A linguagem bélica do futebol a metáfora conceptual futebol é guerra

Conteúdo do artigo principal

Carlos Renato Mascoto Rocha

Resumo

Neste trabalho, a linguagem do futebol é analisada através da metáfora. Esta, por sua vez, é abordada segundo a concepção cognitiva de Lakoff e Johnson (1980) para os quais ela exerceria, além da função estética, também uma função cognitiva. O trabalho busca analisar a representação do futebol como guerra no discurso jornalístico esportivo em uma pesquisa realizada, principalmente, no jornal Lance!, edição do Rio de Janeiro, e a influência que o linguajar bélico, trazido pela inserção da metáfora conceptual “futebol é guerra” na linguagem do futebol, exerce sobre o comportamento dos envolvidos com o evento esportivo dentro e fora dos campos, uma vez que os reflexos dessa influência já puderam ser observados no discurso, seja em marcas na linguagem de jogadores e outros protagonistas do futebol e até no comportamento da população e dos governantes de alguns países.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
ROCHA, C. R. M. A linguagem bélica do futebol: a metáfora conceptual futebol é guerra. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 5, n. 1, p. 8–25, 2021. DOI: 10.35699/2526-4494.2020.29577. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/29577. Acesso em: 17 abr. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Share |

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Trad. Eudoro de Souza. Porto Alegre: Editora Globo, 1996.

BANDINI, Nicky; DART, James. Has football ever started a war? The Guardian (on-line), 21 fev. 2007, Londres. Disponível em: https://bit.ly/37GT971. Acesso em: 16 jun. 2020.

BERGH, Gunnar. (Mid-Sweden University), Football is War: A Case Study of Minute-by-minute Football Commentary. Veredas on-line. Metáforas na Linguagem e no Pensamento. Temática, UFJF, Juiz de Fora, v. 2, 2011, p. 83-93, 2011. Disponível em: https://bit.ly/2USc61E. Acesso em: 16 jun. 2020.

CARVALHO, Sérgio. A guerra nas palavras: uma análise crítica da metáfora conceptual na retórica do presidente G. W. Bush Jr. e de seus colaboradores. (Tese). Faculdade de Letras da UFF, Niterói, 2006.

CARVALHO, Sérgio. A metáfora conceitual: uma visão cognitivista. Disponível em: https://bit.ly/3hxOEjM. Acesso em: 16 jun. 2020.

CHAPANGA, Evans. An Analysis of the War Metaphors Used in Spoken Commentaries of the 2004 Edition of the Premier Soccer League (PSL) Matches in Zimbabwe. University of Zimbabwe. Zambezia, v. 1, nº 31, p. 62-71, 2004. Disponível em: http://www.ir.uz.ac.zw/handle/10646/512. Acesso em: 23 ago. 2015.

COHEN, Ted. Metaphor and the Cultivation of Intimacy. In: SACKS, Sheldon. On Metaphor. Chicago: The University of Chicago, 1979, p. 3-12.

CORACINI, Maria José. Um fazer persuasivo: o discurso subjetivo da ciência. São Paulo: Educ; Campinas: Pontes, 1991.

DANKERT, Harald. Sportsprache und Kommunikation – Untersuchungen zur Struktur der Fussballsprache und zum Stil der Sportberichterstattung. Tübungen: Verein für Volksleben, 1969.

ESPÍNDOLA, Luciene. Futebol é guerra: a metáfora conceptual do futebol. Revista de Letras, UFPB, João Pessoa, v. 1, n. 32, p. 37-43, jan.-jun., 2013.

ESPN (site). Cruzeiro faz nova vítima, goleia o Náutico e se aproxima ainda mais do título. Disponível em: https://bit.ly/37JewEP. Acesso em: 16 jun. 2020.

FERREIRA, Luciane Corrêa. A conceitualização da violência no futebol. Antares (UFMG), v. 4, n. 7, p. 166-177, jan.-jul., 2012.

GRUPO PRAGGLEJAZ. PIM: Um método para identificar palavras usadas metaforicamente no discurso. Trad. HUBERT, Dalby. In: Cadernos de Tradução – Linguística Cognitiva. Siqueira Maity. (org.), UFRGS. n. 25, p.177-120, jul.-dez., 2009.

KÖVECSES, Zoltán. Metaphor: A Pratical Introduction. Nova York, Oxford University Press, 2002.

LAKOFF, George. Women, Fire and Dangerous Things: What Categories Reveal About the Mind. Chicago; Londres: The University of Chicago Press, 1987.

LAKOFF, George. The Contemporary Theory of Metaphor. In: ORTONY. Metaphor and Thought. Cambridge: Cambridge University Press, 1993, p. 202-251.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metaphors We Live By. Chicago: The University of Chicago Press, 1980.

LAKOFF, George; TURNER, Mark. More Than Cool Reason: A Field Guide to Poetic Metaphor. Chicago: The University of Chicago Press, 1989.

MASCOTO ROCHA, Carlos Renato. A linguagem bélica do futebol, suas manifestações e suas implicações dentro e fora dos campos. (Mestrado em Estudos de Linguagem). Faculdade de Letras da UFF, Niterói, 2017.

NÁUTICO e Santa Cruz empatam em 2 x 2 e se complicam no Estadual, Diário de Pernambuco (on-line), Esportes, 1.º ago. 2009. Disponível em: http://www.old.diariodepernambuco.com.br/esportes/nota.asp?materia=20090201180748. Acesso em 30 ago. 2015.

NOGUEIRA, Armando. México 70. Projeto Releituras (Blog). Disponível em: https://bit.ly/30O1DYI. Acesso em: 16 jun. 2020.

ORTONY, Andrew. Metaphor and Thought. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

PICHONELLI, Matheus. O time é de guerreiros. Mas quem é o inimigo? Carta Capital (revista digital). Disponível em: https://bit.ly/37DKClx. Acesso em: 16 jun. 2020.

RÍMOLI, Cosme. O time de guerreiros do Fluminense orgulhou o Brasil. R7. Disponível em: https://bit.ly/3hDKEhR. Acesso em: 16 jun. 2020.

SEDDON, Peter. Football Talk. Londres: Robson Books, 2004.

SPORTV (site). Dominou no peito e fuzilou! Atacante da Chape tem o golaço da rodada. Disponível em: https://glo.bo/2YN8xdY. Acesso em: 16 jun. 2020.

SUN, Ling. A Cognitive Study of War Metaphors in Five Main Areas of Everyday English: Politics, Business, Sport, Disease and Love. (Doctoral dissertation). School of Teacher Education, Kristianstad University, Kristianstad, 2010. Disponível em: https://bit.ly/3eaZUQR. Acesso em: 16 jun. 2020.

TOOTS. The Soccer Wars: Honduras and El Salvador, 1969. Soccer Blog. 10 abr. 2006. Disponível em: https://bit.ly/2UMTsbl. Acesso em: 16 jun. 2020.

VEREZA, Solange. Anotações e seminários realizados durante o curso: metáfora e metonímia na interface entre cognição e discurso (Mestrado). Niterói, UFF, 2015.