O time como comunidade luminosa: "A turma da Rua Quinze" e "Aventura no Império do Sol"

  • Tânia Sarmento-Pantoja Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Futebol, Cinema, Literatura, Desaparecimento.

Resumo

Este artigo analisa A turma da Rua Quinze (1989), de Marçal Aquino, e Aventura no império do Sol (1989), de Silvia Cintra Franco, romances originariamente publicados pela Coleção Vaga-Lume. Em ambos observamos que o jogo – representado pelo futebol e o voleibol – está incorporado ao cotidiano e mesmo ao patrimônio cultural dos personagens, como “elemento estruturante” (CORNELSEN, 2012) de uma educação para vida, que envolve uma ética das relações pessoais e a formação para a sobrevivência, na medida em que mesmo pertencendo a um time, os personagens passam a atuar como uma “comunidade luminosa” (FIGUEIREDO, 2016).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Sarmento-Pantoja, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Pará (1995), mestrado em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco (1999) e doutorado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005). Atualmente, é professora Associada I I da Universidade Federal do Pará atuando na Graduação e na Pós-Graduação. Possui experiência na área de Letras, com ênfase em narrativas de resistência produzidas nos séculos XX e XXI. Desenvolve pesquisa nos seguintes tópicos: narrativa de resistência, narrativa pós-ditatorial, metaficção historiográfica. Foi Membro da Diretoria da Associação Brasileira de Literatura Comparada - ABRALIC (2014-2015). É Bolsista Produtividade em Pesquisa - CNPQ (CALL 2). É líder do Grupo de Pesquisa NARRARES - Estudos sobre narrativa de resistência.

Referências

AQUINO, Marçal. A turma da Rua Quinze. 5ª edição. São Paulo, Àtica, 1995 (Coleção Vaga-Lume).

BIANCALANA, Gisela Reis Trabalhos conjuntos e processos colaborativos. Anais do IX Congresso da ABRACE – Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas - Poéticas e estéticas descoloniais-artes cênicas em campos expandidos, Uberlândia, 2017. Disponível em https://www.even3.com.br/anais/ixcongressoabrace/32473-trabalhos-conjuntos-e-processos-colaborativos.

CORNELSEN, Elcio Loureiro. Imagem e Memória em torno de Futebol e Política no Cinema. In: CORNELSEN, Elcio Loureiro, VIERA, Elisa Amorim, SELIGMANN-SILVA, Márcio. Imagem e Memória. Belo Horizonte: Rona Editora; FALE/UFMG, 2012, p. 429-442.

FIGUEIREDO, Annie Tarsis Morais. A Potência da Comunidade Luminosa em O Apocalipse dos Trabalhadores, de Valter Hugo Mãe. SocioPoética,Volume 1, número 17, junho a dezembro de 2016.

FRANCO, Silvia Cintra. Aventura no Império do Sol. São Paulo: Ática, 1989 (Coleção Vaga-Lume)

MENDES, Fábio Marques. Os processos identitários no Brasil a partir da subversão do gênero policial: uma análise literária e sociológica do romance “Cabeça a prêmio” de Marçal Aquino. Anais do I Seminário Internacional da Pós-Graduação em Ciências Sociais. UNESP, Marília, 2015. Disponível em http://www.marilia.unesp.br/Home/Eventos/2015/iseminariointernacionalpos-graduacaoemcienciassociais/4.-fabio-marques-mendes.pdf

PADRÓS, Enrique Serra. A Guerra Contra as Crianças: Práticas de Seqüestro, Desaparecimento e Apropriação de Identidade no Século XX – “Butim De Guerra” no Cone Sul da Segurança Nacional. In: Anais do XI Encontro Estadual de História, Universidade Federal do Rio Grande, 2012, p. 815-826.

SILVA, Ana Carolina Martins da. A violência no âmbito da Série Vaga-Lume. In: RÖSING,Tania Mariza Kuchenbecker (org.). Da violência ao conto de fadas. Passo Fundo: EDIUPUF, 1999.

TAL, Tzvi. Alegorias de memoria y olvido em películas de iniciación: Machuca e A turma da Rua Quinze. Aisthesis, 2005, n. 38, p.134-149. Disponível em http://www.scribd.com/doc/27952546/TZI-TAL-Machuca-y-A turma da Rua Quinze-Alegorias-de-memoria-y-olvido-en-peliculas-de-iniciacion. Acesso em: 06 de junho de 2010.

Publicado
2018-06-11