Distribuição espacial da produtividade de café em Minas Gerais ao longo do tempo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.26171

Palavras-chave:

Autocorrelação espacial, Estatística Espacial, I de Moran

Resumo

O Brasil é o maior produtor mundial de café e o estado de Minas Gerais é responsável por metade da produção brasileira. Entretanto, a produtividade é distribuída de forma desigual no estado. Assim, o objetivo deste estudo é analisar a distribuição espacial da produtividade de café em Minas Gerais entre 2002 e 2017, uma informação valiosa para identificar regiões em que a produção de café possa ser mais promissora no futuro. O artigo em questão investiga a existência de dependência espacial na produtividade entre regiões (usando o I de Moran), a dinâmica ao longo do período estudado e a presença de agrupamentos de alta e baixa produtividade (usando o I de Moran local). Os resultados mostram que a dependência espacial era mais forte de 2002 a 2009 do que entre 2010 e 2017. Algumas regiões com pequenas áreas de plantio de café mas com alta produtividade deixaram de produzir enquanto regiões com grandes áreas mas baixa produtividade aumentaram seus níveis de produtividade. Assim, existe uma tendência de homogeneização da produtividade em Minas Gerais, com valores em torno de 30 sacas por hectare.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Almeida, E. 2012. Econometria espacial aplicada. Campinas, Alínea.

Almeida, E.; Pacheco, G. O.; Patrocínio, A. P.; Dias. S. M. 2006. Produtividade do café em Minas Gerais: uma análise espacial. Anais do XLIV Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, Fortaleza, CE, Brasil. Disponível em: https://bit.ly/3gxorl8

Anselin, L. 1996. Interactive Techniques and Exploratory Spatial Data Analysis. Disponível em: https://bit.ly/386MT9x

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada - CEPEA. PIB do Agronegócio Brasileiro. Disponível em: https://www.cepea.esalq.usp.br.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de café, v. 5, safra 2018. Brasília-DF. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/cafe

Instituto Brasileiro de geografia e Estatística - IBGE. 2017. Divisão Regional do Brasil em Regiões Geográficas Intermediárias e Regiões Geográficas Imediatas: 2017. Rio de Janeiro. Disponível em: https://bit.ly/2W18gTV

______. 2019. Produção agrícola municipal. Sistema IBGE de Recuperação Automática - SIDRA, Tabela 1613, 2019. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1613

International Coffee Organization - ICO. 2018. Total production by all exporting countries. Disponível em: https://bit.ly/39YPSDt

Neves, M.; Luiz, A. 2006. Distribuição espacial da cultura do café no estado de São Paulo. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente. Disponível em: https://bit.ly/3gzNjZR

Souza, R.; Perobelli, F. 2007. Diagnóstico espacial da concentração produtiva do café no Brasil no período de 1991 a 2003. Revista de Economia e Agronegócio, v. 5, n. 3: 353-377. Disponível em: https://bit.ly/2W2ItKY

Teixeira, R.; Bertella, M. Distribuição espaço-temporal da produtividade média do café em Minas Gerais: 1997-2006. Análise Econômica, ano 33, n. 63, 2015, p. 275-299.

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Serenini, R. ., Ramos, P. de S. ., & Frias, L. (2020). Distribuição espacial da produtividade de café em Minas Gerais ao longo do tempo. Caderno De Ciências Agrárias, 12, 1–10. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.26171

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS