção da água de abastedmento público estava em processo de implantação. A amostra foi selecionada por meio de sorteio dos quadras em cada setor censllário e posteriormente das residências, totalzanob 177 adolescentes e jovens, pertencentes à faka etária de 11 a 19 anos. Os exames foram realzodos nos obmiclios, sob ibminoção natural, por cirurgiões-dentistas devidamente !reinados e caibrados (Kappa = 0,91), utilizando-se o índice de Dean e metodologia preconizada pela Organização Mundial de Saúde. Observou-se que 6,21% dos indivíduos apresentavam fluorose dentária, sendo 5,08% grau 2 (muito leve) e 1,13% grau 3 (leve). Não foram observados nessa população os graus moderado e severo. A prevalência de fluorose encontrada foi baka, de modo que essa doença não representa um problema de saúde pública no municjoio pesquisado.

DescnYores: flúor, fluorose dentária, saúde púbica

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nemre Adas Saliba, Universidade Estadual Paulista - UNESP
Professor Titular do programa de Pôs-graduação em Odontologia Preventiva e Social da Faculdade de Odontologia de Ataçatuba da Universidade Estadual Paulista - UNESP
Suzely Adas Saliba Moimaz, Universidade Estadual Paulista - UNESP
Profesor Adjunto do programa de Pós-groduação em Odontobgia Preventiva e Social da Faculdade de Odontobgia de Araçatuba da UNESP.
Orlando Saiba, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Professor Titular do programa de Pôs-graduação em Odontologia Preventiva e Social da Faculdade de Odontologia de Ataçatuba da Universidade Estadual Paulista - UNESP 

Karina Tonini dos Santos, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Mestrando do programa de Pós-graduação em Odontobgia Preventiva e Social da Faculdade de Odontobgla de Araçatuba da UNESP.

Renato Herman Sundfeld, Universidade Estadual Paulista - UNESP
Profesor Adjunto do programa de Pós-groduação em Odontobgia Preventiva e Social da Faculdade de Odontobgia de Araçatuba da UNESP.
Ricardo Takeda Lelis, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Mestrando do programa de Pós-graduação em Odontobgia Preventiva e Social da Faculdade de Odontobgla de Araçatuba da UNESP.

