Balanço de carbono do processo de produção de madeira de reflorestamento no norte de Minas Gerais

Autores

  • Ciro Lacerda Souza Universidade Federal de Minas Gerais. Campus Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.
  • Stanley Schettino Universidade Federal de Minas Gerais. Campus Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8085-1910
  • Deicy Danielle Silva Universidade Federal de Minas Gerais. Campus Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8686-7999
  • Nathália Vasconcelos Guimarães Universidade Federal de Minas Gerais. Campus Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.35699/2447-6218.2019.15160

Palavras-chave:

Florestas plantadas, Sequestro de carbono, Emissões atmosféricas, Mudanças climáticas

Resumo

Este estudo objetivou avaliar o balanço das emissões e imobilizações de carbono do processo produtivo das florestas plantadas norte do Estado de Minas Gerais, tendo sido os dados coletados em áreas de plantio de Eucalyptus. Foram avaliadas todas as atividades do ciclo produtivo: silvicultura, colheita, gestão e transporte. A partir da produtividade média de cada atividade (horas-máquina por hectare) e o volume de combustível consumido por unidade de potência por hora de trabalho (litros por hora), foi calculado o consumo de combustível por atividade (litros por hectare) durante o ciclo produtivo. Para determinar a quantidade de CO2 resultante da queima do combustível adotou-se uma média de 3,2 kg de CO2emitidos na atmosfera por cada litro de óleo diesel consumido e que, em termos médios, o teor de carbono presente na biomassa total seca da árvore foi de 46,3% e que uma tonelada de carbono equivale a 3,67 toneladas de CO2. Para estimar o balanço de carbono foi calculada a diferença entre o carbono imobilizado por um hectare de floresta plantada e a somatória de toda a emissão de carbono necessário para sua produção. Os resultados apontaram que foram emitidas 15,40 t/CO2para produzir cada hectare de floresta e que, durante este mesmo ciclo, a floresta imobilizou 187,35 t/CO2, representando um balanço positivo de 171,95 t/CO2 por hectare. Assim, os reflorestamentos no norte de Minas Gerais se apresentam como alternativa para o sequestro de carbono atmosférico, contribuindo para atenuar os efeitos das mudanças climáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aduan, R. E.; Vilela, M. D. F.; Klink, C. A. 2003. Ciclagem de carbono em ecossistemas terrestres: o caso do cerrado brasileiro. Embrapa Cerrados, Brasília, DF, Brasil (Documentos INFOTECA-E). Disponível em: https://bit.ly/2koUwmJ.

American Society of Agricultural Engineers - ASAE. 1989.Agricultural tractor test code. In: ASAE standards 1989: standards engineering practices data (ASAE S-209.5). St. Joseph, MO, USA.

American Society of Agricultural Engineers - ASAE. 1996. Agricultural machinery management data. In: ASAE standards 1996: standards engineering practices data (ASAE D-497.2). St. Joseph, MO, USA.

Baesso, R. C. E.; Reis, M. G.; Ribeiro, A; Silva, M. P. 2010. Balanço de Carbono em Floresta de Eucalipto. Anais do Congresso Brasileiro de Meteorologia, Belém, PA, Brasil, 16. Disponível em: http://www.sbmet.org.br/cbmet2010/artigos/393_92666.pdf.

Barnes, R.M. 1977. Estudo de movimentos e de tempos: projeto e medida do trabalho. Edgard Blücher, São Paulo.

Braun, S; Appel, L. G.; Schmal, M. 2004. A poluição gerada por máquinas de combustão interna movidas à diesel - a questão dos particulados. Estratégias atuais para a redução e controle das emissões e tendências futuras. Química Nova, 27, 472-482. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/qn/v27n3/20176.pdf.

Carmo, F. C. A. 2016. Balanço da emissão de gases carbônicos nas operações florestais e sequestro de carbono em florestas plantadas no Espírito Santo. Jerônimo Monteiro: Universidade Federal do Espírito Santo, 68p. Tese Doutorado. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7702.

Carvalho, C.H.R. 2011. Emissões relativas de poluentes do transporte motorizado de passageiros nos grandes centros urbanos brasileiros. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), São Paulo. Disponível em: https://bit.ly/2krxnzX.

Chang, M. 2011. Sequestro de carbono florestal: oportunidades e riscos para o Brasil. Revista Paranaense de Desenvolvimento, 102, 85-101. Disponível em: https://bit.ly/2k0nh9a.

Fernandes, A.; Salis, S. M.; Fernandes, F.; Crispim, S. 2008. Estoques de carbono do estrato arbóreo de Cerrados no pantanal da Nhecolândia. Embrapa Pantanal, Corumbá, MS, Brasil (Documentos INFOTECA-E). Disponível em: https://bit.ly/2ls3zn3.

Fonseca, S. F.; Souza, M. J. H.; Silva, A. C. 2016. Análise da precipitação pluviométrica do município de Pirapora-MG (1961 E 2013). Revista Ra’e Ga, 38, 35-49. Disponível em: https://bit.ly/328HZV3.

Forest Absorbing Carbon Dioxide Emission Foundation - FACE. 1994. Annual Report 1993. FACE, Arnheim, Netherlands.

