Redes sociais digitais e atletas olímpicos brasileiros uma análise a partir da Teoria Fundamentada e da estatística aplicada à comunicação

Conteúdo do artigo principal

Carlos Roberto Gaspar Teixeira

Resumo

Esse artigo propõe um método de pesquisa baseado na Teoria Fundamentada a partir de dados das redes sociais digitais com enfoque quantitativo utilizando técnicas estatísticas. O método foi aplicado na análise de postagens entre 2016 e 2017 dos perfis oficiais do Facebook, Instagram e Twitter de atletas que competiram nos Jogos Olímpicos Rio 2016. O objetivo foi compreender qual a relação e influência existente entre a quantidade de seguidores desses perfis com as notícias, buscas no Google e interações nas redes. O artigo concluiu que existe uma correlação significativa entre o crescimento de seguidores, as notícias relacionadas aos atletas e a conquista de uma medalha, sendo o Instagram a plataforma mais utilizada pelos atletas analisados. Ao final, a proposta metodológica permitiu estabelecer relações entre os resultados quantitativos com discussões teóricas presentes nos estudos da comunicação e mídias sociais digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Teixeira, C. R. G., & Tietzmann, R. (2021). Redes sociais digitais e atletas olímpicos brasileiros: uma análise a partir da Teoria Fundamentada e da estatística aplicada à comunicação. FuLiA/UFMG, 6(1), 137–158. https://doi.org/10.35699/2526-4494.2021.33270
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Carlos Roberto Gaspar Teixeira, PUCRS

Doutorando em Comunicação Social pela PUCRS na Escola de Comunicação, Artes e Design - FAMECOS. Mestre em Comunicação Social pela PUCRS na Escola de Comunicação, Artes e Design - Famecos.

Roberto Tietzmann, PUCRS

Doutor em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Mestre em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professor Adjunto dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação Social e Escrita Criativa. Coordenador do grupo de pesquisa ViDiCa - Cultura Audiovisual Digital.

Referências

BARBETTA, Pedro Alberto. Estatística aplicada às Ciências Sociais. Floria-nópolis: Editora da UFSC, 2003.

BAYM, Nancy. Personal Connections in the Digital Age. Cambridge: Polity Press, 2010.

BRUNS, A. After the ‘APIcalypse’: Social Media Platforms and their Fight Against Critical Scholarly Research. Information Communication and Socie-ty, v. 22, n. 11, p. 1544-66, 2019.

CHARMAZ, Kathy. A construção da teoria fundamentada: guia prático para análise qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

CORBIN, Juliet; STRAUSS, Anselm. Pesquisa Qualitativa: técnicas e proce-dimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. Porto Alegre: Ar-tmed, 2008.

CRESPO, Antônio Arnot. Estatística fácil. São Paulo: Saraiva, 2009.

FARIAS, Flaubi. Google Trends: o que é a ferramenta e como usá-la na sua estratégia. Resultados Digitais, 9 jun. 2017. Disponível em: https://resultadosdigitais.com.br/blog/google-trends. Acesso em: 15 abr. 2021.

FERNANDEZ PEÑA, E. et al. Social Networking and the Olympic Move-ment: Social Media Analysis, Opportunities and Trends. Barcelona: Univer-sitat Autònoma de Barcelona, 2011.

FILO, K.; LOCK, D.; KARG, A. Sport and Social Media Research: A Review. Sport Management Review, v. 18, n. 2, p. 166-181, 1 abr. 2015.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pes-quisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Teoria fundamentada: nova pers-pectiva à pesquisa exploratória. In: MUELLER, Suzana P. M. (Ed.). Métodos para a pesquisa em Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2007, p. 83-118.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

GLASER, Barney; STRAUSS, Anselm L. The discovery of grounded theory. New York: Aldene de Gruyter, 1967.

GLASER, Barney. Doing Grounded Theory: Issues and Discussions. Mill Val-ley, CA: Sociology Press, 1998.

