Levantamento de lesões na região bucomaxilofacial em vítimas de violência periciadas no Instituto Médico Legal (IML) de Feira de Santana-BA, entre 2007 e 2009

  • Rodolfo Macedo Cruz Pimenta
  • Felipe Rafael Rios Oliveira Matos
  • Mona Lisa Cordeiro Asselta da Silva
  • Ana Áurea Alécio de Oliveira Rodrigues Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia
  • Jeidson Antônio Morais Marques Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia
  • Jamilly de Oliveira Musse Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia

Resumo

Objetivo: Analisar o perfil das vítimas e agressores, segundo as variáveis sociodemográficas e manifestações clínicas orofaciais em Feira de Santana-Bahia, no período de 2007-2009. Materiais e Métodos: Estudo epidemiológico do tipo descritivo utilizando dados secundários coletados no Instituto Médico Legal de Feira de Santana, nos anos de 2007 a 2009. Foram consultadas as características sócio-demográficas da vítima; vínculo da mesma com o agressor; caracterização do instrumento; descrição das lesões quanto ao
tipo e localização; avaliação do dano causado. Após a tabulação dos dados, realizou-se a análise estatística dos mesmos através do programa SPSS, versão 15.0. Resultados: A maioria das vítimas pertenceu ao sexo
masculino, eram solteiras, faiodermas e apresentaram idade entre 18 e 35 anos. Quanto ao tipo de lesão, houve destaque para o edema (14,8%), a fratura dentária (14,8%) e a luxação dentária (11,2%). As estruturas
intra-orais mais afetadas foram os dentes e a mucosa labial, com 54,6% e 30,9%, respectivamente. No exame extra-oral as regiões bucal (39%) e malar (10,3%) apresentaram um comprometimento maior. O emprego do
instrumento contundente foi mais comum, na maioria das agressões. Conclusão: Houve um maior número de vítimas do sexo masculino, solteiro, estudante, faioderma e com idade entre 18 e 35 anos. Na maioria dos
laudos não havia informações sobre o agressor. O instrumento contudente foi o mais utilizado no momento da agressão. O edema e a fratura dentária foram os principais tipos de lesões resultantes da violência. Os
resultados desta pesquisa denotam a necessidade de implementação de programas preventivos da violência nas áreas de saúde e de segurança pública.
Descritores: Odontologia Legal. Violência. Epidemiologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodolfo Macedo Cruz Pimenta
Cirurgião-Dentista, Bahia, Brasil
Felipe Rafael Rios Oliveira Matos
Cirurgião-Dentista, Bahia, Brasil
Mona Lisa Cordeiro Asselta da Silva
Cirurgião-Dentista, Bahia, Brasil
Ana Áurea Alécio de Oliveira Rodrigues, Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia
Departamento de Saúde, Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia, Brasil.
Jeidson Antônio Morais Marques, Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia
Departamento de Saúde, Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia, Brasil.
Jamilly de Oliveira Musse, Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia
Departamento de Saúde, Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia, Brasil.

