Percepção de risco da utilização e descarte de embalagens de agroquímicos em hortas, Santarém, Pará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.25062

Palavras-chave:

Ambiente, Defensivos agrícolas, Inseticida

Resumo

O objetivo neste estudo foi analisar a percepção de risco no uso de agroquímicos quanto a utilização e descarte das embalagens vazias em hortas no município de Santarém, Pará. O estudo foi realizado no município de Santarém, Pará, com o intuito de verificar a percepção dos produtores que utilizam agroquímicos em hortas, assim, foram realizadas entrevistas in loco com aplicação de questionário contendo 10 perguntas de caráter aberto e fechado, sendo avaliadas 7 comunidades produtoras de hortaliças (Área Verde, Cristo Rei, Floresta, Jutaí, Mararu, Tabocal e Urumanduba), totalizando 30 agricultores. Analisando os resultados, observou-se que todos os produtores respeitam o período de carência e grande parte faz uso de métodos convencionais, seguindo principalmente as instruções do rótulo, observou-se também que a maioria dos produtores recebe orientação de profissionais com conhecimento técnico sobre o assunto. Percebeu-se que o agroquímico mais adotado foi o inseticida, além disso, apenas uma pequena parte dos produtores utiliza equipamento de proteção individual completo e a maioria realiza a lavagem das roupas após a utilização, entretanto, não realizam a tríplice lavagem das embalagens vazias. Por fim, pode-se perceber que grande parte dos produtores não tem conhecimento sobre o posto de coleta e descartam a embalagem dos agroquímicos principalmente no lixo. Diante do exposto, conclui-se que os produtores de hortaliças do município de Santarém não fazem o descarte correto das embalagens vazias de agroquímicos, descartando-as em ambiente inadequado, sendo que nenhum produtor devolveu a embalagem no posto de coleto conforme preconiza a legislação brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alves, T. C. 2013. Manual de equipamento de proteção individual. Circular técnica. São Carlos, SP: Embrapa Pecuária Sudeste. Disponível em: < https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/975090/1/Documentos111.pdf> .

Bernardi, A. C. A.; Hermes, R.; Boff, V. A. 2018. Manejo e Destino das embalagens de agrotóxicos. Perspectiva, Erechim, 42: 15-28. Disponível em: > http://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/159_719.pdf>.

Bolfarine, H.; Bussad, W. O. 2004. Elementos de Amostragem. Universidade de São Paulo, Instituto de Matemática e Estatística, São Paulo, Brasil.

Brasil. Decreto 4.074, de 04 de janeiro de 2002. Regulamenta a Lei 7.802 que dispõe sobre agrotóxicos e afins. [Brasil] Diário Oficial da União, 08 jan 2002; Seção I:1. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4074.htm>.

Castelo, B. M. 2003. Avaliação do conhecimento do rótulo dos inseticidas por agricultores em uma área agrícola do Distrito Federal. Horticultura Brasileira, 21: 570-73. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-05362003000300031

Cavalcante, M.; Santos, F.X.; Pereira, D. A.; Barbosa, T. J. A.; Silva Neto, J.V. 2015. Diagnóstico do uso de agrotóxicos por agricultores familiares de Maragogi/AL. Cadernos de Agroecologia, 10: 1-7. Disponível em: < http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/17226>.

Costa, M. N. F.; Souza, C. C.; Freitas, D. R.; Silva, L. M.; Santos, H, R. 2017. Levantamento da forma de uso dos agrotóxicos pelos agricultores na comunidade Rodeador no Cariri Cearense. Anais do Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia. Belém, PA, Brasil. Disponível em: <https://www.confea.org.br/sites/default/files/antigos/contecc2017/agronomia/84_ldfdudapancrncc.pdf>.

Fernandes Neto, M. L.; Sarcinelli, P. N. 2009. Agrotóxicos em água para consumo humano: uma abordagem de avaliação de risco e contribuição o processo de atualização da legislação brasileira. Engenharia Sanitária e Ambiental, 14: 69-78. Doi: https://doi.org/10.1590/S1413-41522009000100008

Ferreira, G. H. C.; Cepolini, E. I. S. 2014. Agroecologia, Alimentação e Saúde: um diálogo possível e necessário, Entremares, São Paulo, Brasil.