GLASER, Barney. Doing Quantitative Grounded Theory: A Review. Mill Val-ley: Sociology Press, 2008.

GOOGLE NOTÍCIAS. c2021. Disponível em: https://news.google.com.br. Aces-so em: 15 abr. 2021.

GOOGLE TRENDS. c2021. Disponível em: https://trends.google.com.br/trends. Acesso em: 15 abr. 2021.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Elogio da beleza atlética. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

HAZARI, S. Investigating Social Media Consumption, Sports Enthusiasm, and Gender on Sponsorship Outcomes in the Context of Rio Olympics. Interna-tional Journal of Sports Marketing and Sponsorship, v. 19, n. 4, p. 396-414, 12 out. 2018.

HOYLE, R. H. Statistical Strategies for Small Sample Research. Thousand Oaks: Sage Publications, 1999.

MCCOMBS, M. A teoria da agenda: a mídia e a opinião pública. Petrópolis: Vozes, 2009.

MILLA, A.; SANTOS, L. J.; HELÚ, H. Content Strategy and Fan Engagement in Social Media The Case of PyeongChang Winter Olympic And Paralympic Games. Annals of Applied Sport Science, v. 8, n. 3, s/p, 1 out. 2020.

NEWMAN, T.; PECK, J.; WILHIDE, B. Social Media in Sport Marketing. New York: Routledge, 2017.

NISAR, T. M.; PRABHAKAR, G.; PATIL, P. P. Sports Clubs’ Use of Social Me-dia to Increase Spectator Interest. International Journal of Information Man-agement, v. 43, n. June, p. 188-195, 2018.

PRIMO, Alex. A cobertura e o debate público sobre os casos Madeleine e Isa-bella: encadeamento midiático de blogs, Twitter e mídia massiva. Galáxia, v. 8, n. 16, 2008.

RECUERO, Raquel; BASTOS, Marco; ZAGO, Gabriela. Análise de redes para mídia social. Porto Alegre: Sulina, 2015.

SCHOOT, R. VAN DE; MIOČEVIC, M. Small Sample Size Solutions: A Guide for Applied Researchers and Practitioners. New York: Routledge, 2020.

SICSÚ, Abraham Laredo; DANA, Samy. Estatística aplicada: análise explora-tória de dados. São Paulo: Saraiva, 2012.

STRAUSS, Anselm; CORBIN, Juliet. Basics of Qualitative Research: Grounded Theory Procedures and Techniques. London: SAGE Publications, 1990.

TANG, T.; COOPER, R. The Most Social Games: Predictors of Social Media Uses During the 2016 Rio Olympics. Communication and Sport, v. 6, n. 3, p. 308-330, 2018.

TEIXEIRA, Carlos Roberto Gaspar. Data fama: o desempenho dos atletas olímpicos nas redes sociais digitais. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social), Escola de Comunicação Social, Artes e Design – FAMECOS da PU-CRS, Porto Alegre, 2017.

VALE, L.; FERNANDES, T. Social Media and Sports: Driving Fan Engagement with Football Clubs on Facebook. Journal of Strategic Marketing, v. 26, n. 1, p. 37-55, 2018.

VAN DIJCK, J. The Culture of Connectivity: A Critical History of Social Media. New York: Oxford University Press, 2013. v. 53.

VENTURINI, T.; ROGERS, R. “API-Based Research” or How can Digital Soci-ology and Journalism Studies Learn from the Facebook and Cambridge Ana-lytica Data Breach. Digital Journalism, v. 7, n. 4, p. 532-540, 21 abr. 2019.

WE ARE SOCIAL. Digital in 2016. We are Social, Singapura, 26 jan. 2016.

WEAVER, K. Connecting Fans and Sports more Intensively through Social Media. In: Higher Education Administration with Social Media (Cutting-Edge Technologies in Higher Education. [s.l: s.n.]. p. 191-207.

WOLF, M. Teorias da comunicação. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

YAU, Nathan. Visualize isto: o guia do flowingdata para design, visualização e estatística. Rio de Janeiro: Alta Books, 2012.