O torcer no futebol de mulheres em Belo Horizonte um estudo exploratório a partir de torcedoras/es de Atlético, América e Cruzeiro

Conteúdo do artigo principal

Renata Alves Pinto Lemos
Luiza Aguiar dos Anjos
Marina de Mattos Dantas

Resumo

Embora haja um inegável crescimento esportivo, econômico e social do futebol jogado por mulheres na última década, ainda há poucas produções científicas dedicadas a compreender o universo das torcidas nesse meio. Tendo isso em vista, este estudo exploratório, realizado em 2021, buscou conhecer torcedoras/es de times de futebol feminino de Belo Horizonte que participaram do Campeonato Brasileiro (Série A1 e A2 - 2020), bem como a forma como estes/as os acompanham e se relacionam com o futebol através das mídias e do consumo. Foi elaborado um formulário com perguntas sobre o acompanhamento das equipes e o consumo em torno do torcer. Jovens mulheres heterossexuais, em parte brancas, em parte pretas e pardas, e que auferem renda individual acima de R$3.300 ou entre R$1.000 e 3.000 compuseram a maior parte das/dos participantes da pesquisa. Em relação às mídias digitais, os principais meios para acompanhar os times na atualidade são as redes sociais na internet, que oferecem uma maior possibilidade de acesso à informação sobre os times mineiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Lemos, R. A. P., Anjos, L. A. dos, & Dantas, M. de M. (2022). O torcer no futebol de mulheres em Belo Horizonte: um estudo exploratório a partir de torcedoras/es de Atlético, América e Cruzeiro. FuLiA/UFMG, 7(2), 115–136. https://doi.org/10.35699/2526-4494.2022.36794
Seção
DOSSIÊ

Referências

ALMEIDA, Caroline Soares. “Boas de bola”: Um estudo sobre o ser jogadora de futebol no Esporte Clube Radar durante a década de 1980. 151f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). UFSC, Florianópolis, 2013.

ANJOS, Luiza Aguiar dos; DANTAS, Marina de Mattos. O futebol de mulheres em Belo Horizonte. In: FERNANDES, Daniela; COSTA, Thiago Carlos (Orgs.) Caderno de Memórias: a história do futebol feminino de Belo Horizonte. Belo Horizonte, 2020.

BONFIM, Aira Fernandes. Football Feminino entre festas esportivas, circos e campos suburbanos: uma história social do futebol praticado por mulheres da introdução à proibição (1915-1941). 213f. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais). FGV, Rio de Janeiro, 2019.

BRASIL, Decreto-lei n. 3.199, de 14 de abril de 1941. Estabelece as bases de organização dos desportos em todo o país. Disponível em: https://bit.ly/3BVWJuK. Acesso em: 10 out. 2021.

CASTRO, Luciane. Mulheres no jornalismo esportivo: quem registra aquelas que registram a história do futebol? In: FERNANDES, Daniela; COSTA, Thiago Carlos (Orgs.) Caderno de Memórias: a história do futebol feminino de Belo Horizonte. Belo Horizonte, 2020.

CLUBE ATLÉTICO MINEIRO. Estatuto do Clube Atlético Mineiro. Registro Civil de Pessoas Jurídicas, 24 ago. 2015. Disponível em: https://bit.ly/3SmUnul. Acesso em: 14 out. 2021.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE DESPORTOS. Deliberação nº 7/65. Baixa instruções às Entidades Desportivas do país sobre a prática de desportos pelas mulheres Brasília: Conselho Nacional de Desportos, 1965.

DAMO, Arlei Sander. Para o que der e vier: o pertencimento clubístico no futebol brasileiro a partir do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e seus torcedores. 1998. 247 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) UFRGS, Porto Alegre, 1998.

DANTAS, Marina de Mattos; ANJOS, Luiza Aguiar dos; MENDES, Bárbara Gonçalves. (2021). Torceres: Pensando Diferentes Possibilidades de Pertencimento Clubístico. Licere, 24 (1), 2021, p. 477-509.