Lara, S. S.; Pignati, W. A.; Pignati, M. G.; Leão, L. H. C.; Machado, J. M. H. 2019. A agricultura do agronegócio e sua relação com a intoxicação aguda por agrotóxicos no brasil. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, 15: 1-19. Doi: http://dx.doi.org/10.14393/Hygeia153246822

Lopes, C. V. A.; Albuquerque, G. S. C. 2018. Agrotóxicos e seus impactos na saúde humana e ambiental: uma revisão sistemática. Saúde em Debate, 42: 518-534. Doi: https://doi.org/10.1590/0103-1104201811714.

Mendes, E. N.; Freire, J. E.; Figueiredo, M. F.; Braga, P. E. T. 2014. O uso de agrotóxicos por agricultores no Município de Tinguá-CE. Revista Agropecuária Científica no Semiárido, 10: 7-13. Doi: http://dx.doi.org/10.30969/acsa.v10i1.368

Nunes, G. C. 2010. Uso do EPI – Equipamentos de Proteção Individual nas pequenas propriedades rurais produtoras de fumo no município de Jacinto Machado-SC. Criciúma (SC): Universidade do Extremo Sul Catarinense, 59 f. Especialização. Disponível em: < http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/822/1/Gezziano%20C%C3%B3rdova%20Nunes.pdf>.

Oliveira, M. M.; Sabonaro, D. Z. 2016. Logística reversa e o processo de destinação das embalagens vazias de agrotóxico. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 14: 377-383. Doi: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i2.2688

Pantoja, T. F.; Cesarino, F.; Cruz, E. L; Vaz, J. D. C.; Sousa, T.G. 2013. A importância da horta escolar no processo ensino aprendizagem de botânica em uma escola de Macapá - AP. Anais do 64º Congresso Nacional de Botânica, Belo Horizonte, MG, Brasil. Disponível em: < http://plataforma.sacaca.ap.gov.br/pesquisador/1695/fabiano-cesarino>.

Reinato, R. A.; Garcia, R. B. G.; Zerbinatti, O. E. 2012. A situação atual das embalagens vazias de agrotóxicos no Brasil. Engenharia Ambiental, 9: 79-94. Disponível em: < http://ferramentas.unipinhal.edu.br/engenhariaambiental/include/getdoc.php?id=2374&article=779&mode=pdf>.

Rosset, J. S.; Coelho, G. F.; Greco, M.; Leonardo Strey, L.; Gonçalves Junior, A. C. 2014. Agricultura convencional versus sistemas agroecológicos: modelos, impactos, avaliação da qualidade e perspectivas. Scientia Agraria Paranaensis, 13: 80-94. Doi: https://doi.org/10.18188/sap.v13i2.7351

Santos, A. O.; Borges-Paluch, L. R; Cerqueira, T. P. S.; Teles, A. L. B. 2017. Utilização de equipamentos de proteção individual e agrotóxicos por agricultores de município do recôncavo Baiano. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 15: 738-754. Doi: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i1.3309

Sousa, J. A.; Feitosa, H. D. O.; Carvalho; C. M. De; Pereira, C. F.; Feitosa, S. D. O; Silva, S. L. 2016. Percepção dos produtores rurais quanto ao uso de agrotóxicos. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 10: 976-989. Doi: http://dx.doi.org/10.7127/rbai.v10n500484

Teixeira, J. H. S; Guimarães, M. A. S; Cardoso, S. C. 2014. Uso e cuidados com agrotóxicos na região de Guanambi, BA. Enciclopédia Biosfera, 18: 437-445. Disponível em: <http://www.conhecer.org.br/enciclop/2014b/AGRARIAS/levantamento%20do%20uso.pdf>.

Viero, C. M.; Camponogara, S; Cezar-Vaz, M. R.; Costa, V. Z.; Beck, C. L. C. 2016. Sociedade de risco: o uso dos agrotóxicos e implicações na saúde do trabalhador rural. Escola Anna Nery, 20: 99-105. Doi: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160014

Downloads

Publicado

2020-11-29

Como Citar

Silva, Éder B. R. da, Soares, G. S. ., Silva, W. C. da, & Santos, M. R. P. dos . (2020). Percepção de risco da utilização e descarte de embalagens de agroquímicos em hortas, Santarém, Pará. Caderno De Ciências Agrárias, 12, 1–7. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.25062

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS