Espacialização e classificação de topos como zonas preferenciais de recarga natural de aqüíferos: o caso de Belo Horizonte – MG

  • Miguel Fernandes Felippe Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Antônio Pereira Magalhães Júnior Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Aqüíferos, Recarga, Topos, Meio ambiente

Resumo

Este trabalho apresenta uma proposta de classificação qualitativa de topos como zonas de recarga de aqüíferos, tendo como estudo de caso o município de Belo Horizonte. A metodologia foi embasada em pressupostos teóricos do comportamento natural dos topos em relação aos processos de infiltração, percolação, armazenamento e transmissão de água. Além disso, as pressões humanas de um espaço metropolitano foram consideradas. Uma matriz de oito variáveis ambientais foi produzida e os resultados mostram que a recarga de aqüíferos de Belo Horizonte está comprometida pela intensa ocupação humana, bem como pelas limitações naturais do ambiente.

Biografia do Autor

Miguel Fernandes Felippe, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Miguel Fernandes Felippe é Mestrando em Geografia e Análise Ambiental pela UFMG; IGC/UFMG.
Antônio Pereira Magalhães Júnior, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Antônio Pereira Magalhães Júnior é Doutor em Desenvolvimento Sustentável pela UnB; IGC/UFMG.
Publicado
2009-07-01
Seção
Artigos