FIFA. FIFA Women’s World Cup 2019™ watched by more than 1 billion. 18 out. 2019. Disponível em: https://fifa.fans/3dzbxGq. Acesso em 28 set. 2021.

FRANZINI, Fábio. Futebol é “coisa para macho”? Pequeno esboço para uma história das mulheres no país do futebol. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 25, n. 50, 2005, p. 315-328.

FORTES, Rafael; ANJOS, Luiza Aguiar dos. O fechamento do estádio Engenhão em blogues de jornalistas esportivos: futebol, megaeventos e política. Logos, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, 2016.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulher e esporte no Brasil: entre incentivos e interdições elas fazem história. Pensar a prática, Goiânia, v. 8, n. 1, 2005a.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulheres e futebol no Brasil: entre sombras e visibilidades. Revista Brasileira de Educação Física e Esportes, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 143-151, 2005b.

JANUÁRIO, Soraya Barreto; LIMA, Cecília Almeida Rodrigues; LEAL, Daniel. Futebol de mulheres na agenda da mídia: uma análise temática da cobertura da Copa do Mundo de 2019 em sites jornalísticos brasileiros. Observatorio (OBS*), Lisboa, v. 14, n. 4, p. 42-62, 2020.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e educação: teoria e política. In: LOURO, Guacira Lopes. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petropólis/RJ: Vozes, 2003.

MOURÃO, Ludmila; MOREL, Marcia. As narrativas sobre o futebol feminino: o discurso da mídia impressa em campo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 26, n. 2, p. 73-86, 2005.

REDEÇÃO/ESPORTE NEWS MUNDO, Cruzeiro tem a maior torcida de Minas Gerais e a sexta maior do Brasil, aponta pesquisa, UOL, Esporte News Mundo, Futebol, Belo Horizonte, 10 maio 2018. Disponível em: https://bit.ly/3LADgDk. Acesso em: 10 out. 2021.

REDEÇÃO/SUPERESPORTES, Pesquisas eleitorais atualizam tamanho das torcidas de América, Atlético e Cruzeiro em BH, Superesportes, Futebol Mineiro, Belo Horizonte, 05 nov. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3DJehf1. Acesso em: 10 out. 2021.

RIBEIRO, Raphael Rajão. A várzea e a metrópole: futebol amador, transformação urbana e política local em Belo Horizonte (1947-1989). 492F. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais). FGV, Rio de Janeiro, 2021.

RIBEIRO, Raphael Rajão. Futebol de mulheres em tempos de proibição: o caso das partidas Vespasiano x Oficina (1968). Mosaico, Rio de Janeiro, v. 4, n. 14, p. 48-69, 2018.

RIOS, Fábio Daniel da Silva; COELHO, Maria Cláudia Pereira. Emoção e Masculinidade no Universo do Futebol no Brasil. Cad. Pagu, n. 58, p. 1-35, 2020.

SILVA, Ana Flávia Marques da. A redação virtual e as rotinas produtivas nos novos arranjos econômicos alternativos às corporações de mídia. 233f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação). USP, São Paulo, 2019.

SOUZA, Adriano Lopes de. et al. Levantamento e análise do desenvolvimento da produção e do estudo sobre futebol 1980-2016. In: COUTO, Ana Cláudia Porfírio et al. (Orgs.). Políticas públicas de esporte e lazer: Centro MG da Rede CEDES. Belo Horizonte: Utopika Editorial, 2019.

SOUZA JÚNIOR, Osmar Moreira de. Futebol como projeto profissional de mulheres: interpretações da busca pela legitimidade. 329f. Tese (Doutorado em Educação Física). UnICAMP, Campinas, 2013.

SOUZA NETO, Georgino. A invenção do torcer em Bello Horizonte: Da Assistência ao Pertencimento Clubístico (1904-1930). 130f. Dissertação (Mestrado em Estudos do Lazer). UFMG, Belo Horizonte, 2010.

VIMIEIRO, Ana Carolina. A produtividade digital dos torcedores de futebol brasileiros: formatos, motivações e abordagens. Revista Contracampo, Niterói, v. 31, n. 1, p. 23-59, 2014.