Referências

1. Minayo MCS. A violência social sob a perspectiva da saúde pública. Cad Saúde Pública 1994;10 (1):07-18.
2. Chiaperini A, Bérgamo AL, Bregagnolo LA, Bregagnolo JC, Watanabe MGC, Silva RHA. Danos bucomaxilofaciais em mulheres avaliados no Instituto Médico-Legal de Ribeirão Preto (SP), no período de 1998 a 2002. Rev Odonto Ciênc. 2009;24:71-6.
3. Santi LN, Mestriner Júnior W, Nakano AMS. Pesquisas sobre violência e odontologia legal: revisão da produção científica do Brasil. Rev Odonto Ciênc. 2005;20:242-4.
4. Garbin CAS, Rovida TAS, Garbin AJI, Saliba O,Dossi AP. A importância da descrição de lesões odontológicas nos laudos médico-legais. RPG Rev Pós-Grad. 2008;15:59-64.
5. Gianini RJ, Litvoc J, Eluf Neto J. Agressão física e classe social. Rev Saúde Pública. 1999;33:180-6.
6. Roselino LMR, Bregagnolo LA, Pardinho MABS, Chiaperini A, Bérgamo AL, Santi LN et al. Danos buco-maxilo-faciais em homens
da região de Ribeirão Preto (SP) entre 1998 e 2002. Odontologia, Ciência e Saúde – Revista do Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais. 2009;10:71-7.
7. Rezende EJC, Araújo TM, Moraes MAS, Santana JSS, Radicchi R. Lesões buco-dentais em mulheres em situação de violência: um
estudo piloto de casos periciados no IML de Belo Horizonte, MG. Rev Bras Epidemiol. 2007;10:202-14.
8. Nedel F, Nedel AP, Silva RHA, Lund RG. Evaluation of identification cases involving forensic dentistry in the city of Pelotas, RS,
Brazil, 2004-2006. Braz J Oral Sci. 2009,8:55-8.
9. Garbin CAS, Garbin AJI, Dossi AP, Dossi MO. Violência doméstica: análise das lesões em mulheres. Cad Saúde Pública. 2006;22:2567-73.
10. Saliba O, Garbin CAS, Garbin AJI, Dossi AP.Responsabilidade do profissional de saúde sobre a notificação de casos de violência doméstica. Rev Saúde Pública. 2007;41:472-7.
11. Chiaperini A, Bérgamo AL, Bregagnolo LA, Bregagnolo JC, Watanabe MGC, Silva RHA. Correlações presentes entre danos
bucomaxilofaciais e lesões corporais em mulheres: uma revisão de literatura. Saúde, Ética & Justiça. 2008;13:72-8.
12. Cavalcanti AL. Lesões no complexo maxilofacial em vítimas de violência no ambiente escolar. Ciênc Saúde Coletiva. 2009;14:1835-42.
13. Sales-Peres A, Silva RHA, Lopes-Júnior C, Carvalho SPM. Odontologia e o desafio na identificação de maus-tratos. Odontol Clín-Cient. 2008;7:185-9.
14. Deslandes SF, Gomes R, Silva CMFP. Caracterização dos casos de violência doméstica contra a mulher atendidos em dois hospitais
públicos do Rio de Janeiro. Cad Saúde Pública. 2000;16:129-37.
15. Schraiber LB, D’Oliveira AFPL, França-Junior I, Pinho AA. Violência contra a mulher: estudo em uma unidade de atenção primária à saúde. Rev Saúde Pública. 2002;36:470-7.
16. Cardozo HF. Avaliação médico-legal das lesões do complexo maxilomandibular. In: Silva M. Compêndio de Odontologia Legal. São Paulo: Medsi; 1997.
17. Montovani JC, Campos LMP, Gomes MA, Moraes VRS, Ferreira FD, Nogueira EA. Etiologia e incidência das fraturas faciais em
adultos e crianças: experiência em 513 casos. Rev Bras Otorrinolaringol. 2006;72:235-41.
18. Wulkan M, Parreira Júnior JG, Botter DA. Epidemiologia do trauma facial. AMB Rev Assoc Med Bras. 2005; 51: 290-5.
19. Brasil. Ministério da Saúde. Norma técnica: Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes. 2a ed. Brasília: Secretaria de Políticas da Saúde; 2002.
20. Peterson LJ, Ellis E, Hupp JR, Tucker MR. Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1996.
21. Andreasen JO, Andreasen FM. livro texto e atlas cor de lesões traumáticas aos dentes. 3 ª ed. Copenhagen: Editora Mosby; 1994.
22. Pesce R. Violência familiar e comportamento agressivo e transgressor na infância: uma revisão da literatura. Ciênc Saúde Coletiva. 2009;14(2):507-18.
23. Costa MCO, Carvalho RC, Santa Bárbara JFR, Santos CAST, Gomes WA, Sousa HL. O perfil da violência contra crianças e adolescentes, segundo registros de Conselhos Tutelares: vítimas,
agressores e manifestações de violência. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12:1129-41.
24. Silveira JLGC, Mayrink S, Nétto OBS. Maustratos na infância e adolescência: casuística, conhecimento e práticas de cirurgiões-dentistas de Blumenau-SC. Pesqui Bras Odontopediatria 161
10.7308/aodontol/2013.49.4.01 Clín Integr. 2005;5:119-26.
25. Carvalho ACR, Barros SG, Castro Alves A, Gurgel CA. Maus-tratos: estudo através da perspectiva da delegacia de proteção à criança e ao adolescente em Salvador, Bahia. Ciênc. Saúde
Coletiva. 2009;14:539-46.
26. Reis JC, Fradique FS. Significações sobre causas e prevenção das doenças em jovens adultos, adultos de meia idade e idosos. Psicologia. 2003;19:47-57.
27. Ogundare BO, Bonnick A, Bayley N. Pattern of mandibular fractures in an urban major trauma center. J Oral Maxillofac Surg. 2003;61:713-8.
28. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – [Internet]. [acesso em 2010 dez 01]. Primeiros resultados do censo demográfico
2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/ cidadesat/topwindow.htm?1.
29. Penna LHG, Santos NC, Souza ER. A produção científica sobre violência doméstica na área da saúde pública. Rev Enferm UERJ 2004;12:192- 8.
30. Ramos DG. Contribuição para o estudo jurídico das lesões corporais que incidem sobre o complexo maxilo-mandibular. São Paulo: Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo; 1998.
Publicado
2016-06-10
Como Citar
Pimenta, R. M. C., Matos, F. R. R. O., Silva, M. L. C. A. da, Rodrigues, A. Áurea A. de O., Marques, J. A. M., & Musse, J. de O. (2016). Levantamento de lesões na região bucomaxilofacial em vítimas de violência periciadas no Instituto Médico Legal (IML) de Feira de Santana-BA, entre 2007 e 2009. Arquivos Em Odontologia, 49(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3638
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)