Referências

1. Mólier IJ. Fluorides and dental fluorosls. Int Dent J 1982; 32:135-147.
2. Murray JJ. Appropriate use of fluorlde for human health. Genebra: World health Organization; 1986.
3. Ely HC, Pretto SM. Fluorose e cárie dentária: estudo epidemiológico em cidades do Rio Grande do Sul com diferentes níveis de flúor nas águas de abastecimento. Rev Odonto Ciência 2000; 31: 143-173.
4. Denbesten PK. Biological mechanisms of dental fluorosis relevant to the use of fluoridesupplements. Community Dant Oral Epidemiol 1999; 27:41-47.
5. Moysés SJ, Moysés ST, Allegretti ACV, Argenta M, Werneck R. Fluorose dental: ficção epidemiological? Rev Panam Sdud Publica 2002; 15: 339-346.
6. Forte FDS, Santos NB, Moimaz SAS, Saliba, NA. Bases científicas para um correto diagnóstico de fiuorose dentária. J Bras Clin Odontol Int 2002; 6:494-496.
7. Khan A, Moda MH, Cleaton-Jones P. Global trends In dental fiuorosis from 1980 to 2000: a systematic review. SADJ 2005; 60: 418-21.
8. Uchoa HW, Saliba NA. Prevalência de fiuorose na cidade de Pereira Barreto. Boi Serv Odont Sanit 1970; 6: 11-16.
9. Ando T. Estudo comparativo da prevalência de cárie, em dentes permanentes de escolares residentes em regiões com alto e baixo teor de flúor. Rev Fac Odontol Univ Sôo Paulo 1975; 13: 261-266.
10. Alcaide AL, Veronezi O Prevalência de fiuorose dental na cidade de Icem. Rev Assoc Paul Cir Dent 1979; 33: 90-95.
11. Capeiia LF, Carcereri DL, Paiva SM, Rosso RA, Pdxôo RF, Saltori, EK. Ocorrência de fiuorose dentária endêmica. RGO 1989; 37: 371-375.
12. Silva ALCC, Paiva SM. Ocorrência de fluorose dentária em escolares de Belo Horizonte. Rev Cromg 1995; 1: 49-53.
13. Campos C, Toledo AO, Bezerra AC. Prevalência de fiuorose dentária em escolares de Brasília - Distrito Federal. Rev Odontol USP 1998; 12: 225-230.
14. Alcântara CM. Prevalência de fiuorose dental em escolares de Curitiba. Rev ABO Nac 1998; 6: 304-307.
15. Ferreira HCG, Gomes AM M, Silva KRCS, Rodrigues CRMD, Gomes AA. Avaliação do teor de flúor na água de abastecimento público do município de Vitória - ES. Rev Ass Paul Cir Dent 1999; 53:455-459.
16. Sampaio FC. Prevalência de cárie e fluorose dental em cidades com fluoretação natural no estado da Paraíba. (Dissertação de mestrado). Rio de Janeiro: Faculdade de Odontologia da Universidade Federal Fluminense; 1992.
17. Marcelino G, Guimarães MB, Silva PR, Tamari ALM, Guimarães LOC, Saliba NA. Fluorose dentária em escolares da rede pública na cidade de Araçatuba. Rev Inst Ciênc Saúde 1999; 17: 89-92.
18. Pereira AC, Moreira BW. Analysis of three dental fiuorosis indexes used In epidemiologic triais. Braz Dent J 1999; 10: 29-37.
19. Forte FDS, Freitas CHSM, Sampaio, FC et al. Fluorose dentária em crianças de Princesa Isabel, Paraíba. Pesq Odontol Bras 2001; 15: 87-90.
20. Maitz M, Silva BB. Relação entre cárie, gengivite e fluorose e nível socioeconómico em escolares. Rev Saúde Pública 2001; 35: 170-176.
21. Gonini CAJ, Morita MC. Dental fiuorosis In children attending baslc health units. J Appi Oral Sci 2004; 12: 189-194.
22. Bardai PAP, Olymplo KPK, Bulasaf MAR. Cárie e fluorose dentária em escolares de 7 a 12 anos de idade em Catalão, Goiás, Brasil. J Appl. Oral Sci 2005; 13: 35-40.
23. Fundação Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de dados), 2005. Informações dos municípios paulistas. Disponível em URU• http:// www.seade.gov.br. (2006 Jun 15).
24. OMS (Organização Mundial de Saúde). Levantamentos Básicos em Saúde Bucal. São Paulo:Editora Santos; 1999.
25. Kramer MS, Feinstein AR. Clinicai biostatistics: the biostatistics of corcondance. Clinicai Pharmacology e Therapeutics 1981; 29:454-459.
26. Secretaria do Estado de São Paulo. Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal: Estado de São Paulo, 1998. São Paulo: Secretaria do Estado de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo; 1999.
27. Brasil, Ministério da Saúde. Projeto SB Brasil 2003 - Condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003 - Resultados Principais. Brasília, DF; 2004.
28. Buendia OC, Zd na 1. Fluorose dentária na cidade de São João do Pau D'Alho. Rev Ass Paul Cir Dent 1982; 36: 625.
29. FeJerskov O, Baelum V, M anil F, Moller JJ. Fluorose dentária: um manual para profissionais de saúde. São Paulo: Santos; 1994.
30. Frazão P, Peverari AC, Forni TIB, Mota AG, Costa LR. Fluorose dentária: comparação de dois estudos de prevalência. Cad Saúde Púbica 2004; 20:1050-8.
31. Lima YBO, Cury JA. Ingestão de flúor por crianças pela água e por dentifrícios. Rev Saúde Publica 2001; 35: 576-581.
32. Hayacibara MF, Queiroz CS, Tabchoury COM. et d. Flúor e alumínio em chás e bebidas à base de chás. Rev. Saúde Pública 2004; 38:100-5.
33. Ramires I et al. Avaliação da concentração de flúor e do consumo de água mineral. Rev Saúde Pública 2004; 38:459-465.
34. Pereira AC, Cunha MC, Meneghim MC. Prevalência de cárie dentária e fluorose em escolares de áreas fiuoretadas e não fiuoretadas. In: 15° Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontolágica. Águas de São Pedro (SP); 1998. p. 121.
35. Maitz M, Silva BB, Schaeffer A, Farias C. Prevalência de fluorose em duas cidades brasileiras, uma com água artificialmente fluoretada e outra com baixo teor de flúor, em 1987 e 1997/98 -2000. Rev Fac Odontol Porto Alegre 2000; 2:51-5.
36. Cunha LF, Tomita NE .Dental fluorosis In Brasil: a systematic review from 1993 to 2004. Cad. Saúde Pública 2006; 22:1809-1816.
37. Narval, PC. Cárie dental e flúor: Uma relação do séc. XX. Ciência e Saúde Coletiva 2000; 5:183-189.
38. McDonagh M, Whiting P, Brandey M, Cooper J, Sutton A, Chestnutt I, Misso K, Wilson P, Treasure E, KlelJnen J. A systematic review of public water fluoridation. York: National Health Services Centre for Reviews and dissemination; 2000.
39. Hawley GM, Ellwood RP, Davies RM. Dental caries, fluorosis and cosmetic implications of dfferent TF scores In 14-year old adolecents. Community Dent Oral Epidemiol 1996; 13:189-192.
40. Menezes LMB, Souza MLR, Rodrigues LKA, CuryJA. Autopercepção da fluorose pela exposição a flúor pela água e dentifrício. Rev Saúde Publica 2002; 36: 752-4.
41. Cangussu MCT, Narval PC, Fernandez RC, Diehizian V. A fluorose dentária no Brasil: urna revisão crítica. Cad Saúde Pública 2002; 18: 7-15
Publicado
2016-03-02
Como Citar
Saliba, N. A., Moimaz, S. A. S., Saiba, O., Santos, K. T. dos, Sundfeld, R. H., & Lelis, R. T. (2016). FLUOROSE DENTÁRIA EM JOVENS NÃO EXPOSTOS A AGUA FLUORETADA DURANTE A FORMAÇÃO DENTÁRIA. Arquivos Em Odontologia, 42(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3408
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)