Indícios de uma euro-futebolização no Sul do Brasil

  • Rodrigo Koch Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - Uergs

Resumo

Descrição da cultura juvenil futebolizada na Região das Hortênsias, especialmente, de Canela/RS, com traços muito próximos do que Giulianotti (2012) caracteriza como o torcedor pós-moderno ou flâneur. O estudo utiliza metodologias pós-estruturalistas; sendo que neste recorte são apresentados dados de pesquisas bibliográficas, quantitativos e qualitativos, a partir da aplicação de um questionário seguido de entrevistas com inspiração etnográfica. O objetivo foi compreender o processo contemporâneo de futebolização e como este se relaciona com a construção das identidades juvenis. A futebolização dos jovens produz um sujeito com poucos vínculos com os clubes de futebol locais, pois são muito mais interessados no sucesso de agremiações e celebridades estrangeiras e/ou europeias da modalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Koch, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - Uergs
Doutor em Educação (Culturas Juvenis) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), mestre em Educação (Estudos Culturais) pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), pós-graduado em Administração e Marketing Esportivo pela Universidade Gama Filho (UGF), e graduado em Educação Física pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) [CREF 012626-G/RS]. Atualmente é Diretor Regional - Campus II (Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Encantado, Montenegro, São Francisco de Paula e Vacaria) e professor adjunto C da Uergs - Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Idealizador e coordenador institucional dos Jogos Universitários da Uergs - JUergs. Foi coordenador do curso de Pedagogia (Unidade: São Francisco de Paula/Uergs) entre 2012 e 2014. Jornalista Esportivo (MTB - 13.743). Também foi coordenador de esportes da Rádio Guaíba, pela qual realizou as coberturas jornalísticas dos Jogos Olímpicos de Sydney-2000 e Atenas-2004, dos Jogos Pan-Americanos Rio-2007 e, dos Jogos Mundiais Militares Rio-2011. Recebeu a Medalha João Saldanha pela contribuição ao esporte gaúcho, em 2009. Autor dos livros Universíade 1963 - História e Resultados dos Jogos Mundiais Universitários de Porto Alegre; Tie-Break - A saga dourada do vôlei masculino do Brasil; A Vitória vem dos Céus - A trajetória do brasileiro campeão mundial de judô; e Celeste Olímpica - A era de ouro da seleção uruguaia. Co-autor de: O Rádio e as Copas do Mundo; e Educação e Interdisciplinaridade. Produtor dos cd´s: Brasil Pentacampeão; e Planeta Colorado. Tem experiência nas áreas de Educação Física e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: Futebol, Jogos Olímpicos, Práticas Corporais, Educação, e Comunicação & Esporte. Trabalha com o processo contemporâneo da Futebolização, articulando o mesmo aos conceitos de Modernidade Líquida (Bauman 1925-2017), Hipermodernidade (Lipovetsky 1944-) e Hibridização (Canclini 1939-); realizando pesquisas e estudos junto aos jovens torcedores pós-modernos (Giulianotti 1966-) e suas manifestações e produtividades nas Sociedades de Espetáculo (Debord 1931-1994), e de Consumidores (Bauman 1925-2017).

Referências

ALABARCES, Pablo. Cidadania e narrativas nacionais do futebol argentino contemporâneo. Eco-Pós. Brasil, v. 5 (1), p. 27-36, 2002.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ANDRADE, Paula Deporte de; COSTA, Maria Vorraber. Usos e possibilidades do conceito de pedagogias culturais nas pesquisas em estudos culturais em educação. Textura, Canoas, v. 17, n. 34, p. 48-63, 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BAUER, Martin W; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas. São Paulo: EDUSP, 2003.

DAMO, Ariel Sander. Futebol, engajamento e emoção. In: HELAL, Ronaldo; AMARO, Fausto. (orgs.). Esporte e mídia: novas perspectivas: a influência da obra de Hans Ulrich Gumbrecht. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2015, p. 49-94.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Lisboa: Edições Antipáticas, 2005.

GIULIANOTTI, Richard. Sociologia do futebol: dimensões históricas e socioculturais do esporte das multidões. São Paulo: Nova Alexandria, 2010.

GIULIANOTTI, Richard. Fanáticos, seguidores, fãs e flâneurs: uma taxonomia de identidades do torcedor no futebol. Recorde: Revista de História do Esporte, v. 5, n. 1, p. 1-35, 2012.

GURGEL, Anderson. O futebol como agente da globalização. Revista de Economia & Relações Internacionais, São Paulo, v. 6, n. 12, p. 48-64, 2008.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, 1997.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, Stuart. Sin garantías: trayectorias y problemáticas en estudios culturales. Lima: IEP, 2010.

KOCH, Rodrigo. Marcas da futebolização na cultura e na educação brasileira. Dissertação (Mestrado em Educação). ULBRA, Programa de Pós-Graduação em Educação, Canoas/RS, 2012.

KOCH, Rodrigo. Identidades em construção: um olhar sobre a futebolização da juventude no Ensino Médio. Tese (Doutorado em Educação). UFSM, Programa de Pós-Graduação em Educação, Santa Maria/RS, 2018.

LIPOVETSKY, Gilles. Da leveza: rumo a uma civilização sem peso. Barueri, SP: Manole, 2016.

LOUZADA, Roberto. Identidade e rivalidade entre os torcedores de futebol da cidade de São Paulo. Esporte e Sociedade. Ano 6, n. 17, 2011.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela Análise Textual Discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

SILVA, Juremir Machado. A sociedade midíocre. Porto Alegre: Sulina, 2012.

STEINBERG, Shirley R. Kindercultura: a construção da infância pelas grandes corporações. In: SILVA, Luiz Heron et al. (Orgs.). Identidade social e a construção do conhecimento. Porto Alegre: SMED/POA,1997.

Publicado
2019-04-24
Seção
PARALELAS