A política do esporte e a construção do estádio Mineirão

Main Article Content

Wanessa Pires Lott

Resumo

O presente trabalho tem o objetivo de apresentar a construção do Estádio Magalhães Pinto, popularmente conhecido como Mineirão, localizado em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Destaca-se neste estudo o contexto da política do esporte nacional como fator relevante no processo de edificação do estádio. Assim, como uma partida de futebol, o artigo será apresentado em dois tempos, além da ‘concentração’, com intuito de uma breve apresentação sobre o tema e do ‘apito final’ para as últimas considerações. Primeiramente, será feito um panorama das políticas públicas nacionais de esporte, com destaque para a valorização do futebol no estado de Minas Gerais e em seguida o processo de construção e inauguração do Mineirão. A pesquisa, para além da bibliografia acadêmica pertinente, utilizou jornais e revistas de relevância nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Lott, W. P. (2021). A política do esporte e a construção do estádio Mineirão. FuLiA / UFMG, 5(2), 35–51. https://doi.org/10.35699/2526-4494.2020.20495 (Original work published 30º de janeiro de 2021)
Seção
DOSSIÊ

Referências

APM – Arquivo Público Mineiro. Folha de Minas. Disponível em: https://bit.ly/3iaNz2b. Acesso em: 28 abr. 2020.

BIANCHI, Ney. O gigante de Minas. Manchete. Rio de Janeiro, n. 700, p. 18-21, 18 set. 1965. Disponível em: https://bit.ly/38GrvsT. Acesso em: 30 abr. 2020.

BNDIGITAL – Biblioteca Nacional Digital. Manchete. Disponível em: https://bndigital.bn.gov.br/artigos/manchete. Acesso em: 30 abr. 2020.

BRASIL. Decreto n. 3.199 de 14 de abril de1941 – Estabelece as bases de organização dos desportos em todo o país. Disponível em: https://bit.ly/2XEBoB9. Acesso em: 07 maio 2020.

BRASIL. Decreto n. 40.296 de 06 de novembro de 1956 – Aprova o Regimento da Divisão de Educação Física, do Ministério da Educação. Disponível em: https://bit.ly/38NbAtb. Acesso em: 07 maio 2020.

BRASIL. Decreto n. 43.177 de 07 de fevereiro de 1958 – Institui a campanha nacional de educação física. Disponível em: https://bit.ly/3bDIz4J. Acesso em: 07 maio 2020.

BRINATI, Francisco Ângelo; MOSTARO, Filipe. Maracanã como mídia urbana: as narrativas jornalísticas, apropriações e interações no torcer no “maior do mundo”. Revista Rua, Campinas/SP, v. 24, n. 1, p. 211-236, jun. 2018.

CPDOC – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Bias Fortes, 2020c. Disponível em: https://bit.ly/3nJNeEw. Acesso em: 30 abr. 2020.

CPDOC – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Castelo Branco, 2020b. Disponível em: https://bit.ly/3bEV0gE. Acesso em: 30 abr. 2020.

CPDOC – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Juscelino Kubitschek, 2020a. Disponível em: https://bit.ly/3oKqjKR. Acesso em: 30 abr. 2020.

CPDOC – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Magalhães Pinto, 2020d. Disponível em: https://bit.ly/2XDgwdo. Acesso em: 30 abr. 2020.

CEU – Centro Esportivo Universitário. Estrutura do Clube. https://www.ufmg.br/ceu/site/estrutura. Acesso em: 30 abr. 2020.

COSTA, Luciana Cirino Lages Rodrigues; RODRIGUES, Marilita Aparecida Arantes. Diretoria de Esportes de Minas Gerais: suas políticas, sua história (1946-1987). In: ISAYAMA, Hélder Ferreira; RODRIGUES, Marilita Aparecida Arantes. (Orgs.). Um olhar sobre a trajetória das políticas públicas de esporte em Minas Gerais: 1927 a 2006. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

COUTO, Euclides de Freitas. Da ditadura à ditadura: uma história política do futebol brasileiro (1930-1978). Niterói: Editora da UFF, 2014.

