Remoção de agrotóxicos por escoamento superficial – Princípios e práticas / Pesticides off site by runoff – Principles And Practices

Autores

  • Marco Aurélio Pessoa-de-Souza Pontifícia Universidade Católica de Goiás; Escola de Ciências Agrárias e Biológicas; Departamento de Zootecnia.
  • Marilda da Conceição Ribeiro e Barros Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Escola de Ciências Agrárias e Biológicas, Departamento de Zootecnia, Goiânia, Goiás, Brasil
  • Liliane Mendes Gonçalves Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Escola de Ciências Agrárias e Biológicas, Departamento de Zootecnia, Goiânia, Goiás, Brasil
  • Glaucia Machado Mesquita Faculdade Araguaia, Departamento de Engenharias, Engenharia Agronômica, Goiânia, Goiás, Brasil
  • Helenice Moura Gonçalves Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados (Embrapa Cerrados – CPAC), Planaltina – DF, Brasil

Palavras-chave:

Palavras-chave, Compartimentos ambientais. Fuga de Aplicação. Erosão hídrica. Keywords, Environmental Fate. Off site.Water erosion.

Resumo

        

Resumo: À medida que as demandas alimentares crescem, paralelamente crescem os mercados de insumos, especialmente os agrotóxicos. Devido ao seu uso desenfreado em diferentes escalas, existem especulações acerca dos danos ambientais que podem gerar quando mal manejados. As tecnologias de avaliação de poluição ainda são precárias e, quando existem, são pouco disseminadas. Basicamente, para encontrar agrotóxicos em águas superficiais é necessário que alguma dinâmica de perda seja favorecida. Nas perdas por escoamento superficial (runoff), por exemplo, os agrotóxicos se ligam aos coloides do solo, sobretudo os que são facilmente removidos em função da erodibilidade do solo. Outro fator importante a ser considerado é a erosividade da chuva, que influencia no salpicamento do solo. Outros fatores devem ser considerados também, sobretudo os intrínsecos a cada molécula de princípio ativo, pois no complexo solo acontecem reações que não são previstas e que podem ou não ocorrer em função do material de origem, organismos presentes, grau de intemperismo, tipo de relevo e presença ou não de plantas. Mecanismos de cada molécula, quando chegam em ambientes tão complexos como os solos, podem tomar diferentes caminhos e, para o caso dos agrotóxicos que possuam um alto nível de adsorção, o escoamento superficial é muito provável que ocorra, sobretudo após um evento de chuva. Com vistas a identificar e incitar correlações de mecanismos entre princípios ativos e solo, o objetivo deste trabalho foi sistematizar as teorias acerca do comportamento dos agrotóxicos em fenômenos associados ao runoff e avançar em propostas de avaliação para efeitos de contaminação de áreas, ocasionados por escoamento superficial. Estudos em diferentes escalas são propostos pela literatura, e dada a grande complexidade do ambiente, são necessários estudos sobre a expectativa do comportamento dos agrotóxicos em solos.

 

Abstract : Food demands and markets for inputs are in continuous growth, especially pesticides. Because of its rampant use in different scales, there are speculations about possible environmental damage when mishandled. The pollution evaluation technologies are still poor and little widespread. Basically, to find pesticides in surface water it is necessary that some fluid dynamics loss is favored. In runoff losses, for example, pesticides bind to soil colloids, especially those which are easily removed due to soil erodibility. However, rainfall erosivity is also a factor which must be evaluated. Intrinsic factors may or not occur depending on the source material, organisms, weathering degree to which soils passed, the relief type and presence or absence of plants. Mechanisms of each molecule arriving in such complex environments can take different paths, and for the case of pesticides that have a high level of adsorption, surface runoff is very likely to occur, especially after an event. In order to identify and encourage correlations between mechanisms of active ingredients - ground, the aim of this study is to compile this information and advance proposals on assessment of surface water pollution caused by runoff. There are forms of assessment that are already depleted by classic literature and, in addition, some mathematical models have emerged and came up with over the years in search of work in evaluating and improving the forecasting tools of contamination of surface water areas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AKTAR, M. W. et al. Impact of pesticides use in agriculture: their benefits and hazards. Interdisciplinary Toxicology. v. 2, n.1, p. 1-12, mar, 2009.

ALAVANJA, M. C. R. Pesticides use and exposure extensive worldwide. Reviews on Environmental Health, v. 24, n. 4, p. 303 – 309, oct-dec., 2009

ARAÚJO, A. S. F. et al. Biodegradação de glifosato em dois solos brasileiros. Pesticidas: Revista de Ecotoxicologia e Meio Ambiente, Curitiba, v. 13, n.1, p.157-164, 2003.

BAIRD, C. Evironmental Chemistry. 2nd ed. United States of America (USA): Bookman, 2002.

CASSAL, V. B. et al. Agrotóxicos: uma revisão de suas consequências para a saúde pública. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental - REGET, v. 18; n. 1; p. 437-445, abr, 2014.

CASTRO, L. G. et al. Alterações na rugosidade superficial do solo pelo preparo e pela chuva sua relação com a erosão hídrica. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 30, n.1, p. 339-352, 2006.

