'Ei, juiz, vai tomar no cu': políticas torcedoras e do futebol e sonoridades de xingamentos em performances masculinas [c/ áudio]

Main Article Content

Pedro Silva Marra

Resumo

Este artigo discute as formas como as sonoridades de xingamentos utilizados por torcedores de futebol em gritos e cantos nas arquibancadas constituem performances masculinas que confirmam seu caráter heteronormativo, conferem a tais palavras uma ambiguidade jocosa, ou as reterritorializam em uma ofensividade de outra ordem. Nestas disputas de gênero, as materialidades sonoras fundamentam a compreensão dos momentos em que um palavrão tensiona, reproduz ou desloca estruturas sociais patriarcais no âmbito do esporte. O artigo ainda aponta a necessidade de mais estudos acerca das relações corruptas que se dão no interior da gestão do futebol e entre dirigentes e certos grupos de torcedores, ora exibidas, ora escamoteadas por tais performances de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Marra, P. S. (2018). ’Ei, juiz, vai tomar no cu’: políticas torcedoras e do futebol e sonoridades de xingamentos em performances masculinas [c/ áudio]. FuLiA/UFMG, 2(2), 55–80. https://doi.org/10.17851/2526-4494.2.2.55-80
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Pedro Silva Marra, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduado em Comunicação Social, habilitação jornalismo, pela Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Comunicação e Sociabilidade pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Comunicação Social pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense

Professor do Departamento de Comunicação Social, cursos de jornalismo e cinema e audiovisual da Universidade Federal do Espírito Santo

Referências

ALABARCES, Pablo et al. Aguante y repression. Futbol, violencia y politica en la Argentina. In: ALABARCES, Pablo. Peligro de gol. Estudios sobre deporte y sociedad en América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2000.

ALABARCES, Pablo. Fútbol y patria. Buenos Aires: Prometeo Livros, 2007.

ALABARCES, Pablo. Héroes, machos y patriotas: el fútbol entre la violência y los médios. Buenos Aires: Aguilar, 2014.

ALABARCES, Pablo. Fútbol, música y narcisismo: algunas conjeturas sobre “Brasil, decime qué se siente”. El oído pensante, v. 3, n. 1, p. 1-19, 2015.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a expansão do nacionalismo. Lisboa: Edições 70, 2005.

AUGOYARD, Jean François; TORGUE, Henry. Sonic experience: a guide to everyday sounds. London: McGill-Queen’s University Press, 2005.

BULBLITZ, Wolfram, et. al. Preface to the handbook series. In: ANDERSEN, Gisle; AIJMER, Karin. Pragmatics of society – Handbook of pragmatics, 5. Berlin: Walter de Gruyter GmbH & Co., 2011.

CAVAZZA, Nicoletta; GUIDETTI, Margarida. Swearing in political discourse: why vulgarity works. Journal of Language and Social Psicology, v. 33, n. 5, p. 537-547, 2014.

DAMO, Arlei Sander. Do dom à profissão: Uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. 2005. 435 p. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Programa de Pós-raduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

DAUGHTRY, Martin. Thanatosonics: ontologies of acoustic violence. Social Text, v. 119, 32, n. 2, p. 25-51, 2014.

DUNNING, Eric; MURPHY, Patrick; WILLIAMS, John. The roots of football hooliganism. Nova York: Routledge, 2014.

FÄGERSTEN, Kristy; DALARNA Högskolan. A sociolinguistic analysis of swear word offensiveness. Saarland Working papers in linguistics, v. 1, p. 14-37, 2007.

GASTALDO, Édison. As relações jocosas futebolísticas. Futebol, sociabilidade e conflito no Brasil. Mana, v. 16, n. 2, p. 311-325, 2010.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Elogio da beleza atlética. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

HARDT, Michael; NEGRI, Antônio. Commomnwealth. Cambridge: The Belknap Press of Havard University Press, 2009.

JAY, Timothy. The utility and ubiquity of taboo words. Perspectives on Psicological Sciences, v. 4, n. 2, p. 153-161, 2009.

NANCY, Jean-Luc. À escuta. Belo Horizonte: Edições Chão de Feira, 2014.

PRECIADO, Beatriz. Terror anal: apuntes sobre los primeros días de la revolución sexual. In: HOCQUENGHEM, Guy. In: El deseo homosexual. Barcelona: Melusina, 2009, p. 135-174.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento. Política e filosofia. São Paulo: Ed. 34, 1996.

REBER, Elizabeth. Affectivity in interaction: sound objects in english. Philadelphia: John Benjamins B.V, 2012.

SOUZA, Gustavo César Arêas de. Em nome da excitação: Uma etnografia da relação política entre torcedores organizados e dirigentes de futebol. Dissertação de mestrado apresentada no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

THOMPSON, Marie; BIDDLE, Ian (orgs.). Sound, music, affect: theorizing sonic experience. Nova York: Bloomsbury, 2013.

WICHMANN, Anne. Prosody and pragmatic effects. In: ANDERSEN, Gisle; AIJMER, Karin. Pragmatics of society – Handbook of pragmatics, 5. Berlin: Walter de Gruyter GmbH & Co., 2011.

WISNIK, José Miguel. Veneno remédio – O futebol no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ZANELLO, Valeska; GOMES, Tatiana. Xingamentos masculinos: a falácia da virilidade e da produtividade. Caderno Espaço Feminino, v, 23, n. 1/2, p. 265-280, 2010.