DA MATTA, Roberto. Antropologia do óbvio – Notas em torno do significado social do futebol brasileiro. Revista USP – Dossiê Futebol, n. 22, p. 10-17, 1994.

FOLHA de Minas. Belo Horizonte, 11 jul. 1958.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2013.

LOPES, Lucas S. As interferências e interlocuções de Castelo Branco no futebol e os precedentes para a militarização do futebol brasileiro. Cantareira, p. 23-33, jul.-dez., 2019.

MANHÃES, Eduardo Dias. Política de Esportes no Brasil. Rio de Janeiro: Graal. 1986.

MAZZONI, Thomaz. O esporte a serviço da pátria. São Paulo: Olimpicus, 1941.

MINAS GERAIS, Assembleia Legislativa de. Decreto-Lei n. 922, de 16 de junho de 1943 – Dispõe sobre concessão do uso e gozo das praças de esportes Minas Gerais e sua administração. Disponível em: https://bit.ly/3nDA8J6. Acesso em: 29 abr. 2020.

MINAS GERAIS, Assembleia Legislativa de. Decreto-Lei n. 1.765 de 17 de junho de 1946 – Muda a denominação da Diretoria Geral das Praças de Esportes de Minas Gerais, altera sua constituição e contém outras disposições. Disponível em: https://bit.ly/3sp3YVc. Acesso em: 30 abr. 2020.

MINAS GERAIS, Assembleia Legislativa de. Decreto n. 5349, de 05 de novembro de 1957. Contém o regulamento da Diretoria dos Esportes de Minas Gerais. Disponível em: https://bit.ly/2Kckdnk. Acesso em: 29 abr. 2020.

MINAS GERAIS, Assembleia Legislativa de. Lei n. 1947, de 13 de agosto de 1959. Dispõe sobre a construção de um estádio em Belo Horizonte, para a prática do futebol e atletismo, e contém outras providências. Disponível em: https://bit.ly/39Bhehb. Acesso em: 29 abr. 2020.

MINAS GERAIS, Assembleia Legislativa de. Decreto n. 6107, de 09 de janeiro de 1961. Contém o regulamento da Diretoria dos Esportes de Minas Gerais Disponível em: https://bit.ly/38GNZdm. Acesso em: 29 abr. 2020.

MINEIRÃO, Estádio. História. Disponível em: http://estadiomineirao.com.br/o-mineirao/historia/. Acesso em: 01 maio 2020.

NEVES, Jader; CAVALCANTI, Domingos; ALMEIDA, Gaspar de. O gigante de Minas. Manchete. Rio de Janeiro, n. 700, p. 18-21, 18 set. 1965. Disponível em: https://bit.ly/2LN8sEo. Acesso em: 30 abr. 2020.

POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

SANTOS, André Carazza dos. Estádio Mineirão: orgulho e redenção do futebol mineiro. Efdeportes Revista Digital, Buenos Aires, año 10, n. 87, 2005.

SANTOS, Felipe Oliveira. Maracanã: símbolo das disputas e da complexidade das modernas contradições brasileiras. Entropia, Rio de Janeiro, v. 3, n. 6, p. 22-52, jul.-dez., 2019.

SARMENTO, Carlos Eduardo. A regra do jogo: uma história institucional da CBF. Rio de Janeiro: CPDOC, 2006.

SOUZA NETO, Georgino Jorge de. Do Prado ao Mineirão: a história dos estádios na capital inventada. Tese (Doutorado em Estudos do Lazer). Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG, Belo Horizonte, 2017.

UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais. A universidade. Disponível em: https://ufmg.br/a-universidade. Acesso em: 30 abr. 2020.

VERONEZ, Luiz Fernando Camargo. Quando o Estado joga a favor do privado: as políticas de esporte após a Constituição de 1988. Campinas: UNICAMP - Faculdade de Educação Física, 2005.