CRAIG, R. F. Mecânica dos solos. 7.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

FAY. E. F.; SILVA, C. M. M. S. Comportamento e Destino de Agrotóxicos no Ambiente Solo-Água In: Agrotóxico e Ambiente. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2004.

GUERRA, A. J. T. et al. (Org.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

HOLDEN, P. A.; FIERER, N. Microbial process in the vadose zone. Vadose Zone Journal, v. 4, n.1, p. 1-21, 2005.

INTERNATIONAL UNION OF PURE AND APPLIED CHEMISTRY - IUPAC. Pesticides report 34. Pesticide runoff: Methods and interpretation of field studies (technical report). Pure and Applied Chemistry, v. 67, n. 1, p. 2089-2108, 1995.

LEITÃO, T. E. et al. Poluição de águas subterrâneas: principais problemas, processos de prevenção e de reabilitação. Simpósio de Hidráulica e Recursos Hídricos dos Países de Língua Oficial Portuguesa, 6, Cabo Verde, Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos, 10 a 13 de Nov. de 2003.

LUIJENDIJK, C. D. et al. Measures to reduce glyphosate runoff from hard surface. Plant Research International B.V., Note 269, 44p, Wageningen, October 2003.

MAIER, R. M.; PEPPER, I. L.; GERBA, C. P. Environmental microbiology. Canada: Harcourt Science and Technology Company, 1999.

MIRANDA, K. et al. Pesticides residues in river sediments from the Pantanal wetland, Brazil. Journal of Environmental Science and Health, Part B, v. 43, n.1, p. 717-722, 2008.

OLIVEIRA, M. F. de; BRIGHENTI, A. M. Comportamento dos herbicidas no ambiente. In: Oliveira Júnior, R. S.; Constantin, J. Inoue, M.H. (Ed.). Biologia e manejo de plantas daninhas. Curitiba: Omnipax, 2011.

OLIVEIRA JÚNIOR, R. S.; REGITANO, J. B. Dinâmica de pesticidas no solo. In: Vander de Freitas Melo e Luís Reynaldo Ferracciú Alleoni (Ed.). Viçosa: SBCS, V 2009.

OLSZYK, D. M. et al. Assessing the risks to non-target terrestrial plants from herbicides. Journal of Agricultural Meteorology, v. 60, n. 4, p. 221-242, 2004.

PAUL, E. A; CLARK, F. E. Soil Microbiology and Biochemistry. United States of America (USA): United Kingdom, 1989.

PEREIRA, E. M.; CHANG, H. K.; SOTO, M. A. A. Estimativa de alguns parâmetros de transporte de contaminantes para solos brasileiros. Geociências, UNESP, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 383-398, 2011.

PRATA, F.; LAVORENTI, A. Comportamento de herbicidas no solo: influência da matéria orgânica. Revista Biociências, Taubaté, v. 6, n. 2, p. 17-22, 2000.

QUEIROZ, G. M. P. et al. Transporte de glifosato pelo escoamento superficial e por lixiviação em um solo agrícola. Química Nova, v. 34, n. 2, p. 190-105, 2011.

RIGOTTO, R. M.; VASCONCELOS, D. P.; ROCHA, M. M. Uso de agrotóxicos no Brasil e problemas para a saúde pública. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 30, v. 7, p. 1-3, jul, 2014.

SANCHES, S. M. et al. Pesticidas e seus respectivos riscos associados à contaminação da água. Pesticidas: Revista de Ecotoxicologia e Meio Ambiente, Curitiba, Curitiba, v.13, n. 53-58, 2003.

SILVA, R. K.; MARIA, I. C. Erosão em sistema de plantio direto: influência do comprimento de rampa e da direção de semeadura. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.15, n.6, p. 554-561, 2011.

SOARES, J. C. Biossensores eletroquímicos fabricados a partir da imobilização da uréase em filmes de polipirrol, Tese (Doutorado em Desenvolvimento, Caracterização e Aplicação de Materiais) – Escola de Engenharia de São Paulo, São Carlos, 127p., 2011.

SPADOTTO, C. A. Abordagem interdisciplinar na avaliação ambiental de agrotóxicos. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2006.

WAUCHOPE, R. D. et al. Pesticides in surface and groundwater. Council for Agricultural Science and technology – CAST, Issue Paper, n.2, 8p., april, 1994.

WAUCHOPE, R. D. et al. Pesticide soil sorption parameters: theory, measurement, uses, limitations and reliability - Review. Pest Management Science, v. 58, n.1, p. 419-445, 2002.

Downloads

Publicado

2017-12-22

Como Citar

Pessoa-de-Souza, M. A., Ribeiro e Barros, M. da C., Gonçalves, L. M., Mesquita, G. M., & Gonçalves, H. M. (2017). Remoção de agrotóxicos por escoamento superficial – Princípios e práticas / Pesticides off site by runoff – Principles And Practices. Caderno De Ciências Agrárias, 9(3), 119–125. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2972

Edição

Seção

REVISÕES DE LITERATURA