Indústria Brasileira de Árvores - IBÁ. 2017. Anuário IBÁ 2017: ano base 2016. Pöyry Consultoria em Gestão e Negócios Ltda, Brasília, DF, Brasil. Disponível em: https://bit.ly/2zJ3QXn.

Intergovernmental Panel on Climate Change - IPCC. 2018. A report of working Group I of the intergovernmental panel on climate change. IPCC, Genebra, Suíça. Disponível em: https://bit.ly/2lu81lm.

Jacovine, L. A. G.; Soares, C. P. B.; Ribeiro, S. C.; Silva, R. F.; Paixão, F. A. 2008. Sequestro de carbono em povoamentos florestais de eucalipto e a geração de créditos de carbono. Informe Agropecuário, 29, 90-104. Disponível em: https://bit.ly/2krZj6L.

Laschi, A.; Marchi, E.; García, S. G. 2016. Forest operations in coppice: Environmental assessment of two different logging methods. Science of the Total Environment, 562, 493-503. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2016.04.041.

Lima, D.G. 1997. Importância das florestas plantadas como forma de reduzir a pressão sobre as florestas nativas ainda existentes. Revista Bahia Agrícola, 1, 45-48. Disponível em: https://bit.ly/2lv9Oqc.

Lopes, R. B.; Miola, D. T. B. 2010. Sequestro de carbono em diferentes fitofisionomias do cerrado. Revista Digital FAPAM, 2, 127-143. Disponível em: https://bit.ly/2ltlcD9.

Malinovski, J. R.; Camargo, C. M. S.; Malinovski, R. A. 2014. Sistemas. p. 178-205. In: Machado, C.C. (Ed.). Colheita Florestal. Editora UFV, Viçosa, MG, Brasil.

Meira Junior, M. S. D.; Pereira, I. M.; Machado, E. L. M.; Mota, S. D. L.; Ribeiro, P. S. S. D. P.; Otoni, T. J. O.2017. Impacto do fogo em campo sujo no Parque Estadual do Biribiri, Minas Gerais, Brasil. Floresta e Ambiente, 24, e00110814. Disponível em: https://bit.ly/2jUKauw

Nascimento, A. C.; Leite, A. M. P.; Soares, T. S.; Freitas, L. D. 2011a. Avaliação técnica e econômica da colheita florestal com feller buncher. Cerne, 17, 9-15. Disponível em: https://bit.ly/2lBLumr.

Nascimento, J. J. V. R.; Paula, R. R.; Da Silva, G. F.; Pereira, R. G.; Neto, F. B. 2011b. Balanço de carbono, aquecimento global e recuperação áreas degradadas. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 6, 14-29. Disponível em: https://bit.ly/2jWhAJd.

Nunes Carvalho, J. L.; Avanzi, J. C.; Naves Silva, M. L.; Mello, C. R. D.; Pellegrino Cerri, C. E. 2010. Potencial de sequestro de carbono em diferentes biomas do Brasil. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 34, 277-290. Disponível em: https://bit.ly/2kfT0U4.

Oliveira, Y. M. M.; Oliveira, E. B. 2017. Plantações florestais: geração de benefícios com baixo impacto ambiental. Embrapa Florestas, Brasília, DF, Brasil. Disponível em: https://bit.ly/2ks3Tlt.

Paixão, F. A.; Soares, C. P. B.; Jacovine, L. A. G.; Silva, M. D.; Leite, H. G.; Silva, G. D.2006. Quantificação do estoque de carbono e avaliação econômica de diferentes alternativas de manejo em um plantio de eucalipto. Revista Árvore, 30, 411-420. Disponível em: https://bit.ly/2jUMiCw.

Sang, P. M.; Lamb, D.; Bonner, M.; Schmidt, S. 2013. Carbon sequestration and soil fertility of tropical tree plantations and secondary forest established on degraded land. Plant and Soil, 362, 187-200. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s11104-012-1281-9.

Sedjo, R. A., Marland, G. 2003. Inter-trading permanent emissions credits and rented temporary carbon emissions offsets: some issues and alternatives. Climate Policy, 3, 435-444. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S1469-3062(03)00051-2.

Silva, C. A.; Klauberg, C.; Carvalho, S. P. C.; Piccolo, M. C.; Rodriguesz, L. C. E. 2015. Estoque de carbono na biomassa aérea florestal em plantações comerciais de Eucalyptus spp. Scientia Forestalis, 43, 135-146. Disponível em: https://bit.ly/2lA58iG.

Simões, D.; Fenner, P. T.; Esperancini, M. S. T. 2014. Produtividade e custos do feller-buncher e processador florestal em povoamento de eucalipto de primeiro corte. Ciência Florestal, 24, 621-630. Disponível em: https://bit.ly/36zgxSU.

Teixeira, E. C.; Feltes, S.; Santana, E. R. R. 2008. Estudo das emissões de fontes moveis na Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Revista Química Nova, 31, 244-248. Disponível em: https://bit.ly/2lRp6Wl.

Downloads

Publicado

2019-12-01

Como Citar

Souza, C. L., Schettino, S., Silva, D. D., & Guimarães, N. V. (2019). Balanço de carbono do processo de produção de madeira de reflorestamento no norte de Minas Gerais. Caderno De Ciências Agrárias, 11, 1–8. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2019.15160

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS